Imagem de cachorro preso no banco de trás por um cinto de segurança
Ultima atualização: 24 de novembro de 2019

Como escolhemos

8Produtos analisados

19Horas investidas

4Estudos avaliados

54Comentários coletados

Seja muito bem-vindo ao ReviewBox Brasil, o site onde você encontra as melhores análises de produtos para seus pets. Hoje, vamos falar sobre o cinto de segurança para cachorro e como utilizá-lo de forma segura.

Desenvolvidos para levar seu cachorro em segurança sempre que for necessário, seja para um passeio ou para uma visita ao veterinário, os cintos são essenciais. Confira nosso artigo para mais informações.




Primeiro, o mais importante

  • É essencial que o cinto de segurança esteja em conformidade com o tamanho e peso do seu cachorro.
  • O cinto não é uma segurança apenas para o pet, mas também para o condutor, impedindo distrações e acidentes.
  • Nunca utilize o cinto preso ao pescoço do cachorro, pois isso pode causar estrangulamento.

Você também pode gostar:

Melhores cintos de segurança para cachorro: Dicas da nossa redação

Atualmente existem diversos modelos e opções de cintos de segurança, cada um desenvolvido especialmente para diferentes raças e portes. Veja aqui algumas dicas que selecionamos para você:

O modelo para os donos que buscam praticidade

O cinto de segurança da Kingpet é ideal para os donos que buscam um produto dois em um, já que ela também pode ser convertida em uma guia para dois cachorros, para passeios fora do carro. Ele é feito em material 100% poliéster e mosquetão de alta qualidade, com comprimento mínimo de 94 cm e máximo de 102 cm.

A cinto de segurança para os donos mais discretos

Desenvolvido para ser usado com todo tipo de peitorais, esse cinto de segurança é mais discreto e seguro, usando o mesmo material utilizado nos cintos do automóvel. Com comprimento mínimo de 52 cm e máximo de 82 cm, ele suporta cães de até 20 kg.

A opção para quem não abre mão das cores

Por que não levar seu pet para um passeio em grande estilo, tudo isso sem abrir mão da sua segurança e da dele? Pensando nisso, a Western oferece cintos em diferentes cores, medindo 51,5 cm de comprimento, confeccionada em PP e zinco e regulador para cães de diferentes tamanhos.

Guia de Compra

Os cães adoram passear de carro, mas é extremamente importante que isso seja feito com segurança e responsabilidade. Por isso um bom cinto de segurança para o melhor amigo do homem é tão importante.

E, com tantos modelos disponíveis no mercado, encontrar o ideal pode ser um verdadeiro desafio. Então, veja nosso Guia de Compra com mais informações e dicas de utilização.

Imagem de cachorro preso por um cinto de segurança em um carro com a janela aberta

Se for necessário deixar seu pet sozinho no carro, lembre-se sempre de deixar uma janela aberta para que ele possa respirar e preso ao cinto para não escapar. (Fonte: ArtfulScrapper/ Pixabay.com)

Qual a legislação sobre o transporte de cachorros em veículos?

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) não proíbe o transporte de animais em veículos, mas existem algumas regras e orientações que devem ser seguidas para impedir multas.

Em primeiro lugar, o Art. 252 diz que o transporte de animais à esquerda do condutor, seja entre os braços ou as pernas, resulta em uma infração média, com multa e 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Você também pode levar uma multa por transportá-lo em seu colo, no bagageiro ou outra área externa do veículo, o que resulta em uma infração grave segundo o Art. 235, gerando multa e até mesmo a retenção do veículo.

Como utilizar corretamente o cinto de segurança para cachorro?

Além das multas, ninguém quer se envolver em um acidente e ferir o cachorro durante um passeio, então a utilização correta do cinto de segurança é vital.

A primeira dica é nunca prender o cinto a coleiras, pois isso pode sufocar e até mesmo estrangular o animal em caso de colisão ou movimentos bruscos. Opte sempre pelos peitorais.

E, mesmo com o cinto, não é recomendado colocar o cão no banco do passageiro, pois isso pode distrair muito o motorista.

Agora, se você é o feliz proprietário de um cachorro mais ativo e brincalhão, ou caso ele esteja adoecido, o mais indicado é utilizar uma caixa de transporte presa no banco de trás com ajuda do cinto de segurança do veículo.

Quais as vantagens e desvantagens do cinto de segurança para cachorro?

O cinto de segurança para cachorros é um item praticamente obrigatório, afinal ele protege seu pet em caso de colisões e acidentes, evita que ele pule pela janela e previne o déficit de atenção do condutor.

No entanto, alguns cães podem demorar a se adaptar com o cinto e o tamanho errado pode causar incômodos, então pesquise um pouquinho até encontra o modelo ideal.

Vantagens
  • Protege o cachorro em caso de colisões e acidentes
  • Evita que ele pule pela janela
  • Previne o déficit de atenção do condutor
Desvantagens
  • Alguns cães demoram a se adaptar com o cinto
  • O tamanho errado pode causar incômodos

Quais são os diferentes tipos de cintos de segurança para cachorro?

Atualmente, os cintos de segurança se dividem em três categorias. O mais tradicional é o de um ponto, ótimo para animais menores, permitindo maior mobilidade no banco. Eles também estão entre os mais baratos.

Já o cinto de dois pontos é o ideal para cães mais inquietos, pois ao se prender a dois pontos do banco do passageiro, ele imobiliza melhor o animal. Eles podem ser encontrados em uma faixa de preço intermediário.

Por fim, custando um pouco mais caro, alguns cintos oferecem guias múltiplas, para que você leve com segurança dois ou mais cachorros preso a um único ponto.

Um ponto Dois pontos Múltiplos
Indicação de uso Para animais menores Para os cães mais inquietos Para dois os mais cachorros
Benefícios Permite maior mobilidade no banco Por ficar preso a dois pontos do cinto, imobiliza melhor o animal Mantém a segurança de vários pets em só ponto do cinto
Preço São os mais baratos do mercado Estão em uma faixa de preço intermediário O preço varia de acordo com o número de guias

Quais os riscos de utilizar incorretamente ou não utilizar o cinto de segurança para cachorro?

Infelizmente, acidentes acontecem. Por isso é tão importante se prevenir e diminuir os riscos, principalmente quando você está transportando seu pet com você.

Além dos riscos envolvendo colisões, os cães são animais ativos, brincalhões e podem reagir a estímulos externos de forma inesperada, como tentar pular pela janela com o automóvel em movimento.

E, caso não esteja restrito, ele pode acabar procurando pela atenção do dono, seja em busca de carinho ou de brincadeiras. E, com o carro em movimento, isso é extremamente perigoso.

Além do cinto, prepare o banco de trás especialmente para seu pet, com brinquedos e distrações que ele goste.

foco

Você sabia que em uma colisão em velocidade média de 50 Km/h, um cão de 10 kg projetado para frente passa a pesar 250 kg?

Critérios de Compra: Como escolher o melhor cinto de segurança para cachorro

Quando se trata de nossos bichos de estimação, todo cuidado é pouco. E, para que eles sejam mais saudáveis, nada melhor do que os levar em segurança para um bom passeio.

Mas, antes de comprar, você deve estar atento a alguns critérios para fazer a escolha certa. Veja:

Após ler com atenção cada um dos tópicos abaixo, seu cãozinho estará mais do que seguro para curtir um passeio de carro com você e sua família.

Material

Um dos principais fatores a observar é o material em que o cinto e a guia são produzidos. Isso ajuda a garantir não só a durabilidade e resistência do produto, mas também evita acidentes.

Afinal, não há cenário pior do que a correia se soltar ou estourar em caso de uma colisão ou movimentos mais bruscos. Então, observe sempre as especificações do fabricante.

Hoje, a maioria dos fabricantes utiliza nylon, poliéster ou outros materiais sintéticos em sua confecção. Também é importante conferir a qualidade do metal utilizado nas travas.

Imagem de cachorro preso por cinto de segurança e com a cabeça para fora da janela

Embora os cachorros adorem tomar um vento, não é recomendado que eles viajem com a cabeça para fora do carro. (Fonte: Free-Photos/ Pixabay.com)

Tamanho

O tamanho do cinto também é algo com a qual você deve ter cuidado, escolhendo de acordo com a raça e o porte do animal.

O ideal é que ela permita que o cachorro se movimente no banco de trás, permitindo que ele sente ou se deite quando estiver cansado.

Porém, ela deve restringir seu acesso aos bancos do motorista e do passageiro para evitar acidentes e distrações.

Cores e estampas

Apesar de seguros, os cintos de segurança para cachorros não precisam ser sem graça. Pensando nisso, muitos fabricantes oferecem modelos coloridos e com estampas divertidas.

E, considerando que muitos modelos se transformam facilmente em guias para passeio, vale a pena investir um pouco para que seu cãozinho se diferencie e chame a atenção durante suas caminhadas.

Imagem de cachorro olhando pela janela de carro enquanto preso por um cinto de segurança vermelho

Estilo e segurança podem andar de mãos dadas em seus passeios. (Fonte: Anand Thakur/ Unsplash.com)

Tipo de trava

O cinto de segurança para cachorros tem dois sistemas de trava: O que é preso no peitoral do pet e outro preso no encaixe do cinto de segurança.

O segundo tipo costuma ser padrão, compatível com todo tipo de automóvel comercial. O primeiro pode variar, em modelos de plástico ou metal. Nesses casos, realize alguns testes para se certificar de que a trava não vai se soltar com a movimentação do cachorro.

(Fonte da imagem destacada: Andriy Popov/ 123RF.com)

Por que você pode confiar em mim?

Redatora e psicóloga, é uma entusiasta de gadgets, jogos e utilidades. Adora escrever e experimentar inovações que podem tornar a vida mais prática.