Imagem de uma pessoa fazendo compras online.
Ultima atualização: 5 de junho de 2020

Nos últimos anos, o desejo de empreender tornou-se realidade para muitas pessoas graças ao comércio eletrônico. No entanto, abrir uma loja virtual não é uma tarefa simples.

Existem inúmeras questões relativas ao planejamento de um e-commerce, como organização do ambiente virtual, gestão de negócio, logística, finanças, marketing etc. Pensando nisso, preparamos um guia completo sobre como abrir sua loja virtual.




Primeiro, o mais importante

  • Existem diversas plataformas especializadas em hospedagem e gerenciamento de lojas virtuais que permitem que uma pessoa sem conhecimento técnico consiga estruturar um e-commerce.
  • Essas plataformas permitem gerenciar os pedidos dos clientes, controlar o estoque, mensurar as vendas  e integrar as aplicações necessárias para o bom funcionamento do e-commerce.
  • Para criar uma loja virtual, você deverá contratar profissionais especializados em diversas áreas de atuação como gestão, atendimento, vendas, finanças, logística, análise de dados, design, marketing e tecnologia da informação.

Passo a passo: Como abrir uma loja virtual

Ao digitar “Como abrir uma loja virtual” no Google, você encontrará um grande volume de informações, o que pode gerar mais dúvidas do que respostas. Pensando nisso, preparamos um passo a passo sobre como abrir uma loja virtual.

Imagem de um casal fazendo compras online.

O e-commerce revolucionou os hábitos de consumo dos brasileiros. (Fonte: Andrea Piacquadio/ Pexels.com)

Este é o melhor momento para abrir uma loja virtual?

Quem deseja abrir uma loja virtual encontra um cenário bastante promissor. Segundo a 41ª edição da pesquisa Webshoppers (1), realizada pela Ebit, 61,8 milhões de brasileiros fizeram compras pela internet em 2019.

Ainda de acordo com o estudo,148 milhões de compras foram realizadas, com um ticket médio de R$417, gerando um lucro total de R$61,9 bilhões.

Quais são as vantagens de abrir uma loja virtual?

Apesar da crise financeira que o país enfrenta, não faltam estimativas positivas para o comércio eletrônico brasileiro, que experimenta um crescimento progressivo. Conheça as principais vantagens de abrir uma loja virtual abaixo:

  • Atendimento 24 horas por dia, sete dias por semana: No e-commerce, os produtos e serviços estão disponíveis a qualquer hora para quem desejar comprar.
  • Venda para qualquer lugar do Brasil: Com uma loja virtual você pode vender seus produtos para pessoas de qualquer cidade e estado do Brasil, basta realizar o envio da mercadoria através dos Correios ou transportadora.
  • Grande competitividade: Atualmente, as pessoas estão utilizando a internet para fazer praticamente tudo. Portanto, ao abrir uma loja virtual, você aumentará a competitividade de seu negócio.

Conheça mais algumas vantagens de abrir uma loja virtual na tabela abaixo:

Vantagens
  • É possível vender qualquer produto ou serviço em uma loja virtual
  • Você pode enviar os produtos para todo o Brasil
  • Comodidade para o cliente
  • Você pode montar a loja em plataformas de hospedagem de e-commerce ou desenvolver a loja virtual
Desvantagens
  • Exige grande investimento financeiro
  • Caso você pretenda desenvolver uma loja virtual exclusiva, deverá contratar um profissional ou empresa especializada
  • Em caso de fraude financeira na loja virtual, a responsabilidade recai sobre o empresário

O que devo fazer antes de abrir uma loja virtual?

Antes de criar uma loja online, defina quais serão os produtos ou serviços oferecidos e para quem serão vendidos. A segmentação do público-alvo é importante pois influenciará no modelo de atendimento e estratégias de marketing.

Também é importante escolher fornecedores com boa reputação e que ofereçam materiais de qualidade, condições de produção compatíveis a demanda, prazos de entrega flexíveis e condições de pagamento viáveis.

Para quem está começando, indicamos a venda de produtos de apenas uma categoria . Por exemplo, quem está no segmento da moda, deve escolher se deseja vender roupas infantis, femininas ou masculinas.

Ah, a concorrência na internet está, literalmente, a um clique de distância, por isso é fundamental analisar seus concorrentes diretos, ou seja, empresas do mesmo segmento e com o mesmo público-alvo.

O que posso vender em uma loja virtual?

Você pode vender qualquer produto ou serviço em uma loja virtual. Para escolher o produto ideal, reflita sobre questões como:

  • “Quais problemas as pessoas enfrentam no dia a dia e como resolvê-los?”
  • “Quais produtos  mais gosto?”
  • “Quais empresas admiro?”
  • “Qual grupo me relaciono com facilidade?”

Ao responder essas perguntas, será muito fácil encontrar um público-alvo,  modelo de negócios e produto ou serviço relevante. Caso ainda tenha dúvidas, utilize ferramentas que revelam tendências de mercado, como o Google Trends.

Imagem de uma mulher vendendo flores pela internet.

Qualquer produto ou serviço pode ser comercializado em uma loja virtual (Fonte: Andrea Piacquadio/ Pexels.com)

Quanto custa abrir uma loja virtual?

O custo para abrir uma loja virtual depende de inúmeros fatores. Para você ter uma noção do custo de cada serviço, preparamos uma tabela com estimativas de preços – as informações foram extraídas do Guia Prático: Quanto custa um e-commerce (2):

Fazer por conta própria Contratar profissional responsável Contratar uma agência responsável
Planejamento e gestão Custo zero. Caso queira investir em cursos, o custo pode chegar a R$1.000 Não informado Entre R$5.000 a R$10.000 (Formulação do plano de gestão)
Registro da empresa Custo zero R$500 a R$1.500 R$1.500 a R$3.000
Plataforma da loja virtual Custo zero, mas exige conhecimento em programação R$4.000 a R$5.000 R$5.000 a R$20.000
Conteúdo sobre os produtos ou serviços comercializados Custo zero, mas exige habilidade em fotografia e produção de vídeo R$2.000 a R$3.000 R$3.000 a R$10.000
Criação de conteúdo para divulgação Custo zero, mas exige conhecimento em fotografia e produção de vídeo R$1.000 a R$2.000 (custo de 100 fotos em um bureau) R$3.000 a R$5.000 (contratar um fotógrafo e estúdio)
Segurança de dados (validação do Web Application Firewall) Custo zero ao validar e assumir os riscos por si mesmo R$300 a R$1.000 para validar pela internet R$2.000 a R$5.000
Campanha de marketing Custo zero, mas exige conhecimento publicitário R$3.000 a R$4.000 R$5.000 a R$10.000
Automatização de processor (ERP) Custo zero ao gerenciar ERP por uma planilha ou configurar na nuvem Não informado R$5.000 a R$50.000
Acompanhamento jurídico (formulação de termos e contratos) Custo zero, mas exige conhecimento jurídico R$1.000 a R$2.000 ao comprar modelos desses documentos pela internet R$2.000 a R$5.000 para contratar um advogado
Logística e entregas Custo zero ao estocar e conduzir entregas Não informado R$2.000 a R$5.000 para contratar uma empresa que gerencie a operação

Ao abrir uma loja virtual eu preciso de CNPJ?

Ao abrir uma loja virtual, você pode realizar o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) através do site da Receita Federal, mas o cadastro não é obrigatório.

Outra possibilidade de obter o CNPJ é realizar o cadastro de Micro Empreendedor Individual (MEI). Esse registro só é válido para quem tem faturamento máximo de R$60 mil ao ano e não tem sócio(s).

Caso você tenha dúvidas, procure um contador.

Se sua loja virtual possui faturamento anual superior a R$60 mil e inferior a R$3,6 milhões, você deve optar pelo regime de tributação Simples Nacional. Caso você
tenha dúvidas sobre o assunto, procure um contador.

Ao registrar um CNPJ, você consegue oferecer confiabilidade jurídica e assegurar respaldo legal dos órgãos competentes. Saiba quanto custa registrar o CNPJ da sua empresa na tabela abaixo:

Opções disponíveis Custo efetivo
Abrir a empresa por conta própria Custo zero
Abrir a empresa pela internet De R$500 a R$1.500
Contratar um contador para abrir a empresa De R$1500 a R$3000, depende do profissional ou empresa de contabilidade contratada

Quais impostos serão cobrados pelas vendas da loja virtual?

É fundamental realizar o cadastro da empresa no regime de tributação correto, pois diferentes impostos serão recolhidos e o valor muda de acordo com o tamanho da empresa, estilo de venda – direta ou revenda – e o que é comercializado.

Caso você escolha vender mercadorias, incidirá o Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS). Se pretende oferecer prestação de serviços, o principal tributo que deverá pagar é o Imposto sobre Serviços (ISS).

Em qualquer transação comercial virtual, o lojista é obrigado a emitir a nota fiscal eletrônica. Inicialmente, as notas fiscais podem ser emitidas pelo site da Receita Federal. Quando o volume de vendas aumentar, você deverá aderir a um sistema de emissão de nota fiscal.

Qual melhor plataforma para abrir uma loja virtual?

Você pode criar sua loja virtual em um plataforma Open Source, alugada ou exclusiva. Comparamos as três opções abaixo:

  • Plataformas Open Source utilizam sistema  de código livre. Esses dados podem ser baixados, instalados e configurados por um programador ou empresa especializada.
  • Plataformas de hospedagem de loja virtual é uma boa opção para quem está com orçamento limitado, pois o investimento inicial e custos com manutenção são relativamente baixos.
  • Desenvolvimento de loja exclusiva exige investimento elevado, pois requer auxílio profissional para a criação e gerenciamento da plataforma.

Outra opção é vender seus produtos através de um Marketplace, uma plataforma mediada por uma empresa, em que diversos lojistas se inscrevem e vendem seus produtos. Ao vender os produtos em um Marketplace, paga-se apenas uma taxa por produto vendido e esse percentual varia de acordo com a loja virtual escolhida.

As melhores opções são Amazon, Mercado Livre, Ponto Frio, Magazine Luiza, Casas Bahia, Polishop, entre outros. Esses varejistas possuem grande credibilidade no mercado, portanto será mais fácil realizar vendas.

Imagem de uma mulher fazendo compras online.

Há incidência de impostos sobre mercadorias ou serviços comercializados pela internet. (Fonte: Andrea Piacquadio/ Pexels.com)

Como abrir uma loja virtual em uma plataforma de hospedagem?

Depois de escolher uma plataforma de hospedagem para e-commerce, você deve realizar alguns passos para abrir sua loja virtual. Não são necessários conhecimentos técnicos, basta seguir as seguintes dicas:

  • Personalize sua loja virtual: Basta escolher o melhor layout, paleta de cores e fontes, inserir seu logotipo e preencher algumas informações importantes.
  • Acrescente seus produtos: Utilize imagens e vídeos atrativos dos produtos junto a descrições detalhadas sobre material, dimensões/ medidas e demais informações relevantes sobre a mercadoria.
  • Comece a divulgar sua loja virtual: Você pode criar anúncios e campanhas no Google e nas redes sociais como Facebook e Instagram.

Como registrar o domínio da loja virtual?

O domínio ou URL é o endereço virtual do e-commerce. Esse registro é único e serve para identificar e diferenciar uma loja virtual das demais, seja no Brasil ou no mundo. Para escolher o melhor domínio, siga as seguintes dicas:

  • Use o nome da sua empresa junto a uma palavra-chave que indique o ramo de atuação. O uso da palavra-chave ajudará a posicionar a loja virtual nos mecanismos de busca.
  • Prefira nomes curtos e fáceis de lembrar – evite usar termos em idiomas estrangeiros ou símbolos. O objetivo é facilitar ao máximo a busca pelo consumidor.
  • Prefira domínios terminados em “.com.br” ou “.com”, pois os mecanismos de busca identificam a localização dos websites e dão preferências aos resultados regionais e nacionais.

Quais informações devem constar em uma loja virtual?

Ao abrir uma loja virtual, você deve oferecer produtos de qualidade, realizar um bom atendimento e fornecer informações claras e bem posicionadas. Desse modo, você consegue fidelizar os clientes e estimular novas compras.

Entre as informações mais importantes estão o endereço físico (quando houver), razão social e CNPJ da empresa. Outras informações importantes são telefone, e-mail e formulário de contato. Esses dados devem ser colocados no rodapé de todas as páginas do e-commerce.

O processo de compra precisa ser o mais simples e rápido possível. Ou seja, solicite apenas os dados essenciais e evite pedir  cadastro com senha. Habilite a recuperação do carrinho, caso o cliente saia da página antes de concluir a compra.

Em relação aos produtos, recomendamos que você prepare uma descrição bastante detalhadas com informações relacionadas às medidas, materiais, orientações de manuseio, limpeza e manutenção, entre outras.

Imagem de uma mulher fazendo compras online.

Ao comprar um produto pela internet, o consumidor busca o máximo de informações. (Fonte: Andrea Piacquadio/ Pexels.com)

Informe os métodos de pagamento aceitos da maneira mais simples possível.
Despesas adicionais da compra também devem ser evidenciadas, tais como valor do frete, necessidade de envio protegido, despesas e taxas adicionais.

Insira um ícone de carrinho de compras com um resumo do que o cliente está comprando – com a possibilidade de adicionar ou excluir itens selecionados – valor total e parcelado, valor do frete e previsão de entrega.

Sugerimos também que você permita o acompanhamento do pedido. Essa função elimina a necessidade de o administrador da loja virtual acompanhar o pedido e aumenta a satisfação e segurança do cliente.

Para a política de trocas e devoluções de mercadorias, sugerimos que você prepare um texto simples com base no Código de Defesa do Consumidor.

Em caso de cancelamento do pedido ou retorno de mercadoria, o lojista é encarregado de notificar a instituição financeira responsável pela transação para cancelar a venda e disponibilizar o estorno do valor cobrado.

Esses são os principais pontos da nova lei do e-commerce (Decreto 7.962 de 15 de março de 2013), confira o detalhamento desta lei aqui. (3)

Como atender os clientes de sua loja virtual?

Quando falamos de lojas virtuais, devemos ressaltar que o atendimento ao cliente é um dos grandes diferenciais, principalmente das marcas de pequeno e médio portes. Trate seus clientes como indivíduos, chame-os pelo nome e apresente-se pelo seu.

O suporte ao cliente deve acontecer antes, durante e depois da venda. No começo, você pode realizar o atendimento por telefone ou chat. Conforme sua loja virtual for crescendo, você deverá contratar um funcionário ou utilizar um sistema automatizado.

Como divulgar a loja virtual?

Para divulgar sua loja virtual, você pode realizar dois tipos de ações de marketing. As ações de retorno rápido incluem o uso de ferramentas como Google Adwords, Facebook Ads e comparadores de preço.

Os comparadores de preços são válidos para produtos eletrônicos como smartphones, notebooks e aparelhos de TV. Os mais conhecidos são Buscapé, Zoom, Bondfaro e Google Shopping.

foco

Você sabia que o Google Adwords é a ferramenta mais utilizada para fazer anúncios de e-commerce? A finalidade dessa ferramenta é mostrar anúncios para pessoas que estão fazendo buscas que englobem as palavras-chaves relacionados aos seus produtos. Esse tipo de anuncio é cobrado por clique, portanto utilize palavras-chaves bastante específicas.

Já as ações de retorno mais lento envolvem técnicas de SEO, divulgação em redes sociais e e-mail marketing. São chamadas assim, pois é necessário conquistar alguma audiência para receber o retorno desejado.

Como entregar os produtos vendidos na loja virtual?

Outro fator relacionado ao sucesso de uma loja virtual é a logística do seu e-commerce. É fundamental dedicar tempo para planejar e escolher a melhor alternativa para realizar a entrega de suas mercadorias:

O envio através dos Correios é a alternativa mais simples, no entanto, há algumas limitações como dimensões e peso da embalagem do produto.

O pacote deve medir no mínimo 16cm e no máximo 105cm de comprimento, com 11cm a 105cm de largura e 2cm a 105cm de altura, sendo que a soma das dimensões deve ser de até 200cm.

Para entrega em PAC e SEDEX, o pacote deve pesar no mínimo 300g e no máximo 30Kg. O peso da carta registrada deve se limitar a 500g.

Uma alternativa é entregar seus produtos através de transportadoras. O risco de enfrentar greves e paralisações é muito menor. Além disso, não há limite de dimensões e peso dos pacotes.

Imagem de uma mulher abrindo uma caixa de correio.

Você pode entregar suas mercadorias pelos Correios. (Fonte: Andrea Piacquadio/ Pexels.com)

Como garantir a segurança de minha loja virtual?

Assim como uma loja física, o e-commerce também está exposto a alguns riscos como violação de dados dos consumidores e fraudes financeiras envolvendo dados dos cartões de débito ou crédito.

Para garantir um ambiente seguro para você e seus clientes, é necessário investir em protocolos de segurança, certificados e firewalls contra malwares. Procure uma plataforma que ofereça suporte completo ao lojista e clientes.

Outra característica importante é a segurança do sistema de pagamentos. O consumidor deve realizar a compra com tranquilidade e confiança, portanto, opte por sistema de recebimento seguro, que ofereça respaldo para o consumidor e o lojista.

O que levar em consideração ao abrir uma loja virtual?

Agora que você conhece todas as informações necessárias para abrir uma loja virtual, saiba o que deve levar em consideração no momento de escolher uma plataforma digital para desenvolver ou hospedar sua loja virtual:

Vamos detalhar cada um dos tópicos ao longo desta seção. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe um comentário abaixo:

Plataforma da loja virtual

Conforme mencionamos anteriormente, recomendamos que você abra sua loja virtual em uma plataforma de hospedagem de websites, pois essa é a alternativa com melhor custo-benefício. Mas a escolha pela melhor plataforma de e-commerce depende de alguns detalhes.

Em primeiro lugar, a plataforma deve oferecer modelos personalizáveis de loja virtual que se adaptem automaticamente às telas de dispositivos móveis como smartphone, tablets e notebooks (design responsivo).

Outra característica importante é a navegabilidade da sua loja virtual. Certifique-se que as páginas carreguem rapidamente, os menus sejam bem distribuídos e fáceis de localizar e seja possível categorizar produtos e serviços.

Imagem de uma pessoa usando um celular.

A plataforma de hospedagem da loja virtual deve contar com design responsivo. (Fonte: Roberto Cortese/ Unsplash.com)

O design é a parte visual de sua loja virtual. Define a identidade da marca, portanto deve ser desenvolvido com muito cuidado. Caso você opte por modelos prontos e sem customização, sua loja será parecida com muitas outras, perdendo a identidade e, em alguns casos, prejudicando a conversão de vendas.

O ideal, portanto, é escolher uma plataforma com opções personalizáveis e customizáveis. Escolha fontes limpas, sem serifas e não rebuscadas. O conjunto de cores deve ser harmônico – evite utilizar cores intensas, fosforescentes ou brilhantes.

A plataforma deve aceitar pagamentos com boleto bancários, cartões de débito e crédito, bem como as principais bandeiras de cartões como Visa, Mastercard, Elo, American Express, entre outras.

A plataforma de hospedagem também deve oferecer integração como o Mercado Pago (Mercado Livre), Pagseguro (UOL) e PayPal para maior comodidade de seus clientes – quanto mais formas de pagamento, mais vendas.

Outra característica importante é oferecer serviços integrados. Por exemplo, ao integrar sua loja virtual com os Correios, o consumidor consegue calcular o valor do frete e o prazo de entrega automaticamente.

Capacidade de armazenamento e limite de tráfego

Toda  plataforma de e-commerce é composta por dois ambientes. No Front End  é construída a loja virtual da maneira como é visualizada pelo público, ou seja, a vitrine da loja, com seus respectivos departamentos e produtos.

O Back End da plataforma é o ambiente administrativo do sistema, onde você organiza o estoque, processa os pedidos, verifica os pagamentos, acompanha as entregas e muito mais.

Conforme você vai inserindo informações sobre a loja virtual nesses ambientes, mais espaço do servidor é utilizado. Portanto, verifique a capacidade de expansão do seu e-commerce e analise os custos associados ao upgrade.

Avalie se o servidor de hospedagem possui limite de tráfego, qual limite disponível e se há a possibilidade de ampliação. Tenha em mente que ao atingir o limite de tráfego, a loja virtual sairá do ar. Isso pode ser bastante prejudicial em datas de grande movimentação do comércio, como o Black Friday, por exemplo.

Suporte

O servidor de hospedagem da sua loja virtual deve garantir suporte tecnológico caso haja qualquer problema em sua loja virtual. Procure um servidor que ofereça atendimento 24 horas e diversas formas de contato.

Preocupação com a segurança dos dados

É muito importante encontrar uma plataforma de hospedagem de loja virtual como certificado de segurança SSL que serve para proteger os dados pessoais do seu cliente em todo o processo de acesso ao site e compra.

Um certificado de segurança válido demonstra aos seus clientes que você se preocupa com a segurança dos dados do consumidor. Lembre-se, em caso de fraude, a responsabilidade recai sobre o proprietário da loja virtual.

Imagem de duas pessoas fazendo compras online.

O cliente deve se sentir seguro ao comprar em sua loja virtual. (Fonte: Andrea Piacquadio/ Pexels.com)

Automatização de processos

Quando sua loja virtual atinge um volume de dez ou mais pedidos por dia, você precisa adotar o ERP, sistema de automatização de processos integrado à plataforma.

O ERP visa agilizar processos, reduzir erros e economizar tempo ao conduzir o recebimento do pedido, confirmação do pagamento, separação do produto, emissão de nota fiscal eletrônica, envio do pedido e acompanhamento da entrega.

Controle do estoque e mercadorias

A gestão do estoque de uma loja virtual é fundamental para o funcionamento de um e-commerce, pois ninguém quer sofrer prejuízos por causa de produtos danificados ou em falta. Realize o controle de estoque da seguinte maneira:

  • Registre na ficha de estoque a quantidade, custo unitário e custo total das mercadorias. A ficha de estoque pode ser preenchida manualmente ou virtualmente.
  • Periodicamente, consulte se as informações disponibilizadas na ficha de estoque estão compatíveis com o estoque da empresa. Todas as entradas e saídas de mercadorias devem ser adicionadas à ficha, bem como a identificação do funcionário responsável pela movimentação.

As informações do inventário ajudam a manter um controle rígido e organizado das mercadorias disponíveis. Essas informações podem ser úteis em futuras compras de mercadoria e para garantir que os produtos estão sendo vendidos e não desviados.

Algumas plataformas oferecem controle de estoque automático.

Algumas plataformas oferecem controle de estoque automático, ou seja, conforme uma peça é vendida, o item é deduzido do estoque. Mas antes de aproveitar as maravilhas da tecnologia, você deverá realizar a contagem de estoque manualmente.

Uma alternativa é terceirizar o controle do estoque. Essa opção reduz custos com espaço de armazenamento, mas sua empresa dependerá deste fornecedor para realizar os envios.

(Fonte da imagem destacada: PhotoMIX Company/ Pexels.com)

Referências (3)

1. Pesquisa Webshoppers ed. 41
Fonte

2. Quanto custa um e-commerce?
Fonte

3. Lei do e-commerce, Decreto 7.962 de 15 de março de 2013
Fonte

Por que você pode confiar em nós?

Victor Oliveira Consultor em Investimentos
A graduação em economia foi um caminho natural para Victor, que desde pequeno era apaixonado por números e cálculos. A explosão das corretoras de investimentos no Brasil é recente, mas para ele, o assunto é muito antigo - e importante. Trader profissional, Victor auxiliar amigos, parentes e clientes a investir o dinheiro nas melhores oportunidades, economizando sempre que possível.
Apaixonada por ler e escrever, empenha-se em produzir conteúdo relevante sobre áreas pelas quais tem muito interesse, como tecnologia, qualidade de vida, beleza e lazer.
Estudo sobre o e-commerce Brasileiro
Pesquisa Webshoppers ed. 41
Ir para a fonte
Pesquisa sobre valores gastos em um e-commerce
Quanto custa um e-commerce?
Ir para a fonte
Lei do e-commerce
Lei do e-commerce, Decreto 7.962 de 15 de março de 2013
Ir para a fonte