Barras de proteína.
Ultima atualização: 9 de janeiro de 2020

Como escolhemos

16Produtos analisados

23Horas investidas

6Estudos avaliados

69Comentários coletados

Seja bem-vindo ao ReviewBox Brasil! Hoje vamos falar de um produto que têm ganhado cada vez mais adeptos: a barra de proteína.

Aliada da suplementação proteica dos praticantes de exercícios físicos intensos, a barra de proteína é ideal para ser usada como um lanche rápido e, assim, evitar a perda de massa muscular.

Em meio a tantas opções de barrinhas, vamos mostrar neste artigo o que você deve levar em conta antes de comprar a barra de proteína que irá atender às suas expectativas e necessidades.




Primeiro, o mais importante

  • A barra de proteína, além de ajudar na manutenção proteica que evita a perda muscular, é ideal para ser consumida entre as refeições.
  • Ela é diferente da barra de cereais, mas pode ser prejudicial se consumida em excesso.
  • Vamos mostrar para você quais são as características que diferenciam um tipo de outro e como escolher a barra de proteína ideal.

Você também pode gostar:

As melhores opções de barra de proteína

A barra de proteína precisa ter ingredientes em quantidades adequadas para surtir o efeito esperado. Sabendo isso, os fabricantes têm investido em opções para todos os objetivos. Por isso, a seguir, nós vamos apresentar para você as melhores opções de barra de proteína disponíveis hoje em dia no mercado.

Quest Bar Quest Nutrition, 1 unidade

O Quest Bar da Quest Nutrition é uma barra de proteína de 60g a unidade e de sabor Peanut Butter Brownie Smash. Cada barrinha possui 20g de Whey Protein, além de 14g de fibras. Além disso, essa barra proteica tem em média 4g de carboidratos, 9g de gorduras totais e é adoçada com sucralose e é sem glúten.

Cream Crunch Probiótica Pró Premium, 12 unidades

O Cream Crunch da Probiótica Pró Premium é uma caixa com 12 unidades de barras de proteínas, cada uma contendo no total 40g. Cada uma conta ainda com 14g de proteínas, além de 10g de carboidrato, 1,4 de açúcares e 14g de gorduras totais.

Cake Bites Optimum Nutrition, 12 unidades

A Cake Bites da Optimum Nutrition é uma caixa de 12 barras de proteínas de sabor chocolate com menta. Cada barrinha, que é formada por três unidades de um mini-bolo, possui 62g. Além disso, cada barra proteica conta com 20g de proteína, 6g de gordura total (sendo 4g de saturada), 4g de açúcares e 24 de carboidrato.

Guia de Compra

Pode parecer simples escolher a barra de proteína. Mas existem fatores que diferenciam um tipo de outro e que podem influenciar no resultado de sua eficácia.

Por isso, criamos este Guia de Compra com todas as informações que você precisará para tomar a melhor decisão ao comprar a barra de proteína.

Mulher com roupa de ginástica comendo barra de proteína.

A barra de proteína é uma aliada para praticantes de atividades físicas intensas. (Fonte: citalliance/ 123rf)

O que é uma barra de proteína?

Atualmente, são vários os produtos que permitem a ingestão suplementar de proteína.

Além do famoso suplemento Whey Protein, as barras de proteína têm ganhado cada vez mais popularidade, já que podem ser usadas em lanches e ao longo do dia de forma mais prática.

A ideia do produto é garantir o aumento do consumo diário de proteínas, principalmente entre as refeições principais.

Isso porque, as proteínas, além de evitarem a perda de massa muscular, também melhoram o nosso sistema imunológico.
E, por isso, são muito utilizadas por quem pratica atividades físicas intensas.

O fato é que as barrinhas proteicas chegam a fornecer mais de 20g de proteína por porção.

Essa quantidade é cerca de 10 vezes maior do o que é oferecido pelas barras comuns, como as de cereais, por exemplo.

Em quantidade proteica, a barra de proteína se compara, portanto, aos alimentos mais ricos nesse nutriente como os lácteos e as carnes.

Fabricada em diferentes sabores, são bastante práticas para você encaixar em sua rotina.

Além disso, a barrinha costuma ter outros ingredientes, como fibras, para potencializar ainda mais os seus benefícios.

Qual a diferença entre a barra de cereais e a barra de proteína?

A barra de cereal é uma fonte de carboidratos, feita com flocos de cereais como arroz, aveia, milho e cevada, além de gordura ou óleo vegetal, frutas secas, sementes oleaginosas, entre outros ingredientes.

Mas caso o seu objetivo seja fazer um lanche rápido e sem muita preocupação com reposição de proteínas, a barra de cereais será suficiente para que você ingira boas quantidades de cereais integrais, vitaminas e fibras.

Mas, apesar de a barra de cereal oferecer energia ao corpo, quando consumida em excesso é acumulada no organismo na forma de gordura.

Por isso também, sugerimos que você evite as que contém xarope de glicose, açúcar invertido e xarope de milho como ingredientes.

Barra de cereais, com nozes, castanhas e morangos ao fundo.

A barra de cereais, diferentemente da barra proteica, é uma rica fonte de carboidratos. (Fonte: silviarita/ Pixabay)

Agora, se for um atleta e precisar repor ou aumentar a dose diária de proteína, a barra de proteínas será a melhor opção.

Isso porque, a composição de uma barra de proteína tem sua base feita, em geral, da proteína do soro do leite, conhecida como Whey Protein.

Geralmente, essa barrinha é composta de pouca quantidade de carboidratos e gorduras, e alto teor de aminoácidos essenciais (os BCAAs).

Mas como a demanda de proteínas é variável de pessoa para pessoa, é recomendado o acompanhamento de um nutricionista para que o objetivo do atleta seja alcançado.

Enquanto as barras convencionais possuem cerca de 1 ou 2 gramas de proteína, a barra proteica fornece de 8g a 20g.

Mas, assim como ocorre com a barra de cereais, com a de proteína também é preciso atenção com o excesso.

Isso porque o excesso de proteínas pode ser prejudicial levando até a problemas renais e de fígado.

O fato é que, em ambos os casos, podem haver restrições de uso para pessoas com diabetes, problemas renais, obesidade, intolerância à frutose e alergias alimentares, entre outros.

A seguir, você confere as principais diferenças entre a barra de cereais e a de proteínas:

Barra de cereais Barra de proteína
Ingrediente principal Carboidratos Proteínas
Composição Cereais integrais, vitaminas e fibras Alto teor de BCAA
Gorduras e açúcares A quantidade varia Quantidade reduzida
Em excesso Pode engordar Pode causar problemas de saúde

A barra de proteína ajuda a emagrecer?

Os resultados do consumo da barra de proteína não são obtidos de maneira direta apenas com a sua ingestão.

Assim como ocorre com outros suplementos, é preciso uma interação entre dieta, treino e descanso. Mas a barra proteica pode sim ajudar no emagrecimento.

Em geral, de acordo com os especialistas, mesmo aquelas que não tenham alto nível de qualidade nos ingredientes ainda são melhores do que lanches.

 Homem medindo a barriga com uma fita métrica.

Consumida de forma correta, a barra de proteína pode ajudar a emagrecer. (Fonte: jarmoluk /Pixabay)

Como a sua ingestão é mais lenta e exige mais mastigação, a barra de proteína proporciona saciedade, ou seja, reduzi a vontade de comer.

Além disso, esse tipo de barra também pode ser mais eficaz do que a prática de jejum prolongado.

Ainda assim, recomendamos que você fique de olho, pois algumas barras podem conter açúcar e gordura saturada em excesso, perdendo, então, sua eficácia no objetivo de emagrecer.

Quando (e quanto) consumir a barra de proteína?

A barra de proteína já vem na dose adequada. É só abrir e comer! Por isso, é ideal para fazer parte da sua alimentação em diferentes momentos do dia.

Confira a seguir alguns exemplos de quando você pode consumir a barra de proteína:

  • Refeições intermediárias: A barra de proteína é uma solução prática e saudável para ser consumida entre as refeições principais e garantir uma boa ingestão de proteína.
  • Antes do treino: A barra proteica contém nutrientes essenciais para dar energia aos músculos e evitar o catabolismo (perda de massa magra).
  • Pós-treino: Se você não pode fazer uma refeição completa após o treino, as barras de proteína são uma alternativa para evitar a perda de massa muscular.

Os especialistas apenas alertam que a barra de proteína não pode valer como substituição de uma refeição nem ser usada como completo.

O ideal é que o uso da barra de proteína seja esporádico.

De acordo com os especialistas, você não deve ultrapassar o consumo de máximo de 2 a 3 barrinhas de proteína por semana.

Quais as vantagens da barra de proteína?

Como vimos, a barra de proteína é versátil, já que pode ser utilizada a qualquer hora do dia. E é prática, porque basta abrir a embalagem e comer.

Outra vantagem da barra de proteína é que ela é uma forma de manter o consumo de proteínas, principalmente, entre as refeições principais.

O fato é que a suplementação com proteína ajuda a evitar o catabolismo, repõe as energias, contribuiu para a hipertrofia e, é claro, funciona como um lanche saudável, rápido e prático.

Além disso, hoje em dia, existem os mais diversos sabores de barra de proteína.

A barra de proteína ajuda a conter a perda de massa muscular, ideal para quem treina para alcançar a hipertrofia. (Fonte: John Fornander/ Unsplash)

Além dos benefícios relacionados às funções metabólicas, a barra de proteína oferece também vantagens para o seu dia a dia.

A barra de proteína é mais saudável do que um chocolate e mais prático do que o Whey Protein, por exemplo.

A desvantagem é que se você consumir em excesso pode causar problemas nos rins e fígado.

Sem contar que algumas marcas contam, em sua composição, com gorduras e açúcares além do recomendado.

A seguir, você confere as principais vantagens e desvantagens da barra de proteína:

Vantagens
  • Fonte extra de proteína
  • Ajuda a prevenir a perda de massa muscular
  • Versátil e prática
  • Lanche rápido e saudável
  • Variedade de sabores
Desvantagens
  • Em excesso é prejudicial

Quanto custa a barra de proteína?

O preço da barra de proteína varia em função da marca fabricante e dos ingredientes utilizados.

Em geral, você vai encontrar a unidade da barrinha custando entre R$ 6 e R$ 20 a unidade.

Mas é muito comum encontrar caixas que contém entre três e 20 unidades. Os preços dos pacotes variam entre R$ 8 e R$ 150.

Onde comprar barra de proteína?

Você pode comprar a barra de proteína em padarias, lojas de suplementos, de departamento e hipermercados como Lojas Americanas e Extra.

Nós recomendamos que você realize a sua compra em lojas online como a Amazon Brasil.

Assim, você garante mais opções para escolher e ainda adquire a barra de proteína do conforto da sua casa.

Critérios de compra: Fatores a considerar ao escolher a barra de proteína

São tantos tipos de barra de proteína disponíveis que fica difícil saber qual é a melhor para você. Por isso, é fundamental que você entenda o que diferencia uma da outra.

Selecionamos para você os principais fatores que devem ser levados em conta antes de comprar a barra de proteína:

A seguir, vamos explicar cada um desses fatores para que você tome a melhor decisão ao investir na barra de proteína.

Ingredientes

O primeiro fator que você deve observar antes de comprar a barra de proteína é a informação sobre os ingredientes que a compõem.

É unânime entre os especialistas que as barras de proteínas que possuem ingredientes demais são nutricionalmente piores do que aquelas que possuem apenas ingredientes básicos.

Fuja de nomes como óleos interesterificados, gordura vegetal hidrogenada, xarope de frutose, açúcar invertido, adoçantes artificiais, estabilizantes, antiumectantes, aromatizantes, corantes e realçadores de sabor.

Barras de proteína.

É importante verificar os ingredientes que compõem cada barra de proteína para garantir os resultados esperados.
(Fonte: ExplorerBob/ Pixabay)

Além disso, fique de olho no primeiro ingrediente listado, em geral é esse elemento que vêm em maior quantidade na barra de proteína.

E, nesse caso, como veremos a seguir, o ideal é que ingrediente primordial seja a proteína.

Além disso, sugerimos que você opte pela barra que tenha como fonte de carboidrato os cereais e as frutas secas.

Proteína

Como mencionado acima, o primeiro ingrediente da lista expressa na barra de proteína é aquele que está em maior proporção.

Para uma barrinha ser considerada proteica, o primeiro nome da lista deve ser algum produto que seja fonte de proteínas como “proteína isolada” ou “concentrada”.

Você também poderá encontrar barras cuja fonte de proteína seja de origem vegetal.

As principais fontes de proteína utilizadas nas barrinhas são Whey Protein, Albumina e Caseína. Mas você também poderá encontrar barras cuja fonte de proteína seja de origem vegetal, como soja, ervilha e arroz.

Essas versões são ideais para vegetarianos. Outras barras também fazem um mix de proteína animal e vegetal.

Mas, além disso, é fundamental considerar a quantidade de proteína na barra.

Em geral, você poderá optar por barrinhas que contêm entre 10g e 30g de proteína. A escolha vai depender das suas necessidades e objetivos.

Açúcares e gordura

Também recomendamos que você preste especial atenção ao tipo e quantidade de açúcares e gorduras presentes na barra de proteína.

Dependendo da escolha, a sua barra pode acabar não sendo efetiva para o seu objetivo e até prejudicial para a sua saúde.

A dica é: verifique se a quantidade de proteínas é maior do que a de açúcar. A melhor opção é investir nas que tenham cacau ou sejam adoçadas com mel.

Mulher puxando peso na academia de ginástica.

Para ajudar no condicionamento físico, a barra de proteína deve ter pouca quantidade de açúcares e gorduras.
(Fonte: Alora Griffiths/ Unsplash)

Fique de olho também na quantidade de gorduras totais e, principalmente, na gordura saturada.

Uma boa barra de proteína não deve possuir gorduras saturadas.

Tamanho

Por fim, leve em consideração o tamanho da barra de proteína antes de realizar a sua compra.

A maioria das barrinhas costuma ter cerca entre 35g e 60g. O fato é que essa escolha vai refletir na quantidade de proteína, carboidratos e outros ingredientes presentes no produto além, é claro, do preço.

(Fonte da imagem destacada: Samo Trebizan/ 123rf)

Por que você pode confiar em nós?

Gustavo Conceição Nutricionista
Na escola, Gustavo participava de todas as modalidades. Ele acabou não se tornando atleta profissional, mas manteve-se próximo do universo esportivo cursando nutrição e, depois de graduado, prestando consultoria a atletas de várias modalidades e clubes de futsal e vôlei pelo país. Pós-graduado em suplementação, compartilha online seu conhecimento sobre o que há de melhor em complementos alimentares.
Izabel Toscano Jornalista
Nômade digital, jornalista, leitora e questionadora compulsiva. Já trabalhou em jornais diários e sites de notícias no Brasil, e em plataformas online na Irlanda e na França. Hoje, roda o mundo escrevendo sobre temas variados, sempre atenta às novas tecnologias e a tudo que surge para trazer leveza à vida.