Imagem mostra em detalhe o sistema de câmbio de uma bicicleta.
Ultima atualização: 6 de junho de 2020

Como escolhemos

14Produtos analisados

18Horas investidas

4Estudos avaliados

59Comentários coletados

Bem-vindo ao ReviewBox Brasil! O assunto do artigo de hoje é câmbio de bicicleta. Se você precisa adquirir um novo, ou se está simplesmente pensando em fazer uma troca por um modelo mais moderno, encontrará aqui todas as informações que precisa para acertar na compra!

Bicicletas com marchas facilitam pedaladas para todos os tipos de pessoas: Até mesmo aquelas que as usam apenas como hobby têm a ganhar! Existem muitas variações de câmbios dentro desses modelos e é preciso um pouco de conhecimento para tornar suas jornadas muito mais confortáveis!




Primeiro, o mais importante

  • O sistema de marchas de uma bicicleta torna as pedaladas muito mais fáceis. Seja na cidade, seja na ladeira, você sentirá muito mais conforto enquanto realiza essa atividade.
  • Há câmbios dianteiros e traseiros para bicicletas. O número total de marchas é atingido quando se multiplica o número de velocidades de cada um dos dois.
  • Caso você queira melhorar o sistema de marchas original de sua bicicleta, precisará trocar várias outras peças além do câmbio. Provavelmente será necessário contar com ajuda profissional.

Você também pode gostar:

Os melhores câmbios de bicicleta: Nossas recomendações

Confuso com a quantidade de opções de câmbio de bicicleta que o mercado te oferece? Não se preocupe! Nós fizemos uma seleção de alguns dos modelos mais impressionantes disponíveis!

Um câmbio de bicicleta traseiro simples

A Shimano é uma das marcas mais confiáveis no nicho de ciclismo. Se você tem uma bicicleta urbana de seis ou sete velocidades, esse câmbio que proporciona trocas rápidas e precisas pode ser ideal para ela! Feito em aço, tem alta durabilidade e pesa apenas 285 gramas. A fixação é fácil, feita por parafuso.

Para quem quer trocar o kit completo

Quem quer mudar o número de marchas da bicicleta precisa substituir muitas peças. A Shimano traz também essa opção, vendendo o kit completo para 21 marchas. Ele contém câmbio traseiro, câmbio dianteiro, alavanca, corrente e roda dentada. Com tantos produtos de qualidade, suas pedaladas chegarão a um novo nível.

O câmbio para mountain bike

Praticantes de mountain bike precisam especialmente de câmbios de qualidade. É claro que a Shimano também tem essa opção. Nesse modelo, você encontra um com nove velocidades, compatível com cassetes de até trinta e seis dentes. Com ângulo de inclinação otimizado, é uma fantástica opção.

Guia de compra

Quer entender melhor como funciona um câmbio de bicicleta e saber como ele pode te ajudar na hora de pedalar? Não se preocupe!

Chegamos agora ao guia de compra, o setor responsável por responder as perguntas mais frequentes sobre o produto!

Imagem mostra uma pessoa subindo uma montanha com uma bicicleta.

O mountain bike é um dos maiores beneficiados pelo câmbio de bicicleta. (Fonte: Simon/ Pixabay.com)

Qual a função de um câmbio de bicicleta?

Não é só em veículos motorizados que existe troca de marcha. A mesma coisa ocorre em algumas bicicletas, principalmente aquelas indicadas para uso um pouco mais pesado ou frequente.

Nelas, você pode tornar a pedalada em uma ladeira ou montanha mais simples ao colocar uma marcha mais indicada. O funcionamento é similar ao que acontece em um carro, com as primeiras marchas servindo para a saída e para velocidades baixas, e superiores indicadas para um movimento estabelecido.

O câmbio de bicicleta funciona também da mesma forma que o de um automóvel: É ele que permitirá a mudança de marcha. Existem algumas diferenciações entre os tipos de câmbios e falaremos sobre elas mais adiante.

foco

Você sabia que bicicletas com marcha já são bastante antigas? O primeiro modelo comercializado no Brasil, por exemplo, surgiu em 1972. Tratava-se da Calói 10, que fez tanto sucesso que quase virou sinônimo desse tipo de produto em nosso país!

Quais as vantagens de ter um câmbio de bicicleta?

Se você está pensando em comprar uma bicicleta com ou sem marchas ou se está considerando trocar seus câmbios atuais por melhores, a grande questão a ser respondida é sobre as vantagens e desvantagens proporcionadas por essas funções extras.

Uma boa bicicleta com marchas torna o ato de pedalar muito mais confortável. Com ela, você tem um total domínio sobre a velocidade e o esforço feito. Até mesmo situações claras que envolvem o imaginário desse meio de transporte, como empurrá-lo na ladeira, deixam de existir.

Quanto maior o número de marchas, maior o controle sobre a bicicleta e maior o preço. Também pode ser preciso ter uma experiência maior com as pedaladas, já que o entendimento de quando é a hora para colocar cada marcha se tornará mais fundamental.

Preparamos uma tabela com as principais vantagens e desvantagens de uma boa bicicleta com câmbio!

Vantagens
  • Proporciona muito mais conforto à pedalada
  • O controle de velocidade torna-se mais fácil
  • É possível pedalar com facilidade até em ladeiras
  • Há maior robustez e resistência nas rodas
Desvantagens
  • Quanto mais marchas, maior o preço
  • Uma bicicleta com muitas marchas requer mais experiência

Quais as diferenças entre câmbio dianteiro e traseiro?

Para entender perfeitamente o funcionamento do sistema de marchas de uma bicicleta, é preciso conhecer três de suas peças mais importantes: Passadores, câmbios dianteiros e câmbios traseiros.

  • Passadores: Fazem a mesma função que os câmbios dos automóveis, ou seja, são as alavancas que servem para passar as marchas. Os para o câmbio traseiro ficam no lado direito do guidão, enquanto os para o câmbio dianteiro ficam do lado esquerdo.
  • Câmbio traseiro: Também chamado de “macaquinho”, fica preso à roda traseira. Quando acionado pelo passador, tensiona a corrente e faz com que ela se mova pelas engrenagens, modificando a marcha. Os modelos mais comuns costumam ter entre sete e nove velocidades.
  • Câmbio dianteiro: Mais simples e menos importante que o traseiro, costuma ter entre uma e quatro velocidades. Fica na roda dianteira e faz a mudança de engrenagem quando é acionada pelo passador.

É mais importante contar com um câmbio traseiro do que com um dianteiro. Isso é o que acontece nos modelos mais simples de bicicletas com marchas, que já permitem um bom controle de velocidade.

Quais os números de marchas mais comuns em bicicletas?

O número de marchas de uma bicicleta consiste na multiplicação da quantidade de velocidades do câmbio traseiro pelo dianteiro. Por exemplo, sete atrás e três na frente consiste em um modelo com 21 marchas.

Vale lembrar que, caso você queira fazer uma troca na quantidade de marchas de sua bicicleta, não basta mudar apenas o câmbio. Todo o sistema precisará ser substituído, o que também inclui passadores, correntes, cassetes, cubos traseiros, entre outros.

Quanto maior o número de marchas, mais suaves são as passagens. Você sente menos a transição de uma velocidade para outra e tem a opção de controlar melhor qual será a resistência dos pedais, ou seja, se sua pedalada será mais “leve” ou não.

Confira abaixo a tabela que montamos com alguns dos números de marchas mais comuns e para quem eles são recomendados:

Número de marchas Recomendações
1 a 3 (Modelos apenas com câmbio frontal) Uso eventual dentro das cidades
7 a 9 (Modelos apenas com câmbio traseiro) Uso mais avançado dentro das cidades
Entre 11 e 20 Bicicleta urbana com eventuais trilhas ou ladeiras mais duras
Entre 28 e 34 Ideal para Mountain Bike
Acima de 30 marchas Cicloturismo, viagens longas por variados terrenos

Quando trocar o câmbio de uma bicicleta?

Existem dois motivos principais para uma troca de câmbio: Ou por melhoria, buscando um desempenho superior sem precisar comprar um nova bicicleta, ou pelo fato do original ter apresentado problemas.

A troca do câmbio por problemas deve ser simples e acontecer a partir da aquisição de um novo modelo similar. Nesse caso, não deve haver maiores complicações.

Se o desejo é uma troca por um modelo diferente, com um número superior de marchas, será necessário substituir também diversos outros componentes, como já mencionamos. Nesse caso, você deve procurar por ajuda profissional.

Como usar um câmbio de bicicleta?

O uso de um câmbio de bicicleta é simples em um primeiro momento: Basta manusear os passadores, que estão em cada um dos dois lados do guidão.

As primeiras marchas são mais indicadas para subidas e terrenos acidentados.

Porém, é preciso experiência para saber quais são as marchas corretas. As primeiras, por exemplo, servem para subidas e terrenos acidentados. Elas dão maior estabilidade e facilidade para as pedaladas. Quanto mais se avança, mais se encontra opções para manter uma velocidade elevada.

As marchas sempre devem ser trocadas com a bicicleta em movimento. Quanto maior o número, menos a passagem será sentida. Com tempo de uso e experiência, você aprenderá exatamente qual tipo prefere em cada situação e terá total domínio das pedaladas!

Quanto custa e onde comprar um câmbio de bicicleta?

Você poderá encontrar câmbios de bicicleta com uma grande variação de valores. Os modelos mais simples, com menos marchas e sem peças adicionais, podem ficar na faixa de R$ 30. Outros com itens complementares chegam até perto de R$ 250.

Lojas especializadas em bicicletas são boas opções para comprar um câmbio de bicicleta. Porém, nós recomendamos a compra pela internet. A Amazon brasileira oferece vários ótimos modelos. Também é possível conferir Amazon internacional e Mercado Livre.

Critérios de compra: Fatores para a escolha de um câmbio de bicicleta

Caso você vá substituir um modelo original de câmbio por um similar, já sabe o que precisa comprar. Mas se quer um sistema totalmente novo, precisa escolher o melhor. Por isso, selecionamos critérios técnicos para te ajudar!

A seguir, discutiremos cada um deles:

Material

Alguns câmbios de bicicleta são feitos de plástico, um material bastante barato, mas que não oferece muita resistência. Você deve optar por um deles apenas caso queira economizar bastante.

Dentre os melhores materiais para câmbios de bicicleta, estão o aço, muito resistente, a fibra de vidro e a fibra de carbono. As duas últimas são as que oferecem as melhores condições, mas isso também se reflete no preço.

Imagem mostra um sistema de câmbio de uma bicicleta.

Opte por um sistema de câmbio durável e resistente. (Fonte: lppicture/ Pixabay.com)

Itens extras

Se você está trocando o câmbio de sua bicicleta por um com mais marchas, precisará não apenas substituir essa peça, como também muitas outras. Quase todos os componentes que controlam a velocidade irão sofrer alterações.

Comprar um kit com todos os itens necessários melhora o custo-benefício.

Haverá muita facilidade se você optar por um kit completo, que já te entrega não só câmbio, mas também todos os demais itens que você irá precisar. Não só o custo-benefício se tornará superior, como a dor de cabeça de procurar item por item também desaparecerá.

Conheça tudo o que é necessário para fazer a troca de câmbio e encontre um kit já pronto, que ofereça alavanca, roda dentada, corrente e todos os demais itens!

Forma de fixação

Alguns câmbios são bastante simples de serem instalados em sua bicicleta: Basta parafusá-los. Outros precisam de mecanismos mais complexos e de ferramentas que talvez você nem tenha em casa. Leia nas especificações técnicas do produto qual é a forma de fixação!

Isso vale não só para o câmbio, como para todas as peças do kit. Caso você faça uma operação mais complexa, substituindo diversos componentes, só não precisará de ajuda profissional se entender muito de bicicletas ou tiver um grande conhecimento mecânico.

Compatibilidade

A primeira questão óbvia de compatibilidade é que o câmbio precisa combinar com a corrente, a roda dentada e as demais partes do sistema. Não é só isso: Há uma ampla rede de componentes de uma bicicleta que precisam ter bom encaixe para um desempenho aceitável.

Você sempre precisará entender como câmbio dianteiro e traseiro se relacionam, como suas velocidades combinam, como pode aproveitar ao máximo o seu sistema e fazer com que ele renda bem. Assim, não só terá facilidade de montagem, como depois extrairá o melhor da bicicleta.

(Fonte da imagem destacada: steinchen/ Pixabay.com)

Por que você pode confiar em nós?

Andressa Rodrigues Coach de Crossfit
O ciclismo reinava absoluto no coração de Andressa até que ela conheceu o Crossfit. Não, ela não largou completamente a bike por burpees e push-ups, mas agora divide a atenção entre as duas modalidades. Colecionando medalhas e troféus tanto pedalando quanto completando WODs, ela também quer compartilhar seu conhecimento nas duas atividades na internet.
Carlos Massari Jornalista
Jornalista especializado em esportes e podcaster. Apaixonado por cinema, literatura e artes em geral. Curioso nato, pesquisa e escreve sobre diversas áreas, principalmente tecnologia, ferramentas, artigos esportivos e objetos que tornam a vida e o cotidiano mais fáceis.