Vários capacetes com aba frontal guardados um ao lado do outro na parede de um container.
Ultima atualização: 27 de março de 2020

Como escolhemos

9Produtos analisados

17Horas investidas

3Estudos avaliados

73Comentários coletados

Bem-vindo ao ReviewBox Brasil. Hoje vamos falar sobre quais são os melhores modelos de capacete com aba frontal que estão disponíveis nas lojas. Vamos explicar quais são as diferenças entre os principais produtos e o que você não pode deixar de prestar atenção.

Acidentes de trabalho são comuns. Diariamente eles ocorrem em obras e construções de todo o Brasil. Para evitar qualquer risco ao trabalhador, é fundamental a utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). O capacete com aba frontal é um deles.

Apesar de todos os EPIs serem importantes, o capacete se destaca, pois, a cabeça é uma área bastante exposta, principalmente em canteiros de obra da construção civil. Nesses ambientes, a queda de materiais pode causar impactos e ferimentos. Continue lendo e saiba as diferenças entre os principais modelos.




Primeiro, o mais importante

  • O capacete com aba frontal é dividido em duas classes A e B. Caso haja o trabalho com energia elétrica, o ideal é utilizar o tipo B.
  • De acordo com diversas normas, o uso do capacete é obrigatório durante a execução do trabalho, e os profissionais devem receber o equipamento de seus empregadores.
  • Capacetes com aba frontal custam entre R$ 7 e R$ 50.

Você também pode gostar:

Melhores capacetes com aba frontal: Nossas recomendações

Vamos apresentar agora os melhores modelos de capacetes de aba frontal. Todas as principais características do produto foram levadas em conta para chegar nessa lista. Entre os pontos que devem ser notados estão: a qualidade do material e também o conforto na hora do uso.

Guia de Compra

Em canteiros de obras ou então dentro de fábricas, o uso de equipamentos de proteção é obrigatório por lei. Isso ocorre para garantir que o trabalhador possa exercer sua atividade com segurança.

O capacete de segurança, como um desses itens, deve ser comprado seguindo padrões bem definidos. Além disso, é importante que o equipamento seja adequado para o local de trabalho. Neste Guia de Compra, vamos falar o que você tem que levar em consideração na hora de escolher qual modelo levar.

Dois homens com capacetes com aba frontal lendo um papel.

Uso de capacete com aba frontal é fundamental em fábricas e indústrias. (Fonte: Anamul Rezwan / Pexels)

O que é capacete de aba frontal?

Um capacete de aba frontal é um equipamento de proteção individual. O seu uso é obrigatório em locais de trabalho onde haja risco potencial a cabeça, rosto, ombros e pescoço do indivíduo.

Eles são essenciais para a proteção do crânio contra quedas de materiais, choques, queimaduras e perfurações. O uso ocorre em ambientes de fábrica, construção civil e eletricidade.

No Brasil, entre 2012 e 2016, houve cerca de 150 mil acidentes envolvendo a região da cabeça. Esse tipo de ocorrência é grave.

Concussões nessa parte do corpo podem causar traumatismos cranianos. Com isso, o trabalhador pode vir a ter desmaios, tontura, sonolência, problemas de memória, dor de cabeça forte entre tantos outros sintomas.

Como o objetivo é reduzir as consequências de impactos e choques, o capacete de aba frontal possui duas partes distintas.

Impactos na cabeça podem causar problemas graves para o trabalhador, o que prejudica seu rendimento e bem-estar.

A parte de fora é chamada de casco. Geralmente produzida com polietileno ou ABS de alta densidade, que são materiais fortes e resistentes. Já a parte de dentro é denominada de suspensão e conta com coroa que forma a armação interna do equipamento.

Qual é a regra da cor no capacete de segurança?

Além da função de segurança, os capacetes podem ajudar na identificação da função de cada pessoa dentro de uma obra. Não existe, no entanto, um documento oficial que estabeleça essa padronização.

Isso fica a cargo da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) de cada empresa. Em geral, é seguida a seguinte relação.

  • Cinza: Arquitetos e engenheiros;
  • Azul: Pedreiros;
  • Branco: Mestres de obras;
  • Verde: Operários e serventes
  • Vermelho: Carpinteiros
  • Laranja: Eletricistas;
  • Preto: Técnicos de segurança do trabalho
  • Marrom: Visitantes
  • Amarelo: Uso geral
Mulher com capacete com aba frontal trabalha em uma indústria.

Capacete de segurança é um EPI, equipamento de proteção individual. (Fonte: Chevanon Photography / Pexels)

Quais os diferentes tipos de capacete de segurança?

Na hora da compra, muitas pessoas podem ter dúvidas se devem adquirir um capacete com aba frontal, com aba total ou sem aba.

As três opções são desenvolvidas para o mesmo fim: proteger a cabeça e o rosto de quem utiliza o equipamento. Há, no entanto, diferenças entre esses tipos.

O capacete com aba frontal é o mais utilizado na construção civil. Ele possibilita uma boa proteção aos olhos e a todo o rosto.

Homem com capacete com aba frontal trabalha em uma obra.

Um capacete de segurança protege a cabeça contra impactos diversos. (Fonte: Yury Kim / pexels)

Já o capacete com aba total possui uma maior área de proteção. Além do impacto, ele possibilita um afastamento maior de possíveis contatos com rede elétrica. É voltado, portanto, para aqueles trabalhadores que atuam em jornadas externas e expostos a vento e chuva.

O capacete sem aba é adequado apenas para evitar impactos na cabeça. Tem formato compacto.

O que é a classe de segurança do capacete com aba frontal?

Outro ponto que merece atenção é a classe de segurança da qual o capacete que você pretende comprar faz parte. Existem duas opções: classe A e classe B.

  • Classe A: São compostos de material polipropileno de alta densidade. Em geral, possuem adaptador para lanternas. Os trabalhos em rede elétrica são contraindicados. Por outro lado, o uso é mais propício na área da construção civil e trabalhos em altura e em ambientes florestais.
  • Classe B: Contam com rigidez dielétrica e aplicação de tensão elétrica em sua composição. Dessa forma, são indicados para atividades voltadas a área que contenha fiação elétrica.

Para saber qual é o modelo ideal depende, portanto, de uma análise das condições do local de trabalho e também dos riscos aos quais o empregado estará exposto.

Como usar e conservar o capacete com aba frontal?

Como todo equipamento de proteção, o capacete com aba frontal deve ser usado de forma correta para garantir a eficiência.

A aba deve estar sempre voltada para frente. Se o uso for em locais com presença de vento, é recomendado o uso de uma fita adesiva para garantir que o equipamento fique preso.

Antes da utilização, o usuário deve analisar a presença de trincos ou fissuras. Caso existam, o objeto deve ser substituído.

Quanto à conservação, fabricantes indicam que os capacetes devem ser guardados em local arejado, sem presença de luz solar e longe de materiais corrosivos. Já a limpeza pode ser feita com sabão neutro e água.

foco

Você sabia que a Norma Regulamentadora 6 (NR-6) é uma diretriz do Ministério do trabalho que orienta sobre o uso dos EPIs?

Essa norma exige que os empregadores forneçam os equipamentos de forma gratuita para os funcionários. Além disso, eles devem estar em perfeito estado de conservação e funcionamento, limpos e funcionando.

Ainda é obrigação do empregador treinar os trabalhadores e exigir o uso. Por outro lado, os funcionários têm como dever usar os produtos adequadamente, além de guardá-los e conservá-los. Além do capacete, são considerados EPIs, entre outros: abafador de ruído, óculos de segurança, cintos, luvas e calçados.

Quanto custa?

O capacete com aba frontal custa entre R$ 7 e R$ 50. A variação de preços do produto é grande. Os capacetes com aba frontal mais caros contam com sistema de ajuste. Isso traz mais conforto ao usuário, uma vez que impede que a cabeça seja apertada.

Onde comprar?

Capacete com aba frontal pode ser comprado em lojas especializadas em segurança do trabalho e casas de material de construção, com Leroy Merlin.

Pela internet, você encontra esse tipo de produto nas principais lojas virtuais, como a Amazon, o Submarino e as Lojas Americanas.

Diversos capacetes de segurança lado a lado.

Além de ser barato, o capacete com aba frontal é fácil de encontrar. (Fonte: HONGQI ZHANG / 123rf)

Critérios de compra: Como comparar as ofertas de capacete com aba frontal

Quando você for escolher um capacete com aba frontal leve os seguintes pontos em consideração, antes de fechar a compra:

  • Encaixes da suspensão
  • Compatibilidade com o trabalho
  • Ajustes
  • Cor

Vamos falar detalhadamente sobre cada um desses itens na sequência.

Encaixe

A função do capacete é diminuir a pressão exercida na cabeça durante um impacto. Para que isso ocorra, a parte interna, conhecida como suspensão, deve se encaixar de forma perfeita.

A estrutura do equipamento tem que ser ajustada ao tamanho da cabeça do usuário. Dessa forma, o capacete consegue reter a energia dissipada no impacto, protegendo cabeça e pescoço.

Compatibilidade com o trabalho

Certifique-se que o capacete com aba frontal é adequado ao trabalho que será realizado.

No caso de funções que terão contato com a rede elétrica, é fundamental que o equipamento seja classe B, que garante a proteção contra choques, por exemplo.

 Diversos capacetes de segurança lado a lado.

Para o uso em redes elétricas, o capacete com aba frontal ideal deve ser de classe B. (Fonte: Skitterphoto / Pexels)

Ajustes

Como já dissemos, capacetes devem estar bem encaixados na cabeça do trabalhador. Por conta disso, um critério importante de compra é a possibilidade de fazer ajustes.

Produtos com essa condição podem ter uma vida útil maior e ser utilizado por mais tempo.

Cor

Você viu que embora não exista um documento oficial, é muito comum que esses capacetes sejam divididos por cores, de acordo com a função da pessoa.

Dessa forma, fica mais fácil encontrar exatamente quem você deseja no canteiro de obras. Escolha a cor do seu capacete de acordo com a sua função, como mostramos anteriormente.

(Fonte da imagem destacada: rawpixel.com / Pexels)

Por que você pode confiar em mim?

César Ferreira Formado em Engenharia Industrial
César é apaixonado por carros. Talvez tenha sido essa paixão que o levou a, desde pequeno, querer entender como as coisas funcionam. Essa curiosidade, por sua vez, lhe fez cursar Engenharia Industrial. Hoje, ele presta consultoria para pequenas e médias empresas e, nas horas vagas, deixa seu carro - e o de seus amigos - cada vez mais tecnológicos e especiais.