Homem tocando guitarra em apresentação no palco.
Ultima atualização: 15 de abril de 2020

Como escolhemos

15Produtos analisados

18Horas investidas

4Estudos avaliados

76Comentários coletados

Olá! Se você veio até aqui, isso significa que você provavelmente está pensando em começar a aprender a tocar guitarra, ou então você já toca e está pensando em trocar a sua fiel companheira.

Seja como for, existe a guitarra ideal para você, e ela está em algum lugar agora, apenas esperando que você faça um bom som nela! Conhecendo melhor o instrumento e suas características, faltará bem pouco para você encontrar a sua.

Portanto, aqui neste post você encontrará uma lista das guitarras que irão te encantar e surpreender, bem como um guia completo sobre o produto, seus tipos, características e critérios de compra a serem observados antes de adquirir a sua. Vamos lá?




Primeiro, o mais importante

  • Você deve pautar sua escolha de modelo pensando e definindo o estilo musical que você curte e certamente irá querer tocar. A partir daí, saberá o timbre necessário para que você toque bem o gênero e o modelo que melhor o reproduz.
  • Para adquirir uma guitarra de melhor qualidade e maior duração, você deve dispor de no mínimo R$ 400. O investimento será maior contando com amplificador e cabo conector, mas você encontra equipamentos por um excelente custo-benefício.
  • Antes de adquirir a sua, é interessante saber um pouco mais sobre os principais modelos, marcas e fabricação disponíveis hoje no mercado. Depois de informado, investir no seu instrumento ficará muito mais fácil.

Você também pode gostar:

Ranking: As 4 melhores guitarras

Se você está interessado em comprar uma guitarra, chegou ao local certo. Pensando em facilitar a sua busca, reunimos os melhores modelos de guitarra nesse guia. Confira o ranking abaixo:

1º - Guitarra Vintage Telecaster V52 Reissued

A Telecaster V52 Reissued da Vintage é uma clássica e proeminente Telecaster, com materiais e acabamento de alto nível. Com corpo de alder de duas peças e braço de uma peça de hard maple, ela é uma variação especial com relicagem e na cor Butterscotch.

O raio da escala é de 10 polegadas, com trastes médios e formato do braço em Soft C. Os captadores da guitarra são Wilkinson e feitos de cerâmica, bem como todo o restante do hardware, e além de excelente marca, possui um incrível custo-benefício.

2º - Guitarra Tagima Memphis MLP-100

A Tagima Memphis MLP-100 é uma guitarra razoavelmente barata, fazendo um bom trabalho na tentativa de ser fiel ao modelo Les Paul. Com corpo em basswood, o braço é em maple e a escala em rosewood.

O braço é colado, o que é muito legal para uma guitarra desse valor, e o shape do braço conta com 22 trastes de bom nivelamento, portanto não se encontra problemas de afinação ou trastejamento.

Ela pesa 4kgs, o que não faz dela uma guitarra pesada, principalmente para uma Les Paul. As tarraxas são da Memphis com o formato tulipa, e os captadores são cerâmicos.

3º - Guitarra SX ST Tradicional SST 62

A guitarra ST Tradicional SST 62 da SX é uma guitarra para você que já iniciou nos estudos e agora quer dar um upgrade. Feita no estilo ST Tradicional, o corpo dela é fabricado em basswood, a escala em rosewood e o braço em maple.

Contando com três captadores normais simples, tarraxas tradicionais vintage cromadas e escudo clássico, ela possui a qualidade de fábrica de guitarras como as Fenders.

4º - Guitarra Tagima Memphis Stratocaster

Falando da Tagima Memphis Stratocaster, é importante dizer que sua versatilidade, qualidade de timbre, acabamento superior e ótimo custo-benefício faz dela uma excelente opção de guitarra para os iniciantes e para os estudos.

Além disso, pode ser usada também para diferentes estilos musicais tanto em gravações quanto apresentações. A cor escolhida, Sunburst, faz dela uma guitarra diferenciada e de muito estilo.

Guia de Compra

Não é de hoje que é falado dos benefícios que a música causa no cérebro. Ela melhora as funções cognitivas e psíquicas. E tocar um instrumento aumenta sua capacidade de memória, melhora coordenação motora, alivia o estresse, entre muitos outros.

Se você já toca guitarra, sabe de todos esses benefícios. Se é um iniciante procurando saber mais, tenha em mente que não para por aí. Siga lendo para aprender mais.

Imagem em preto e branco de um homem curvado tocando guitarra em um palco.

A guitarra é um instrumento musical de cordas eletrônico. (Fonte: Pexels / Pixabay)

Como surgiu a guitarra?

Antes de qualquer coisa, como falarmos sobre a guitarra ou compreendermos seu funcionamento, é importante entrarmos um pouco na história do instrumento, já que ela é tão interessante e rica.

A guitarra elétrica, ou somente guitarra (como a conhecemos), é um instrumento musical provindo do violão. Uma das principais razões para a invenção da guitarra elétrica foi a falta de presença do violão clássico quando junto à outros instrumentos.

Por volta de 1880, muitas bandas estavam fazendo música, e a timidez do violão ficava muito clara, principalmente nas apresentações musicais da época.

Então, por volta dos anos 1920 à 1930, a guitarra como a conhecemos foi concebida de maneira independente, sendo a guitarra de madeira maciça passada a ser desenhada e melhorada mesmo somente a partir dos anos 1940.

View this post on Instagram

Happy birthday to the late, great Leo Fender!

A post shared by Fender (@fender) on

Leo Fender, na época técnico especializado em consertar rádios e posteriormente vindo a ser o fundador da famosa marca de guitarras Fender, foi o pioneiro na produção em escala comercial das guitarras de corpo sólido, que mais tarde seriam batizadas de Telecasters.

Buscando a sua fatia do mercado e abrindo concorrência à Fender, a fábrica de violões elétricos com captadores Gibson pediu para que o músico Les Paul desenhasse um modelo, dando início assim a todo o legado que conhecemos hoje.

O que é a guitarra?

A guitarra é um instrumento musical de cordas eletrônico. Ela funciona por meio do estresse que o músico coloca nas cordas em um campo magnético. Os captadores presentes no instrumento captam as frequências de vibração das cordas e isso é transformado em som.

Os captadores, ímãs, enrolamentos e circuitos localizados próximos às cordas em certos locais da guitarra transmitem esses sinais para serem amplificados e reproduzidos pelos amplificadores para guitarra, que inclusive já mencionamos aqui.

Mas a manipulação do timbre do som de uma guitarra não depende apenas dos captadores. Existem mais variáveis, e dentre elas estão o tipo de madeira em que a guitarra foi confeccionada, bem como o diâmetro, qualidade e o uso das cordas.

Outra coisa importante a ser destacada é que o timbre do som de uma guitarra depende também de quão bons são os outros equipamentos, como o cabo e o amplificador. Aparelhos de menor qualidade podem sim comprometer o som original.

Como é composta uma guitarra?

Agora que você já entendeu um pouco do funcionamento geral da guitarra, que tal irmos por partes? Funciona assim:

Na cabeça (ou seja, a parte de cima) ficam as tarraxas, que estão diretamente ligadas às cordas e podem liberar ou tensionar as mesmas, mecanismo que é importante para a afinação do instrumento.

Imagem mostra cabeça de guitarra e cordas.

As taxarras da guitarra servem para afiná-la. (Fonte: connie_sf / Pixabay)

Essas tarraxas podem possuir travas que evitam que as cordas afrouxem, saiam do tom correto e o instrumento desafine.

No braço, feito de madeira assim como a cabeça, localizam-se os trastes (pequenos riscos ao longo do braço) que formam as casas. Cada casa é responsável por uma nota musical.

Para suportar a tensão colocada nas cordas esticadas e evitar que o braço da guitarra empene, essa parte é projetada para resistir, e alguns modelos inclusive vêm com um tensor, que é uma placa metálica fixada atrás do braço.

Já as cordas, feitas de ligas metálicas, fazem o som quando pressionadas. Você pode mudar o som das cordas alterando-as, mexendo na tensão através da alavanca ou no comprimento para fazer um acorde.

Geralmente as guitarras vêm com seis cordas, mas o guitarrista tem a possibilidade de colocar mais para que ele possa aumentar o número de notas que serão tocadas.

Imagem de guitarra mostrando suas cordas.

As guitarras vem com 6 cordas, mas pode ser acrescentado mais. (Fonte: Free-Photos / Pixabay)

Chegando no corpo, as guitarras são comumente fabricadas em madeira maciça, já que diferente do violão, elas não precisam de um corpo oco para produzir seu som.

Mas as guitarras semi-acústicas, por sua vez, possuem o corpo oco, fazendo um aproveitamento da ressonância das cordas no ar da cavidade interna do instrumento. Elas são muito populares nos gêneros musicais jazz e blues.

Como citamos anteriormente, os captadores são compostos por ímãs envolvidos por uma bobina, que gera o campo magnético. A vibração da corda é então captada pelo captador, que a transmite como sinal elétrico através do cabo.

Os captadores podem ser de uma bobina só, como o single coil, ou de duas bobinas, como o humbucker, que elimina um zumbido produzido pelos single coil. A alavanca que você pode ver nas guitarras pode alterar a tensão em que as cordas estão alterando o timbre do som produzido.

Imagem de guitarra branca e marrom no chão.

Você deve observar todas as características de uma guitarra antes de comprá-la. (Fonte: YS-Park / Pixabay)

Para que ela funcione, a ponte, que é onde a alavanca fica acoplada, precisa ser do tipo chamada móvel ou flutuante. Se ela for fixa, não será possível mudar a tensão nas cordas.

Além disso, antes de finalmente entrar no amplificador para ser jogado ao mundo, o som em formato de sinal elétrico pode passar pelos pedais alterando-os, que proporcionam diversos efeitos diferentes.

Parece complicado, não é? Para quem não está familiarizado com o instrumento, pode parecer um bicho de sete cabeças, fazendo com que a pessoa acabe até se desinteressando por ela. Mas calma lá: as vantagens também são muitas. Vamos conferir.

Quais as vantagens da guitarra?

Algumas das grandes vantagens de se ter uma guitarra são aquelas que obtemos ao trazer a música para o nosso cotidiano. Ela melhora o desempenho cognitivo e verbal, a qualidade do sono, alivia sintomas de depressão e reduz o estresse e ansiedade.

Já os benefícios de se tocar algum instrumento adicionam ainda mais vantagens nesta equação. Ele te ensinará concentração e disciplina, e te proporcionará diversão e socialização.

Imagem de uma guitarra sendo tocada em close.

Tocar guitarra pode melhorar seu desempenho cognitivo e verbal, a qualidade do sono, aliviar sintomas de depressão e reduzir o estresse e a ansiedade (Fonte: Pexels / Pixabay)

As vantagens de se adquirir ou possuir uma guitarra também são muitas. Tanto ela quanto o violão são instrumentos simples de entender, os primeiros passos para quem está começando são tranquilos de acompanhar.

Além disso, são muitos os jeitos que você pode aprender a tocar sua guitarra. Você pode fazer aulas particulares com um professor em casa, ou então numa escola de música perto de você. Pode também aprender através de livros, revistas, dos amigos ou da internet. As razões e benefícios são muitos, não é mesmo?

Como desvantagem - se é que podemos chamar assim - é que para você tocar o instrumento de fato, é necessário disciplina. Embora seja simples, isso pode levar um tempo, como qualquer outro instrumento.

Vantagens
  • Melhora o desempenho cognitivo e verbal, a qualidade do sono
  • Auxilia na depressão e reduz o estresse e ansiedade
  • Melhora concentração e disciplina
Desvantagens
  • Necessário disciplina e muita prática para aprender
  • Pode levar um tempo até aprender de fato

Quais os tipos de guitarra existem?

Existem dois tipos de guitarras: as maciças e as semiacústicas. Vamos entender mais sobre cada uma delas.

Guitarra maciça

As guitarras maciças são aquelas mais comumente vistas. Seus corpos são maciços e geralmente feitos de madeira, mas existem também materiais alternativos como acrílico, alumínio e fibra de carbono.

As guitarras maciças, como falta o corpo vazio por dentro, não possuem a caixa de propagação acústica das semiacústicas, portanto o som natural delas é pouco intenso, e a madeira com que são fabricadas é a principal responsável pelo timbre da mesma.

O braço da guitarra pode ser embutido quando ela é toda feita de uma peça apenas de madeira, colado ou parafusado.

As maciças são as preferidas dos músicos que precisam de efeitos adicionados à guitarra (como a distorção), e o seu uso é mais comum em produções musicais de rock, heavy metal e derivados.

Os modelos de guitarras maciças mais famosos são as Fender Telecaster e Stratocaster, as Gibson Les Paul e SG, assim como as Ibanez, Jackson, ESP e Washburn.

Guitarra semiacústica

Já as guitarras semiacústicas são guitarras que possuem essa caixa de propagação acústica que falamos anteriormente. O tamanho dessas guitarras é maior do que as maciças e seu som natural também é maior e melhor.

View this post on Instagram

Novas T-920! #TodosOsTimbres #handmade #guitar #music

A post shared by Tagima (@tagimaoficial) on

Essas guitarras são as preferidas de músicos de jazz e blues tradicional, e são instrumentos para serem usados sem a adição de efeitos.

Guitarra ou violão? Qual a diferença?

Tendo você decidido por embarcar nessa jornada, uma dúvida cruel pode acabar surgindo: por onde começo e o que compro, uma guitarra ou um violão?

Essa é uma dúvida muito comum para os iniciantes, e para saná-la você pode responder algumas perguntas como: qual o seu objetivo para o futuro? Daqui a algum tempo, você prefere estar tocando guitarra ou violão?

Se a guitarra é o seu objetivo, não há necessidade de aprender o violão primeiro. Como os dois são instrumentos de corda, ao aprender algum deles, você eventualmente conseguirá tocar os dois.

Então se você se vê fazendo parte de uma banda, ou então apenas se arrepia ao ouvir o som de uma guitarra ou um solo, você já tem sua resposta! Já se você pretende tocar apenas por lazer, numa rodinha entre família e amigos no churrasco de domingo, um violão é realmente o instrumento mais indicado.

Você pode começar também decidindo o gênero musical que mais gostaria de tocar. Se você sente vontade de aprender a tocar Metal, certamente não precisará de um violão. Mas se quer enveredar pelos caminhos da MPB, provavelmente não precisará de uma guitarra.

Imagem de banda musical.

Você não precisa aprender a tocar violão antes de tocar guitarra ou outro instrumento de corda. (Fonte: maroti / 123RF)

Claro que, a primeira coisa em que pensamos toda vez que consideramos aprender um instrumento de cordas, é em um violão. Pensamos nele já que ele funciona de maneira acústica, sem precisar de energia para funcionar, tornando-o um instrumento para qualquer ambiente.

E esse, porém, não é o caso da guitarra, que é menos acessível nesse quesito e depende também de um amplificador para amplificar o som e fazer com que ele possa ser ouvido por mais pessoas.

Portanto, na hora da compra, caso você escolha uma guitarra também será necessário investir um pouco mais para ter os equipamentos necessários com ela, como o amplificador e o fio conector.

Apesar de você ter que investir um pouco mais, isso ainda tem sim sua vantagem: na guitarra você poderá plugar fones de ouvido, evitando reclamações de outras pessoas - como seus vizinhos ou das pessoas que moram com você!

Isso com certeza também te possibilitará treinar o seu instrumento em qualquer hora do dia, inclusive nas madrugadas.

Outra vantagem legal da guitarra é que ela pode ser mais simples de ser tocada por possuir o braço menor e as cordas mais macias que o violão.

Os pedais de efeitos também proporciona outros timbres fantásticos para você testar, e existem alavancas, two hands, harmônicos artificiais e muitas outras possibilidades para diversificar e agregar ao seu som.

Quanto custa?

Apesar de ser um instrumento que requer alguns equipamentos a mais para que você comece a prática, a guitarra é um investimento relativamente acessível. Você pode conseguir preços ainda melhores comprando sua guitarra online e pesquisando bastante em diferentes sites até achar o preço que caiba no seu bolso.

É possível encontrar guitarras a partir de R$ 300, mas esses instrumentos de menor preço não são de marcas muito confiáveis e podem acabar estragando mais rapidamente.

Portanto, para comprar uma guitarra de melhor qualidade e mais duradoura, você deve dispor de no mínimo R$ 400.

Mas dependendo do seu orçamento disponível, do seu nível de aprendizado ou se está procurando algo mais robusto, guitarras podem custar, por exemplo, de R$ 1.500 a mais de R$ 100.000.

Edições especiais, como de aniversário de marcas ou em colaborações com artistas famosos do mundo da música, podem custar de R$ 500.000 a mais de 1 milhão de reais.

Onde comprar?

Você pode adquirir uma guitarra de sua preferência em uma loja de instrumentos musicais da sua cidade, ou então em redes como a Multisom, a Ninjasom e a PlayTech. Você também pode comprar nessas mesmas lojas através de seus sites.

Além das lojas de instrumentos, você pode encontrar uma guitarra em lojas de departamentos, como as Americanas, o Extra e o Walmart, e também através da internet nessas mesmas lojas.

Você ainda pode encontrar guitarras do conforto da sua casa e com preços muito atraentes comprando pela internet, como na Amazon brasileira, por exemplo, ou em marketplaces como o eBay e o Mercado Livre.

Critérios de compra: Fatores para comparar os modelos de guitarra

Agora, o modelo de guitarra que mais combina com você está a apenas um clique de distância. Mas para poder escolher a que melhor atenda às suas necessidades, fique atento aos critérios de compra que detalharemos abaixo e escolha a sua!

  • Finalidade
  • Marcas
  • Modelos
  • Fabricação

Abaixo, vamos entender a fundo cada um deles para que você possa finalmente escolher a sua.

Finalidade

Como você já sabe, no mercado existem vários modelos diferentes de guitarra. E cada modelo dela possui certas características que melhor atende certo tipo de público.

Ao pensar e definir o estilo musical que você gosta e certamente irá querer tocar, você pode chegar num tipo de guitarra que mais combina com o timbre necessário para que você toque bem esse gênero musical.

Silhueta de homem tocando guitarra.

Após definir sua finalidade de tocar guitarra você consegue escolher o melhor modelo. (Fonte: harutmovsisyan / Pixabay)

A Stratocaster, por exemplo, possui o timbre estalado e mais destaque nos harmônicos. A Les Paul, por sua vez, possui o timbre mais aveludado e grave, enquanto na Telecaster ele é mais seco e agudo.

Na semiacústica, que mencionamos anteriormente ao explicar a diferença entre os dois principais tipos de guitarra, o som é bem dividido entre um violão e uma guitarra.

Descubra aquilo que você quer do seu instrumento, qual timbre precisa extrair dele, e assim saberá qual tipo de guitarra mais combina com o som que você quer fazer.

Se você ainda não sabe o que quer tocar, o recomendado é que vá de Stratocaster. Ela é um modelo de guitarra mais versátil, e vai permitir que você toque diversos tipos de sons diferentes.

O ideal é que ela misture ainda dois tipos de captadores, um humbucker e outro single coil. O humbucker vai te possibilitar sons mais pesados, como rock e metal, e o single coil vai te permitir sons como o funk e acordes mais definidos e brilhantes.

Marcas

Depois de escolhido o modelo da sua guitarra, é hora de pensar na marca que mais combina com você. Nesse quesito, afinidade e gosto contam muito, portanto se você é marinheiro de primeira viagem, aqui vai um pouco da história e características de cada uma:

  • Les Paul: Fundada por um guitarrista chamado Lester William Polsfuss, já tido como um dos melhores do mundo pela revista de música Rolling Stone, a Les Paul é sem dúvidas uma das marcas mais influentes da história.
    Algumas celebridades que já demonstraram seu apreço seu favoritismo pela marca são Eric Clapton, Jimmy Page e Slash.
  • Tagima: A Tagima, marca brasileira de guitarras, nasceu em Barueri, interior de São Paulo. Criada por Seizi Tagima, um japonês no final da década de 70, a Tagima é a criadora da linha Memphis. Músicos como Kiko Loureiro e Vernon Neilly são clientes fiéis da marca.
  • Yamaha: Marca famosa fundada no Japão, a Yamaha teve seu posto durante décadas de especialista na fabricação de motores automotivos. Mas na década de 50 ela resolveu se focar na música, apostando muito em instrumentos de corda e sopro.
    Alguns músicos como Troy Van Leeuwen, Wes Borland e Jason Mraz usam guitarras Yamaha em seus shows.
  • Epiphone: A Epiphone começou com o grego Anastasios Stathpoulos, que saiu da Turquia rumo aos Estados Unidos no século XIX. As guitarras Epiphone atingiram fama mundial nos anos 70 com o modelo Casino, o preferido de 3 a cada 4 Beatles.
    Mas os Beatles não foram os únicos a se apaixonarem pela marca: John Lee Hooker e B.B. King também foram fãs da marca.
  • Fender: A Fender Musical Instruments Corporation foi fundada na década de 40 pelo técnico Leo Fender, e hoje ela é uma das maiores marcas do mundo das guitarras, sendo o melhor nome dos modelos de corpo maciço.
    Com uma Fender em mãos, músicos como Jimi Hendrix e Mark Knopfler, do Dire Straits, gravaram álbuns da maior importância do mundo da música.
  • Ibanez: A Ibanez, marca de Hoshino Gakki, é hoje a marca de instrumentos musicais oriental que mais fatura do lado de cá. Seu êxito é tanto que, além de músicos como Steve Vai na lista de clientes, o nova-iorquino Joe Satriani possui sua própria linha de instrumentos Ibanez, a JS1000.

Existem muitas marcas além dessas que citamos, mas cobrimos as principais do mercado e que você, sem dúvidas, já deve ter ouvido falar. Escolha a sua e mãos na massa!

Modelos

Agora que você também já está por dentro das principais marcas, vamos falar também dos principais modelos? Existe inúmeras particularidades para cada um, que estão completamente ligadas ao tipo de som que o músico pretende fazer na guitarra.

Modelo Característica Ideal para
Strato É versátil e possui ótima sustentação de notas Quem busca fazer sons mais leves com a guitarra
Les Paul Possui captadores duplos Os amantes de metal que pretendem extrair esse tipo de som da sua guitarra
Flying V Possui um shape um futurístico. Com sua inclinação de 17 graus, oferece uma excelente pressão na parte de trás da cordas, aumentando assim a sustentação de notas Não é indicado para os que precisam tocar o instrumento sentados
Telecaster Possui corpo maciço e dois compartimentos Amantes de sertanejo e country
Stratocaster De escudo único e pode chegar a ter até três captadores single coil Quem deseja tocar qualquer tipo de música

Fabricação

Antes de adquirir uma guitarra, é necessário observar detalhes da sua fabricação para evitar quaisquer problemas futuros ou defeitos provindos já de fábrica do seu instrumento novo.

De preferência, peça auxílio a um guitarrista mais experiente nessa parte, mas se não puder, fique de olho nas seguintes dicas:

Em relação à madeira, a guitarra pode conter partes delas que possam estar empenadas, torcidas ou trincadas.

Geralmente, se a pintura da guitarra está com problemas isso é facilmente identificado, mas um problema na estrutura para um iniciante pode acabar passando despercebido.

Observe se o braço na guitarra está funcionando normalmente, tocando em cada casa dele para ver se a afinação está correta.

Observe também se as ferragens da guitarra estão em perfeito estado ou apresentam sinais de ferrugem nelas. Caso apresente sinais do tempo, você pode pedir para que elas sejam trocadas sem custo.

Além das ferragens, fique de olho também na parte elétrica. É legal verificar se todos os knobs (botões que giram para um lado e para outro) estão funcionando sem maiores problemas.

Além dos knobs, a chave deve estar funcionando perfeitamente em todas as posições. E por último, mas não menos importante, verifique se a entrada em que você conecta o cabo da guitarra também está funcionando normalmente.

E aí, já tem em mente qual modelo de guitarra mais combina com você? Esperamos ter ajudado você a fazer sua próxima aquisição com mais facilidade e confiança! Nos vemos na próxima.

(Fonte da imagem destacada: Pexels / Pixabay)

Por que você pode confiar em mim?

Pedro d'Ávila Músico e Viajante Incansável
Os cinco anos vagando pela Europa e tocando de metrô em metrô e deram a Pedro uma experiência de vida incrível, só comparada a seus anos e anos acampando pelo Brasil e pela América do Sul. Hoje, estabelecido em Dublin, ele segue conhecendo novos lugares e comparilhando o conhecimento adquirido com as experiências de vida.