Notas de dinheiro e carro em miniatura.
Ultima atualização: 8 de janeiro de 2020

Como escolhemos

10Produtos analisados

17Horas investidas

5Estudos avaliados

75Comentários coletados

Comprar um carro, eis o desejo da maioria dos brasileiros. Mas o fato é que pagar à vista por um veículo nem sempre é uma opção. Por isso, no artigo de hoje vamos falar de uma modalidade de compra que pode ajudar a realizar o seu sonho: o financiamento de carro.

O financiamento é uma alternativa que, apesar de comprometer a sua renda por um longo período, lhe ajuda a ter o seu carro próprio. E como existem muitas variáveis que diferenciam um financiamento de outro, vamos mostrar o que fazer para escolher o ideal.




Primeiro, o mais importante

  • O financiamento de carro é uma das formas de comprar um veículo sem precisar pagar à vista.
  • É preciso atenção, pois existe uma grande variação entre os financiamentos oferecidos pelos bancos.
  • Antes de assinar o contrato é preciso avaliar todos os gastos que você terá com o financiamento e com o carro.

Você também pode gostar:

Melhores financiamentos de carro: Nossas recomendações

O financiamento mais procurado

No banco Itaú você pode financiar carros com até 8 anos de idade e pode pagar em até 60 meses. Se você já tem conta-corrente no Itaú, pode fazer uma pré-contratação no site. Se você não tiver, poderá comparecer com a sua CNH a uma revenda ou concessionária cadastrada.

O financiamento mais versátil

O financiamento de carros do Bradesco permite que você compre tanto carros novos, usados, quanto veículos pesados, como caminhões. Além disso, o financiamento pode ser feito como um leasing ou como CDC, e o período de pagamento da dívida vai depender da sua entrada.

O que financia 100%

O Santander permite que você financie 100% a compra do seu veículo, novo ou usado, contanto que o carro tenha até 10 anos de fabricação. Além disso, você pode pagar em até 60 meses. Com a cobertura opcional, você garante a quitação em caso de falecimento ou invalidez total por acidente.

Guia de Contratação: O que você precisa saber sobre financiamento de carro

Se você decidiu que é hora de comprar um carro, é preciso avaliar todas as formas de pagamento. Um delas é o financiamento. Com essa modalidade você pode comprar o seu veículo pelo preço à vista, mas pagar ao poucos para o banco.

Mas o fato é que cada banco possui condições diferentes de financiamento de carro. E, por conta disso, é preciso pesquisar e avaliar bem. Para ajudar você a escolher o melhor financiamento de carros, nós criamos esse Guia de Contração.

Homem dirigindo.

O financiamento de carro é um alternativa para ter o veículo próprio. (Fonte: facundowin /Pixabay.com)

Financiamento de carro: Como funciona?

Ao fazer um financiamento de carro, na prática você está pegando uma certa quantidade de dinheiro emprestada, por exemplo, com um banco, para pagar pelo veículo que você deseja.

Mas, nesse caso, você não tem contato direito com o dinheiro, já que é o próprio banco que paga o vendedor do veículo. A grande vantagem é que você pode negociar descontos com o vendedor já que, na prática, o carro será pago à vista.

Fusca na rua.

Com o financiamento você compra o seu carro na hora. (Fonte: Pexels/ Pixabay.com)

Em seguida, você começa então a pagar pela dívida adquirida por meio de parcelas mensais. Nas prestações estão incluídas o valor do próprio financiamento, além de juros, taxas e encargos.

Por isso, ao optar por um financiamento de carro, é preciso levar em conta a sua renda mensal e, principalmente, os gastos fixos que você terá com o carro para garantir que conseguirá honrar com o pagamento da dívida.

É possível financiar o carro sem dar a entrada?

O mais comum em qualquer tipo de financiamento é que você pague uma certa quantidade do valor do bem à vista, o que representa a entrada. O restante do valor é, então, a quantia que será financiada.

Isso porque, em geral, quanto maior a entrada, melhores serão as condições do financiamento.

Sendo assim, conseguir um financiamento 100% de carro não é impossível, ainda que seja cada vez mais raro. Isso porque nos últimos anos o número de inadimplentes aumentou, o que fez com que os bancos adotassem critérios mais rígidos para conceder o financiamento de carro.

Um desses critérios é justamente a entrada. Atualmente, o mais comum é que bancos disponibilizem o financiamento do carro com a contrapartida de uma entrada de, no mínimo, 20% do valor do veículo.

Homem dirigindo carro.

O ideal é dar uma boa entrada para conseguir um melhor financiamento. (Fonte: Free-Photos/ Pixabay.com )

Ainda assim, é possível encontrar bancos que ofereçam o financiamento total do carro. Para tanto, um bom histórico de pagador e uma situação financeira estável podem ajudar na aprovação.

Além disso, algumas instituições financeiras pedem como pré-requisito para o financiamento total do carro que o interessado possua um ou dois veículos já quitados e uma renda três vezes maior do que o valor da parcela do financiamento.

Tudo isso para garantir que você irá arcar com o compromisso de pagar pela dívida.

Quanto maior for a entrada e mais novo for o carro, mais fácil será para obter o financiamento, e menores serão os juros.

Vale pontuar que, caso seja aprovado o financiamento 100% do carro, você pagará uma taxa de juros mais alta e parcelas maiores.

Por exemplo, se você comprar um carro sem entrada e optar por financiá-lo em 60 vezes, ao final das parcelas você terá pago quase do dobro do valor do carro à vista.

Qual a diferença entre financiamento de carro, consórcio e leasing?

O financiamento de carro é apenas uma forma de ajudar você a comprar o seu veículo. E o fato é que ele pode ser feito de duas formas: Por meio do Crédito Direto ao Consumidor (CDC) ou do Leasing. Mas você também pode optar por outra modalidade, o consórcio de carro.

No CDC, o banco empresta o valor para a compra do carro que você escolheu e fixa taxas que serão aplicadas no seu financiamento do carro.

Nesse tipo de financiamento, caso você não pague as prestações da dívida para o banco, a justiça pode ser acionada para apreender o veículo.

No Leasing, ocorre uma forma de "empréstimo". Isso porque, nesse caso, o carro será propriedade do banco até que você quite o pagamento de todas as parcelas do financiamento.

Em casos de inadimplência, o banco fica com o veículo e o comprador não recebe o valor investido de volta.

Já o consórcio de carros, não se trata de um financiamento. Nesse caso,  você não pega dinheiro emprestado. Ao contrário.

Você participa de um grupo no qual os participantes depositam mensalmente um valor. Todo mês alguém é contemplado e pode usar a carta de crédito para comprar o veículo. Ou seja, você só terá o seu carro quando for sorteado.

Como conseguir o financiamento de carro?

Pode parecer simples contratar um financiamento de carro, mas o fato é que se trata de um processo que pode ser bem burocrático.

Para você ter uma ideia, confira a seguir os principais requisitos necessários para conseguir a aprovação do financiamento:

  • Nome limpo: Se você está com restrição no SPC ou Serasa não conseguirá um financiamento de carro.
  • Idade: Para financiar o carro você deve ter no mínimo 18 e no máximo 70 anos. Ainda assim, é raro a aprovação de financiamentos de carro para quem tem menos de 20 anos. Ter um avalista, no entanto, pode ajudar nessa hora.
  • Comprovar renda: Para conseguir o financiamento de carro você vai precisar comprovar renda. Se você trabalha com carteira assinada, o contracheque serve como comprovante. Se você é autônomo, pode usar o comprovante da movimentação bancária.

Quais as vantagens e desvantagens do financiamento de carro?

A principal vantagem do financiamento de carro é que, quando você tem a aprovação do banco,  você pode comprar o carro imediatamente.

Muitas vezes é até possível negociar com o vendedor um desconto mais atrativo já que, na prática, você vai comprar o carro à vista.

Por outro lado, é preciso levar em conta que, hoje em dia, são raros os bancos que concedem 100% do financiamento de um carro. A maioria exige que você dê uma entrada à vista. Por isso, o ideal é que você junte o valor da entrada antecipadamente.

foco

Você sabia que, em geral, ao aprovaram o financiamento de carro os bancos concedem crédito cuja parcela comprometa no máximo 30% do que você ganha?

Por exemplo, se você recebe R$ 900 por mês, você irá pagar uma prestação de no máximo R$ 300. Essa é uma estratégia que ajuda a proteger você e o banco contra a inadimplência.

Outra vantagem é que você paga pela dívida do financiamento para o banco em prestações a longo prazo. Por outro lado, isso também compromete sua renda por mais tempo.

No entanto, o lado negativo do financiamento de carro é o fato de que você terá que arcar com taxas de juros e encargos que irão aumentar o valor total que você vai pagar no final. Por isso é tão importante tentar oferecer uma entrada maior para o pagamento do carro.

Mas, para você ter uma noção geral sobre os pontos positivos e negativos do financiamento de carro, confira a seguir a tabela que preparamos para você:

Vantagens
  • Você compra o carro assim que o financiamento é aprovado
  • O pagamento é feito em parcelas que não ultrapassam 30% da sua renda
  • É possível financiar 100%
  • É possível negociar juros mais baixos e prestações menores
Desvantagens
  • Você faz uma dívida de longo prazo
  • Pode acabar pagando muito mais do que o valor do carro

Como e onde financiar um carro?

Para financiar um carro você pode tanto procurar um banco como tentar o financiamento na própria concessionária.

Basta entrar em contato com a instituição, pelo site ou presencialmente. O credor irá, então, pedir documentos que comprovem a sua renda e condição financeira. Em seguida, haverá um período de análise, no qual o financiamento pode ou não ser aprovado.

Se aprovado, você poderá pagar pelo financiamento com débito em conta ou com boleto bancário, dependendo da instituição credora.

Critérios de Contratação: Como analisar os financiamentos de carros

Como existem muitas diferenças entre os tipos de financiamentos oferecidos pelos bancos, é preciso que você entenda o que de fato varia entre um e outro.

Para tanto, recomendamos que, primeiramente, você realize uma simulação nos sites dos bancos. Com esses dados em mãos você deve, então, analisar os seguintes fatores:

A seguir, vamos mostrar como você pode analisar cada um desses critérios que irão aparecer na sua simulação de financiamento de carro e, então, escolher o que oferece as melhores condições para você.

Taxa de financiamento

O primeiro fator que você deve prestar atenção quando realizar a simulação para escolher o financiamento de carro é, de fato, a taxa de juros cobrada.

Você descobre o total de juros aplicado por meio da diferença entre o valor final do financiamento e o preço do veículo. Com esse dado, você poderá saber de antemão, antes de assinar o contrato, quanto você irá pagar além do preço total do veículo.

Homem dirigindo.

Na simulação você descobre quanto de fato irá pagar pelo financiamento. (Fonte: Free-Photos /Pixabay.com)

Para tentar reduzir os juros, é importante considerar que essa taxa varia de acordo com o valor do carro, da entrada, do ano de fabricação, a quantidade de parcelas e, consequentemente, o prazo do financiamento.

Como vimos nesse artigo, quanto mais novo o veículo for e quanto maior for a entrada que você pagar, menor serão os juros que você precisará pagar ao banco para ter o financiamento.

Outras taxas

Quando você se compromete com o financiamento do carro é importante também considerar as outras taxas que você precisará pagar.

Aqui não tratamos de taxas que serão pagas junto com as parcelas ao banco, mas as que se referem ao uso e manutenção do veículo. Afinal, de nada adianta se comprometer com um financiamento de carro se você não pode pagar por todos os custos.

Por isso, na hora de escolher a melhor taxa de financiamento e o melhor valor das parcelas, leve em conta os gastos que você terá com seguro, manutenção, licenciamento, IPVA e impostos do seu carro.

Novos ou usados

Observe também que, ainda que a maioria dos bancos disponibilizem financiamento para carros novos e usados, isso nem sempre é uma regra.

A grande maioria dos financiamentos de carros usados é feita apenas pelos bancos.

O fato é que a grande maioria dos financiamentos de carros usados é feita apenas pelos bancos. Isso porque as concessionárias de veículos costumam disponibilizar uma linha de crédito apenas para carros novos.

Além disso, leve em conta que no caso de carros usados é importante ficar atento às condições do motor, pneus e pintura, além de verificar a documentação já que podem haver alguma multa pendente, por exemplo.

E tudo isso pode interferir na aprovação do seu financiamento por parte do credor.

Idade e tipo do veículo

Outro fator que você deve considerar é que cada banco possui diferentes regras quanto ao tipo de veículo e a idade máxima do ano de fabricação para que seja concedido o financiamento.

Alguns bancos, por exemplo, oferecem o financiamento para carros com até 8 anos. Outros já permitem que você utilize o financiamento para comprar carros de até 10 anos de idade.

Além disso, é importante se certificar de que o credor que você escolher concede o financiamento para a marca do carro que você deseja.

Prazo

Como vimos, quanto maior o prazo do seu financiamento maior será o comprometimento do seu orçamento.

Mas, além disso, é preciso ficar atento porque o principal problema de prazos muito longos é que você, em geral, acaba pagando muito além do valor do carro.

Para você ter uma ideia, se o valor do carro que você deseja comprar é de R$ 50 mil e você opta por pagar pelo financiamento em 60 prestações mensais, isso significa que você pagaria uma parcela de R$ 834.

Casal em carro conversível.

Nem sempre o maior prazo será o mais vantajoso. (Fonte: Clem Onojeghuo/ Unsplash.com)

Mas é preciso acrescentar à essa parcela a taxa de juros praticada. Caso ela seja de, por exemplo, 1% do valor do veículo, a prestação que você teria que pagar ao banco seria, então, de R$ 1.334.

Com isso, ao final dos 60 meses de financiamento, você terá pago R$ 80.040 ao banco, R$ 30 mil a mais do que o valor à vista do carro.

Resumo

O financiamento de carro é uma boa alternativa para quem não pode pagar pelo veículo à vista. Com o financiamento, você adquire o carro e tem um prazo longo para pagar a dívida ao banco em parcelas mensais.

No entanto, é preciso comprovar renda fixa para conseguir a aprovação de um financiamento. Além disso, é importante levar em conta que se trata de uma dívida que pode ficar bem alta se você não pesquisar bem pelas melhores taxas de juros.

(Fonte da imagem destacada: Kredite/ Pixabay.com)

Por que você pode confiar em mim?

Izabel Toscano Jornalista
Nômade digital, jornalista, leitora e questionadora compulsiva. Já trabalhou em jornais diários e sites de notícias no Brasil, e em plataformas online na Irlanda e na França. Hoje, roda o mundo escrevendo sobre temas variados, sempre atenta às novas tecnologias e a tudo que surge para trazer leveza à vida.