Seja sempre muito bem-vindo aqui, na ReviewBox Brasil, casa das mais completas e interessantes análises de produtos! Esperamos sempre transmitir para você conteúdo e informação. E por falar em transmissão, hoje falaremos de cabos VGA.

Acessórios de informática utilizados para transmissão de imagem, estes cabos foram utilizados durante décadas. Sua queda ocorreu conforme a tecnologia de alta definição foi desenvolvida. Ainda sim, muito equipamentos mantém este tipo de entrada.

Provavelmente você tem televisores em casa, talvez até projetores. E eles podem ter uma entrada VGA. E isso significa que podem transmitir a imagem recebida de um computador. Interessado em saber mais? Fique conosco para conhecer tudo sobre o assunto!

Primeiro, o mais importante

  • Cabos VGA vêm de um padrão mais antigo de tecnologia, onde existe a necessidade de “entrada” e “saída” em formatos diferentes. É comum o uso de termos como “macho” e “fêmea”, identificando as pontas de conexão.
  • Uma conexão VGA é um método de conexão analógico. É muito afetado pela qualidade do cabo, interferência externa (até liquidificador), e sinal de saída.
  • Por derivar de uma tecnologia mais antiga, apesar de renovada, ela tem um limite considerado máximo para resolução. Este valor é pouco inferior ao Full HD (1.680 x 1.050).

Você também pode gostar:

Ranking: Os 3 melhores cabos VGA + bônus

Apesar de parecerem todos iguais, os cabos VGA podem se diferenciar entre si no que diz respeito ao tamanho e outras especificações. Preparamos uma lista com alguns dos melhores modelos disponíveis no mercado.

1º – Cabo VGA SVGA 10 M com Filtro Plus Cable

Cabo VGA com 10 metros de comprimento, para transmissão de sinal analógico entre computadores/notebooks e monitores ou televisores.

Os cabos coaxiais com impedância de 75 ohms permitem uma transmissão de sinal em alta qualidade. Trabalha com temperaturas até 80°C em tensão de 30v. Os plugues possuem tecnologia imune a interferência, além de alta durabilidade. Assegura uma ótima resolução de imagem e cor, sem distorção no comprimento do cabo.

2º – Cabo VGA/VGA para PC, TV LED e Projetor

Cabo VGA de 15 pinos, com conectores machos em ambas as extremidades. Ideal para conexão em qualquer equipamento de vídeo, com transmissão em sinal de qualidade.

Possui filtro interno para redução de interferências e manutenção de um sinal limpo entre equipamentos. Compatível até mesmo com telas LCD. Possui 3m de comprimento.

3º – Cabo VGA com Filtro contra Interferências Exbom

Cabo VGA com 15 pinos em níquel, conexão macho x macho. Ideal para transmissão de vídeo em qualquer tipo de telas, possui filtro contra interferência do sinal.

Seus conectores são de metal inoxidável, garantindo durabilidade e resistência mesmo em ambientes costeiros. O revestimento emborrachado de alta qualidade também assegura a longevidade do cabo.

Bônus: Cabo Adaptador VGA Plus Cable

Adaptador de VGA para HDMI, bastante versátil. Permite a exibição de conteúdos em vídeo de qualquer notebook ou computador com saída VGA para aparelhos mais recentes.

Possui suporte a resolução máxima de 1920 x 1280, sendo bastante fácil de usar graças à tecnologia plug and play. Adaptador em conformidade com a especificação DisplayPoty 1.1a.

Permite o uso de cabos com maior alcance entre a fonte e o monitor, sem redução na qualidade da imagem. O sistema funciona com um engate HDMI e um VGA fêmea, para colocação do macho.

Guia de Compra

Apesar de serem muito menos utilizados hoje em dia do que eram há alguns anos, os cabos VGA seguem sendo importantes no mundo da tecnologia e dos vídeos. Eles parecem todos iguais, mas há diferenças que você precisa levar em conta na hora de comprar o seu.

Confira quais são elas neste Guia de Compra.

Cabo VGA: Qual seu uso e aplicação?

Vamos começar pelo começo. VGA é a sigla para “Vídeo Graphics Array”, um cabo de conexão analógica (falaremos um pouco mais sobre isso) que tinha como finalidade conectar a CPU ao monitor.

A partir daí, passou a integrar equipamentos como televisores e projetores, qualquer coisa capaz de reproduzir imagens. Muito utilizado a partir dos anos 90, se popularizou de tal forma que ainda hoje é fabricado pelo mundo.

Vai dizer que nunca percebeu uma entrada “cheia de pontinhos num fundo azul” atrás de sua televisão? Ou de um projetor? Que nunca notou os grossos cabos com pontas retangulares e fundo azul?

Imagem em close de uma entrada para cabo VGA.

Saídas VGA são ainda comuns em diversos equipamentos, com características bem específicas no comparativo com outras tecnologias. (Fonte: PublicDomainPictures / Pixabay)

Vamos identificar? Observe o equipamento que está utilizando (ignore smartphones, um VGA não caberia). Se o seu conector tiver pequenos parafusos ao lado do conector, giráveis com os dedos… Se tiver quinze furos ou quinze pontinhos em três linhas de cinco, parabéns! Você tem um VGA.

Mas isso não é ruim! A tecnologia foi evoluindo com o tempo, e a capacidade de transmissão do VGA hoje permite até mesmo a resolução de alta definição. Além disso, são encontrados em metragens que variam de simples unidade até dezenas de metros.

Por cerca de 20 anos este padrão de transmissão reinou absoluto no mercado. Até que vieram tecnologias digitais, com outros padrões, roubando o lugar do VGA com novas siglas como DVI e HDMI.

Ainda sim, o padrão VGA pode ser encontrado em muitos equipamentos, o que torna necessário manter um cabo VGA por perto. Até porque, existem adaptadores da tecnologia atual para esta. Sem problemas, apenas soluções.

Como funciona um cabo VGA?

Dotados de uma característica bem diferenciada, os cabos VGA podem ter dois tipos de conexão: “macho” e “fêmea”. Isso se deve pela estrutura de encaixe, repleta de pinos fino que precisam ajustar perfeitamente.

Por este motivo, umas das extremidades do encaixe terá os pinos, sendo chamada de macho. Já o local de encaixe, uma parte saliente com furos na mesma quantidade dos pinos, é chamada de fêmea.

Ao total são 15 conectores (ou pinos). E cada um deles tem função distinta. O primeiro pino serve para transferir uma cor, o segundo e o terceiro para outra. A informação segue para todos os 15.

Imagem das conexões de um cabo VGA fêmea e um macho, respectivamente.

Com conectores distintos, sendo geralmente o cabo aquele com pinos, ou “macho”, os cabos VGA são facilmente identificáveis. (Fonte: OpenClipart-Vectors / Pixabay)

Portanto, quando um deles for danificado, algo se perderá na imagem, ou ela não se formará. É importante tomar muito cuidado com as extremidades do macho, protegendo-a bem. Da mesma forma, por ser um cabo de transmissão analógico (o sinal precisa ser interpretado), a qualidade do cabo, dos pinos, e interferências magnéticas podem prejudicá-lo.

Um cabo VGA costuma ter duas extremidades iguais, e geralmente masculinas. Da mesma forma, existem adaptadores de conexão VGA para outras mais atuais, como HDMI ou DVI.

O conector foi tão bem aceito no mercado, que praticamente todo equipamento de vídeo passou a ter uma entrada VGA. Tal medida favorecia o uso do mesmo numa conexão com um computador ou notebook.

Mesmo hoje, alguns produtos continuam sendo fabricados com este tipo de entrada, para cabos VGA. O objetivo é continuarem sendo compatíveis com outros equipamentos já existentes no mercado e na casa do consumidor.

Contudo, devido as características do sinal analógico e da transmissão de imagem, cada aparelho poderá mostrar uma imagem diferente. Marcas ou modelos poderão apresentar diferença de resolução, cor e tempo de resposta. Mas isso não diz respeito ao VGA, e sim à capacidade “nativa” do produto.

Um cabo VGA transmite imagens de qualquer definição?

Se não esclarecemos bem para você, agora deixaremos em alta definição. Um cabo VGA é um padrão de transmissão de imagem. E não é o único. Atualmente, tecnologias de transmissão como a DVI e a HDMI vem substituindo a VGA em praticamente todos os equipamentos “top de linha”. E não é sem razão.

Durante muito tempo o padrão VGA foi capaz de acompanhar as evoluções tecnológicas. Até meados de 2000, precisamente, quando foram lançadas outras tecnologias.

Digitais e com maior potencial de envio, essas tecnologias permitem ao utilizar resoluções que ultrapassam o Full HD (1920 x 1080 pixels) e não sofrem interferências tanto quanto o cabo VGA na transmissão.

Poderíamos até colocar um quadro comparativo, mas a verdade é esta: O padrão VGA está fadado a desativação, é apenas uma questão de tempo. Quando o último produto utilizando este formato pifar, ele se extinguirá.

No entanto, esse dia parece ainda um pouco distante. Ainda existem milhões de pessoas utilizando conexões em VGA no mundo inteiro. Para esses casos, é bom ter seu cabo VGA em casa. Vamos comprar a conexão VGA às outras mais modernas?

Conversores VGA: O que são e para que servem?

Muito tempo no mercado. Produto de qualidade e bastante popular. Claro que ele não ficaria simplesmente de lado. Adaptadores do padrão VGA para outros mais novos ainda seguem permitindo a sobrevida do produto.

Desta forma, ter um cabo VGA e apenas um aparelho com saída ou entrada VGA não é um problema. Com um adaptador específico você pode conectar este cabo em outras tecnologias.

Isso não vai transformar o sinal, melhorando-o ou coisa do tipo, só o tornará interpretável para aquele equipamento. Se for de uma baixa qualidade, continuará sendo, e o contrário também é verdade.

Os conversores mais comuns são de VGA para HDMI (os cabinhos parecidos com USB, muito populares), e de VGA para DVI. Este último, um padrão de pontas e macho e fêmea muito parecido com seu primo mais velho.

Quanto custa?

Essa é uma tecnologia mais antiga, e totalmente difundida no mundo. Por este motivo, você pode encontrar cabos VGA em valores abaixo dos R$ 20. Quantias bem menores do que outros cabos com tecnologia mais atual.

E mesmo assim, dependendo do uso, a recomendação é ficar no VGA mesmo, pela relação custo benefício.

Você vai encontrar também produtos em valores bem superiores a este, devido a alguma especificação. Redutores de “ruído” no sinal, conectores banhados a ouro. Estes melhoramentos podem fazer com que o produto ultrapasse a centena de reais.

Onde comprar?

Este tipo de equipamento é bastante comum, e a tecnologia já é bem rodada no mercado. Certamente em qualquer loja de eletrônicos ele pode ser encontrado, bem como nas lojas de departamento.

Uma loja de informática irá ajudá-lo com principalmente com os adaptadores, caso você necessite, ou mesmo com a conexão em Y.

Uma opção sempre interessante é a pesquisa e aquisição pela internet. Você pode escolher em lojas de renome como a Amazon, que irão entregar na comodidade de sua casa, após a escolha do produto certo.

Critérios de compra: O que levar em conta ao escolher um cabo VGA?

Por mais que seja apenas um cabo para transmissão de imagens, existem algumas dicas que podem ser úteis para sua aquisição. Nem todo o cabo conta com a mesma tecnologia ou possui os mesmos “acessórios”.

Se você chegou até aqui, vamos passar as últimas dicas sobre o que você deve prestar atenção antes de adquirir um cabo VGA:

  • Comprimento
  • Material
  • Revestimento
  • Blindado

Confira o que deve ser levado em conta em cada um desses itens:

Comprimento

Graças a tecnologia analógica do equipamento, um cabo VGA tende a sofrer perdas de sinal. E isso é mais significativo conforme a extensão do cabo.

Isso significa, portanto, que há uma taxa de perda pelo comprimento, que aumenta proporcionalmente. Portanto, se você pretende realizar conexões próximas, é um erro a aquisição de um cabo com grande extensão.

Mesmo que o cabo fique enrolado, o sinal precisará percorrer toda a extensão, e poderá sofrer algumas perdas. Talvez pouco significantes, mas não será capaz de transmitir em toda sua potencialidade.

Mas, se você precisa conectar uma entrada e uma saída de vídeo muito distantes, existem cabos VGA de até 50 metros de comprimento.

Material

Você deve saber que cada material possui uma resistência de “transmissão”. Quando falamos em transmitir, estamos basicamente falando de uma corrente elétrica sobre um material metálico.

Diferentes metais tem diferentes resistências para transmissão de “energia”/”dados”. Por exemplo, o ouro é um dos metais mais receptivos, devido a sua baixa resistência. Mas o alto preço impede este tipo de fabricação. Por isso, fabricantes partem para outros materiais, como o cobre.

Contudo, existem cabos VGA com conectores banhados a ouro, garantindo uma melhor relação de transmissão do sinal. Vale lembrar que tais medidas permitem um pequeno incremento, que pode ou não ser significativo, conforme a necessidade do uso. Convém conhecer exatamente sua necessidade antes de qualquer aquisição.

Revestimento

Você pode encontrar as extremidades do cabo VGA revestidas ou não. Normalmente a parte do conector é fabricada de metal. É muito comum que essa parte receba um revestimento emborrachado, em diferentes cores, sendo preto e azul as mais comuns.

Porém, alguns modelos desse cabo não recebem esse revestimento, ficando com essa parte de metal exposta. Mas não se preocupe, ele é totalmente seguro. Cabe a você escolher o tipo que mais lhe agrada e oferece conforto.

Blindado

Outro ponto a ser observado é se o cabo VGA é blindado ou não. Os blindados, geralmente mais caros por oferecem uma qualidade superior, são indicados para monitores em LCD, LED ou plasma.

Por possuem um sistema diferente que protege os fios de possíveis interferências, o cabo VGA blindado garante uma qualidade de imagem e som muito melhor.

(Fonte da imagem destacada: PublicDomainPictures / Pixabay)

Avalie esse artigo

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
35 Voto(s), Média: 5,00 de 5
Loading...