Imagem mostra uma série de ferramentas de medição sobre uma mesa de madeira. Entre elas, três esquadros, de tipos diferentes.

Olá, seja bem-vindo ao ReviewBox Brasil! O texto de hoje trata sobre o esquadro, a ferramenta que está na lista básica de muitas atividades manuais, da marcenaria à carpintaria, da arquitetura à engenharia, da produção de peças à instalação de redes elétricas.

Com um par de ângulos e algumas marcações de centímetros ou polegadas, o esquadro é capaz de fazer muito. É um gabarito para a medição, a referência de todo um trabalho, uma régua para desenho, entre outras utilidades, todas executadas facilmente, desde que da maneira correta.

Sua multifuncionalidade – seja nas diversas áreas de atuação, seja nas “ferramentas dentro da ferramenta” – acontece por sua simplicidade, tradição e enorme variedade de tipos e modelos. Neste Guia, vamos passar por todas essas etapas, para que no final você possa escolher o esquadro ideal para você e seus projetos.

Primeiro, o mais importante

  • Apesar da versatilidade do esquadro, é importante que você tenha uma ideia de qual) atividade em que você pretende usá-lo. Cada modelo tem uma finalidade mais adequada.
  • É de suma importância que o seu esquadro, bom, esteja no esquadro. Procure sempre verificar se a angulação e as medidas do modelo escolhido estão exatas.
  • Devido à grande quantidade de modelos e materiais diferentes, os preços variam muito. Você pode encontrar esquadros simples por R$ 30, assim como profissionais por volta dos R$ 1.000.

Você também pode gostar:

Ranking: Os 3 melhores modelos de esquadro

Abaixo, você verá o que consideramos serem os melhores modelos de esquadro do mercado. Montamos essa lista com base no custo-benefício do modelo, assim como seu material e suas funcionalidades.

1º – Esquadro Combinado – Zaas

O esquadro combinado da Zaas se diferencia, de cara, pelo seu estojo, que permite armazenar todas as peças numa “cama” de seda, aumentando sua durabilidade.

Feito e todo acabado em aço, o modelo conta com uma régua de 30 cm, um transferidor de alta precisão, um esquadro para contagem e um esquadro principal.

2º – Esquadro Ajustável – Black Jack

Este esquadro da Black Jack não é do tipo combinado, mas combina boas funções em um só modelo, como a medição de nível e a posição ajustável do cabo.

Baseado em uma régua de aço de 30 cm, ainda traça marcações paralelas e conta com as medidas pintadas no baixo relevo prensado do metal.

3º – Esquadro Carpinteiro – Vonder

O modelo da Vonder é simples, mas não deve nada a ninguém. A começar pelo seu material, em aço inox na régua e em alumínio no cabo, garantindo alta durabilidade.

A dupla graduação de medida, em milímetros e polegadas, é outro ponto forte, gravadas em baixo relevo da sua régua um pouco menor do que a média, com 20 centímetros.

Guia de Compra

A obra, a construção, a produção manual, enfim, tem no esquadro um de seus mais fiéis e antigos companheiros, mesmo após sucessivas revoluções tecnológicas. Isso acontece porque a ferramenta trabalha com o mais básico (e necessário): a angulação e a medição. E o melhor, de maneira simples.

Mas o esquadro de hoje não é necessariamente o mesmo dos primeiros projetos da humanidade. Ele incorporou diferentes funcionalidades, ao mesmo tempo em que manteve sua premissa de sempre. Neste Guia de Compra, vamos mais à fundo nessas inovações, nas desvantagens e vantagens que cercam o produto, entre outras dicas e informações valiosas.

Imagem mostra um carpinteiro em sua oficina, com sua mesa repleta de ferramentas.

O esquadro é um ajudante de longa data de carpinteiros e outros trabalhadores manuais. (Fonte: Alejandro Ramírez / Pexels)

O que é o esquadro?

O esquadro é fundamentalmente uma ferramenta de desenho, tanto no sentido lúdico da palavra, como uma planta de um edifício ou um projeto de móvel, por exemplo, como no sentido técnico, ao guiar, via traços desenhados, obras e quaisquer outras atividades que precisem de referências métrico-visuais.

Com um formato de um triângulo – um triângulo completo, com três arestas, ou um virtual, com duas e a terceira “virtual”, num formato da letra “L” -, sua função é medir distâncias e ângulos.

Esses triângulos, completos ou não, costumam a ser do tipo isósceles, rendendo ângulos de 45º e 90º, ou retângulos escalenos, com angulações de 30º, 60º e 90º.

Imagem mostra um esquadro de formato de triângulo retângulo escaleno sobre uma folha com exercícios de matemática. Ao seu lado direito, repousa um lápis.

Desenho, distância, angulação: o esquadro faz tudo, e para atividades diferentes. (Fonte: Dawid Małecki / Pexels)

Quais as vantagens e desvantagens do esquadro?

O fato de ser uma ferramenta de uso simples engloba certas vantagens ao esquadro, enquanto trabalhar com medidas agregam algumas outras desvantagens. Vejamos os dois lados, para você ter uma visão completa sobre o produto.

A começar com as vantagens, é claro, a primeira é sua praticidade. Basta um lápis e uma superfície estável e você já consegue operar o tradicional objeto.

A segunda é a sua versatilidade. Com um esquadro, você pode medir distâncias, ângulos, desenhar, enfim, ir do planejamento à execução com a mesma ferramenta – fora as outras funcionalidades extras que alguns produtos têm, como verificar níveis, por exemplo.

Por consequência, o esquadro é “multidisciplinar”, isto é, pode atuar em um grande escopo de atividades, da mais simples marcenaria ao mais complexo projeto de engenharia, o que é outra grande vantagem.

Imagem mostra um esquadro em meio à uma composição de ferramentas básicas, como martela, furadeira, trena, etc, sobre uma superfície de madeira.

Versátil e “multidisciplinar”, o esquadro é um item básico em qualquer oficina, profissional ou não. (Fonte: Eugen Str / Unsplash)

Do outro lado da moeda estão as incongruências com as medidas, uma certa desvantagem. A mais perceptível são as diferenças das medidas entre esquadros de fabricantes diferentes, o que não é exclusividade deste produto, mas uma consequência de usos de referências diferentes de algo “imaterial” como a distância.

Outro problema são os comuns casos de “esquadros fora do esquadro”. Por defeito de fabricação, erros de referência ou só má qualidade, alguns modelos podem não ter exatamente os ângulos prometidos, o que pode acarretar problemas em todo um projeto.

Essas situações podem acontecer também por questões de durabilidade. Um metal que entorta levemente, uma madeira espanada, tudo isso pode tirar a precisão da medida e do ângulo do produto com o tempo, tornando o esquadro, em muitos casos, um produto com data de validade.

Vantagens
  • Praticidade
  • Versatilidade
  • Grande escopo de atividades
Desvantagens
  • Medidas divergentes
  • Modelos “fora do esquadro”
  • Durabilidade

Esquadro simples, combinado, speed ou universal?

Pois bem, vamos às tão faladas variedades do esquadro. Antes tudo, saiba que há, na verdade, uma diversidade ainda maior de modelos, mas que agregam características específicas ao seu fim e são quase ferramentas únicas, além de modelos com nomes diferentes, devido à sua apreensão popular, como, por exemplo, o “esquadro de carpinteiro”.

Os tipos de esquadro mais comuns nas prateleiras, físicas ou virtuais são: o simples, o combinado, o speed e o universal.

Imagem mostra um esquadro rígido sob um papel, ao lado de um elaborado projeto desenhado.

Os esquadros se diferenciam pelo seu formato, “apêndices” e funcionalidade. (Fonte: BrooklynJohn / Pixabay)

O esquadro simples, também de chamado e esquadro de carpinteiro, tem o formato de “L”, com uma chapa mais comprida, costumeiramente de metal, com o gabarito de medidas, e um cabo menor, formando um ângulo de 90º.

O esquadro combinado tem esse nome por combinar funcionalidades diferentes dentro de um esquadro principal. O “normal” é ele estar junto com um esquadro de centrar (que ajuda a encontrar o centro de circunferências) e um transferidor, além de seu cabo ser móvel, o que permite usar o modelo como um graminho.

Único triângulo “completo” dessa lista – um triângulo retângulo, no caso -, o esquadro speed, ou rígido, é largamente utilizado na marcenaria e carpintaria, com atuação destacada em madeiras maciças. Seu diferencial funcional está na medição precisa de ângulo e na facilidade de fazer marcações paralelas.

O esquadro universal, outro em formato de “L”, é característico pelo seu transferidor embutido, o quarto de círculo que “liga” as duas arestas para além de seu vértice comum.

Ele é talvez o mais versátil entre áreas e funções, especialmente nas marcações que agrega, como traços angulares, pontos de dobradiça, entre outros, que podem variar de modelo para modelo.

Simples Combinado Speed Universal
Formato Em “L” Em “L” Triângulo retângulo Em “L”
Versatilidade Normal Alta Alta Alta

Quanto custa?

A flutuação de preços de ferramentas é sempre grande, pelo intenso barateamento por um lado, com o uso indiscriminado de plástico e acrílicos, e a adesão de tecnologias para aumentar as funcionalidades, de outro.

Com o esquadro não é diferente. Sem considerar os esquadros de material escolar, que podem custar R$ 5, os modelos mais básicos são encontrados por volta dos R$ 30, enquanto os profissionais por até R$ 1.000, em alguns casos.

Onde comprar?

Os lugares ideais para pesquisar e comprar o seu esquadro são as grandes redes de materiais de construção, como a Leroy Merlin, a C&C, a Telhanorte, entre outras. Além de variedade, contam com vendedores especializados, prontos para te indicar o melhor modelo.

Se, no entanto, você quiser evitar os enormes corredores dessas megalojas, aproveitar o conforto da sua casa e ainda encontrar uma variedade ainda maior de preços, marcas e modelos, sites como a Amazon, Mercado Livre e Americanas são os mais indicados para você.

Critérios de compra: Fatores para comparar os tipos de esquadro

Fiéis à nossa missão de ajudar você a escolher o esquadro ideal, elaboramos uma lista muito útil, contendo critérios a serem notados na hora da compra. Eles foram pensados a partir das características dos modelos e outros elementos de seu uso.

  • Uso
  • Precisão
  • Funcionalidades
  • Durabilidade

Vamos, a seguir, explanar cada um dos itens, para que sua escolha seja a melhor informada, e a sua compra, assim, seja a melhor possível.

Uso

Como destacamos e reiteramos ao longo deste Guia, uma das grandes vantagens do esquadro é sua aptidão para diversas áreas do trabalho manual. Ao mesmo tempo, é a origem de uma certa confusão na hora da compra.

Assim, é recomendável que você tenha claro qual o uso que pretende dar a seu esquadro, mesmo que seja “só” completar sua caixa de ferramentas gerais. Para esse uso, por exemplo, um esquadro simples é o mais indicado, por fazer o necessário sem complicações.

Já para a carpintaria, um esquadro combinado, mais robusto, é um bom encaixe. Para a marcenaria, mais delicada, os detalhes do esquadro speed podem ser mais úteis, assim como para desenho, atividade na qual o esquadro universal também pode ser bem produtivo.

Precisão

Um fator imprescindível para a decisão do esquadro ideal é a sua precisão, especialmente dos ângulos. Além de evitar modelos muito baratos e/ou tortos, você pode fazer um teste super rápido para conferir se ele de fato “está no esquadro”.

Consiste em “espelhar” o modelo: traçar uma linha reta com o auxílio da maior aresta, virar a face do modelo e traçar outra linha reta, ao lado da primeira. Um esquadro preciso resultará em duas linhas paralelas.

Funcionalidades

A ideia aqui é uma espécie de custo-benefício. Quanto mais funcionalidades seu modelo agregar, pela faixa de preço escolhida, melhor. Isso garante que você estará escolhendo o modelo mais versátil e completo ao seu alcance.

Uma das funcionalidades é a possibilidade de medir o nível. Analise o que você mais utiliza e tente encontrar um esquadro que combine elementos para suprir todas as suas necessidades.

Durabilidade

Uma das grandes questões do esquadro é possibilidade dele perder sua precisão com o tempo, pelo desgaste natural de seus materiais. Assim, procure o modelo com maior durabilidade, isto é, cujo material melhor resista às intempéries.

Imagem mostra um esquadro sob uma escrivaninha, parcialmente encoberto por uma caderneta e rodeada de outros itens de escritório.

A quantidade de funções e a durabilidade são indicadores decisivos do esquadro. (Fonte: Jeff Sheldon / Unsplash)

Assim, prefira modelos de aço, alumínio ou madeira, e olho na qualidade dos acabamentos, como o cabo e a fixação entre as arestas.

(Fonte da imagem destacada: Fleur / Unsplash)

Por que você pode confiar em mim?

Lucas Ayres Jornalista
Fanático por esportes e apaixonado por música, vive antenado às novas tecnologias e tendências da moda masculina. Escreve sobre os produtos que orbitam nesses assuntos, e outros que deixam a casa e o dia a dia mais fácil, prático e, além de tudo, saudável.