Imagem mostra um par de pernas, com recorte abaixo do joelho. As canelas são cobertas por meiões com uma clara distinção do volume da caneleira. Os pés calçam chuteiras pretas; o pé direito domina uma bola de futebol com a sola.
Ultima atualização: 12 de fevereiro de 2020

Como escolhemos

13Produtos analisados

17Horas investidas

3Estudos avaliados

99Comentários coletados

Olá, seja bem vindo ao ReviewBox Brasil! Hoje vamos falar tudo sobre a caneleira de futebol, um acessório discreto, mas um dos maiores aliados dos boleiros nas horas difíceis.

A caneleira é o “sistema de segurança” de quem joga futebol, independente do nível, da seriedade e da frequência das partidas. Com desenvolvimento de novas tecnologias no esporte, o produto tornou-se mais leve e ainda mais eficiente na proteção contra pancadas e impactos.

Assim como acontece com as chuteiras, existe uma variedade de modelos de caneleira de futebol. Neste artigo, vamos te ajudar a escolher o ideal para você e para seu jogo, mostrando os melhores do mercado, suas vantagens e desvantagens, além de lembrar de critérios úteis para a hora da compra.




Primeiro, o mais importante

  • Existem caneleiras de proteção simples, com elástico e com tornozeleira.
  • Há um tamanho certo de caneleira para cada altura, de PP à 2GG.
  • Seu preço varia de R$ 15 a R$ 60, dependendo do seu tipo, tamanho e material, principalmente.

Você também pode gostar:

Ranking: Os 3 melhores modelos de caneleira de futebol

Listamos abaixo os melhores modelos de caneleira do mercado, levando em consideração seu material e suas tecnologias, de fixação e de proteção – fora o seu custo-benefício.

1º – Caneleira de Futebol com Tornozeleira Matís VIII – Penalty

O modelo da Penalty combina segurança, tecnologia e um visual interessante. Com um casquilho resistente, tem uma proteção extra por conta do preenchimento em EVA, além da tornozeleira.

A tornozeleira, inclusive, possui sistema de ajuste por velcro, em coerência com seu design ergonômico.

2º – Caneleira de Futebol Attak – Umbro

A caneleira da Umbro é ótima para aquele futebol de fim de semana. Isso porque conta com a proteção de um casquilho de polipropileno e enchimento de EVA. Possui detalhes vazados, para dar conforto e respiro ao modelo.

O modelo Attak não leva tornozeleira, mas tem tiras de velcro para fixação, além de ser bastante compacta.

3º – Caneleira de Futebol com Tornozeleira F40 – Spoart

O modelo da Spoart oferece uma proteção séria e reforçada por um preço baixo. Possui tornozeleira e tiras elásticas, combinadas num visual simples e sóbrio. Seu casquilho é seguro e resistente, 65% polipropileno e 35% EVA.

Guia de Compra

A caneleira é tão importante para o futebol que é obrigatória para a sua prática profissional há quase 30 anos. Ela protege uma área muito sensível e delicada da perna e fornece a segurança para bater uma bola ou mesmo competir sem preocupação.

No Guia de Compra a seguir, vamos apresentar as principais variações da caneleira, elencar seus prós e contras, mostrar sua importância e ainda como escolher o número certo.

Imagem mostra dois rapazes jogando bola, adversários, lado a lado. A bola está no alto, enquanto há um contato do pé do jogador da direita na canela do jogador da esquerda.

A caneleira é obrigatória entre os profissionais, mas essencial em qualquer partida deste esporte de contato que é o futebol. (Fonte: Pixabay from Pexels / Canva)

O que é e quando surgiu a caneleira de futebol?

Basicamente, a caneleira é um acessório no futebol feito para proteger, como o nome diz, a canela. A tíbia (osso) é muito exposta nesta região e a pele que a cobre, além de fina, é bastante sensitiva.

O produto então reforça essa membrana, com uma parte interna acolchoada e côncava, para acompanhar o formato da perna, e com a parte externa – o “casquilho” – rígida, para dispersar a energia dos possíveis e prováveis impactos da região.

A caneleira surgiu no futebol no final do século XIX, mas só começou a tomar a forma de hoje em 1925, com a forma côncava, e só em 1950 que elas passaram a ser feitas em materiais plásticos.

Ainda assim, eram pesadas, rígidas, pouco práticas. Os jogadores profissionais não gostavam. Mas em 1990, a FIFA, a entidade máxima do futebol, tornou o seu uso obrigatório, para alegria dos fisiologistas e massagistas dos clubes.

O uso no profissional expandiu a caneleira mercadologicamente falando, e logo o produto passou a fazer parte da lista de acessórios de futebol a serem comprados pelos boleiros e boleiras mundo afora.

Quais as vantagens e desvantagens da caneleira de futebol?

A principal vantagem da caneleira é obviamente a proteção que oferece à parte do corpo que lhe dá o nome, tanto da dor das pancadas e impactos como de seus posteriores inchaços e rouxidões.

Assim, o acessório passa uma sensação de segurança ao jogador, de poder entrar em divididas, proteger a bola, etc, sem medo ou preocupação excessiva, impactando em seu desempenho e performance.

Por fim, as caneleiras mais modernas com fixação do tornozelo até previnem, em um grau menor, algumas lesões – uma grande vantagem, convenhamos.

Imagem mostra um jogador caído no gramado, de barriga para cima e pernas recolhidas. Uma de suas mãos está sobre o seu rosto, enquanto a outra segura a canela de sua perna direita.

A caneleira previne lesões mais leves, mas principalmente, protege o jogador de fortes dores. (Fonte: Pixabay from Pexels / Canva)

Por outro lado, as caneleiras ainda são um tanto desconfortáveis para usar, apertando demais as pernas ou mesmo por serem um volume “externo” à perna, o que pode causar estranhamento.

Outra desvantagem é o seu ajuste pouco prático. Para colocar a caneleira (pelo menos os modelos com tiras elásticas e de velcro) é necessário colocar o meião corretamente também, as vezes até reforçar sua fixação com uma fita, enfim, um “empecilho”, antes da prática esportiva.

Mesmo nos modelos mais simples, sem tiras ou tornozeleiras, ela pode ser um inconveniente, escorregando pela perna durante o jogo ou mesmo caindo do meião, precisando ser ajustado a toda hora.

Vantagens
  • Proteção à canela
  • Sensação de segurança
  • Prevenção de lesões menores
Desvantagens
  • Desconfortáveis
  • Ajuste pouco prático
  • Inconveniente durante partidas

Simples, tiras elásticas, ou com tornozeleira?

Hoje, a principal diferenciação entre os modelos de caneleira de futebol está em seu mecanismo de fixação, ou mesmo a falta dele. Assim, temos três grandes tipos do produto presentes no mercado: as caneleiras simples, com tiras elásticas e/ou com tornozeleiras.

A simples não leva qualquer mecanismo de fixação. Contém apenas o casquilho reforçado e o acolchoamento, e costumam a ser um pouco menores, a serem posicionadas bem acima da parte mais proeminente da canela.

É o modelo mais confortável, por poder ser posicionado livremente e fixado de acordo com a preferência de seu usuário. Por isso, de duas uma: ou dá mais trabalho antes de jogar, na sua “instalação”, ou durante o jogo, precisando ser constantemente ajustada.

Imagem de caneleira simples preta e vermelha.

Existem caneleiras simples e outras com fixação. (Fonte: Micheal0424 / Pixabay)

Os modelos de tira elástica podem ser maiores que os simples, mas são sempre mais tranquilos para serem “instalados”, bastando ajustar suas tiras na parte traseira da perna.

O que essa variedade ganha em praticidade, perde em conforto. Tiras largas demais ou curtas demais, frouxas demais ou apertadas demais, todos são casos comuns e costumam atrapalhar os jogadores.

As caneleiras com tornozeleiras são de longe as mais seguras, não só protegendo sua perna de pancadas como seus ligamentos inferiores de torções e rompimentos, ao sustentar a flexibilidade dos tornozelos.

Por conta disso, são relativamente tranquilas para serem posicionadas e não costumam a precisar de muitos ajustes durante o jogo. O contraponto é que o alcance de cada tamanho dos modelos é menor, já que têm seus “movimentos” limitados pela tornozeleira.

Simples Tira Tornozeleira
Fixação Média Alta Alta
Praticidade Média Média Baixa

Dois meiões, fita ou elástico: qual a melhor maneira de fixar a caneleira?

Trazemos aqui três dicas valiosas para uma fixação complementar da sua caneleira, independente do modelo. A primeira é o uso de dois meiões, ou uma meia alta e um meião.

Para dar uma reforçada na posição do seu modelo, mas sem apertar muito a região onde ele fica, você pode usar dois meiões. Coloque o primeiro meião, que também pode ser uma meia alta, para depois posicionar a caneleira, por baixo dele; por fim, coloque o segundo meião, para sustentar.

O elástico é como uma tornozeleira, mas para a região da tíbia. Ele serve como a primeira meia do procedimento anterior, mas sem aumentar o volume dentro da chuteira como uma meia, porém com uma aperto um pouco maior na perna.

A fita é um artifício muito usado por profissionais, podendo ser uma fita elástica, adesiva ou os dois. É a maneira em que há maior fixação, ao mesmo tempo que é mais apertada. Ela costuma a ser colocada por cima do meião, em volta do centro da caneleira.

Quanto custa?

A caneleira de futebol não tem uma gama de preços muito grande. Os modelos mais baratos custam em torno de R$ 15, enquanto os mais caros podem ser encontrados por até R$ 60.

O material obviamente faz diferença, com a leveza e a resistência sendo proporcionais ao valor do modelo, isto é, quanto mais leve e resistente, mais caro. Tecnologias mais avançadas de fixação e absorção de impacto também são preponderantes para o aumento do preço.

Onde comprar?

Grandes lojas físicas de esportes como a Centauro e a Decathlon oferecem uma boa variedade de modelos e contam ainda com vendedores especializados – e as melhores marcas, claro.

Para uma maior variedade não só de modelos, mas de preços, lojas online como a Amazon, o Mercado Livre, Netshoes, entre outras, são uma melhor pedida, contando ainda com o conforto da compra direto de sua casa.

Critérios de compra: Fatores para escolher a caneleira ideal

A seguir, elencamos aspectos e características da caneleira de futebol, assim como alguns pontos relevantes de seu uso. Eles podem ser critérios de escolha interessantes na hora da compra:

  • Sua partida
  • Tamanho
  • Altura do meião
  • Posição e estilo de jogo

Vamos então falar sobre cada um destes aspectos, para que sua compra seja a mais precisa possível.

Sua partida

É valioso saber o tipo de partida que você costuma a disputar, pois o nível de competitividade vai dizer sobre quantidade (e a intensidade) das disputas e divididas que irão acontecer.

Um bate-bola leve e descontraído não precisa mais do que uma caneleira simples, para precaução; torneios e competições já pedem modelos mais reforçados, com fixação elástica ou até com tornozeleira.

Imagem mostra duas jogadoras adversárias disputando a bola durante um jogo, observadas por uma terceira jogadora, à direita.

O nível de competitividade de suas partidas aponta o tipo de proteção que você precisa ter para suas canelas. (Fonte: Jeffrey F. Lin / Unsplash)

Tamanho

O tamanho das caneleiras não é aleatório, e cada estrato (PP, M, G, etc) corresponde a uma altura certa de seu usuário, e portanto a medida da perna da pessoa. A tabela a seguir resume bem essa relação:

Tamanho Altura
PP 1 m – 1,2 m
P 1,2 m – 1,4 m
M 1,4 m – 1,6 m
G 1,6 m – 1,8 m
GG 1,8 m – 1,9 m
2GG acima de 1,9 m

Altura do meião

Outro critério que pode te ajudar é a altura em que você gosta de deixar o seu meião. Não há um modelo certo para cada altura, mas uma melhor adaptação em cada tipo.

Meiões mais baixos, por exemplo, se dão melhor com caneleiras simples; na altura média, modelos com tiras elásticas costumam a ficar bem posicionados; meiões altos dão a sustentação máxima e dão espaço para as caneleiras com tornozeleiras.

Imagem mostra em close o chute do goleiro para a reposição de um tiro de meta. Ele ataca a bola com o pé esquerdo, deixando em evidência o volume protuberante de sua caneleira.

O encaixe entre caneleira e meião dita principalmente o conforto no uso do modelo. (Fonte: Pixabay from Pexels / Canva)

Posição e estilo de jogo

Mesmo que você não seja um profissional, você tem uma posição em que joga melhor e um estilo de jogo próprio, seja mais veloz, mais passador, até mais enérgico, digamos.

E cada um desses posicionamentos e estilos pode se beneficiar de alguma caneleira específica. Defensores, por exemplo, com muitos saltos e divididas, se dão bem com modelos de tira elástica, bem fixados.

Imagem mostra um jogador deitado no chão, controlando a bola entre seu pé direito e sua canela.

O avanço no desenho das caneleiras as deixou melhor adaptadas para diferentes estilos de jogo, mas também para deixar os jogadores mais à vontade. (Fonte: Jhan Castillón / Unsplash)

Meio campistas e passadores se livram mais rápido da bola e giram bastante, precisando de bastante agilidade no movimento das pernas. Uma caneleira simples bem colocada vem bem a calhar.

Por fim, atacantes, velocistas e dribladores, com muitas mudanças de direção (e muitas pancadas na canela), se casam bem com os modelos com tornozeleira, para sustentar seus movimentos e proteger dos constantes “carinhos” dos marcadores.

(Fonte da imagem destacada: Hal Gatewood / Unsplash)

Por que você pode confiar em mim?

Lucas Ayres Jornalista
Fanático por esportes e apaixonado por música, vive antenado às novas tecnologias e tendências da moda masculina. Escreve sobre os produtos que orbitam nesses assuntos, e outros que deixam a casa e o dia a dia mais fácil, prático e, além de tudo, saudável.