Imagem mostra um painel de um consultório odontológico, com diversas ferramentas, incluindo um irrigador oral colorido.
Ultima atualização: 2 de fevereiro de 2020

Como escolhemos

11Produtos analisados

17Horas investidas

6Estudos avaliados

49Comentários coletados

Olá, seja bem-vindo ao ReviewBox Brasil! Hoje vamos falar tudo sobre irrigador oral, o aliado da higiene dental que combina tecnologia, praticidade e eficiência.

Seja tomando uma sopa ou mandando ver numa boa pipoca, qualquer alimentação deixa resíduos em nossa boca, presos entre nossos dentes ou prensados entre as saliências de nossa gengiva. Com um jato de água direcionado, o irrigador oral promete fazer da eliminação destes restos um processo mais rápido e fácil.

Neste Guia, falaremos tudo o que você precisa saber sobre o produto, para que possa escolher o modelo na hora da compra: as melhores unidades, os critérios para diferenciá-las, além de informações objetivas de como funciona e seus principais benefícios.




Primeiro, o mais importante

  • O irrigador oral não substitui o fio dental, nem a escovação. Seu melhor desempenho é como um complemento a essas atividades. Além disso, é recomendável uma consulta a um dentista antes de começar a usar o produto.
  • Existem modelos fixos, ou de mesa, com um reservatório de maior volume, e os portáteis, com mini-reservatórios próprios, sem a necessidade de mangueira e com uma bateria interna.
  • Seu preço varia de R$ 25 à R$ 850, dependendo da capacidade de seu reservatório, materiais e tecnologia empregada.

Você também pode gostar:

Ranking: Os 3 melhores modelos de irrigador oral

Esse é um produto não tão popular assim, logo, fica mesmo difícil encontrar o melhor modelo. Para facilitar sua busca, listamos agora os melhores modelos de irrigador oral, baseado em seu custo- benefício, material e tecnologia.

1º - Irrigador Oral Multilaser

O valor do irrigador da Multilaser não é exatamente baixo, mas é bastante abaixo dos outros modelos com o mesmo nível. Por conta disso, conta com o melhor custo benefício.

Este modelo tem sete opções de bico, recomendados para diversas condições de saúde bucal, fora a caixa higiênica para o armazenamento destes. Conta também com dez níveis de pressão e a função “pausar”.

2º - Irrigador Oral Portátil Waterpik

O modelo portátil da Waterpik, a marca pioneira do produto, é muito bem equipada, compatível a seu alto valor. A começar pelos bons 200 ml de reservatório interno, que garantem um uso completo sem necessidade de reabastecimento.

Depois, tem bateria recarregável, bivolt e dois níveis de pressão do jato, tudo num design ergonômico, que maximiza o conforto do produto.

3º - Irrigador Oral Water Pulse

O irrigador da Water Pulse é bastante equipado para um modelo com um valor abaixo do mercado. Possui cinco bicos diferentes, incluindo limpador de língua, reservatório de 800 ml e cinco níveis de pressão.

Guia de Compra

Embora muitas pessoas não saibam da importância do irrigador oral e fazem uso dele apenas no consultório do dentista, este equipamento é um grande aliado na saúde bucal e melhor escovação.

Como a saúde da nossa boca é coisa séria, trouxemos neste Guia de Compra todas as informações que você precisa saber sobre o produto, para esclarecer qual o melhor tipo e o melhor modelo para você e seus cuidados.

Imagem mostra uma dentista atendendo um menino. Ela está com ambas as mãos delicadamente na boca do paciente.

Apesar de benéfico, o uso do irrigador oral deve ser consultado com um dentista. (Fonte: jarmoluk / Pixabay)

O que é o irrigador oral?

O irrigador oral é um dispositivo criado para assistir a higienização diária da boca, isto é, todo o processo de escovação e enxágue dos dentes, gengivas e língua que devemos fazer todos os dias.

Ele opera disparando um jato de água pulsante, direcionado por um bico. Por meio deste jato, o aparelho emite pulsos ultrassônicos, comumente numa frequência de 1.200 à 1.600 por minuto.

Estes pulsos fazem vibrar placas, germes e restos de comida - os três principais alvos da higienização bucal -, e atacam assim a aderência destes corpos aos dentes e gengivas. A pressão do jato e a água em si fazem o resto do trabalho, carregando as sobras até serem expelidas da boca.

O vídeo a seguir, em inglês com legenda em, português, mostra um pouco mais sobre o funcionamento de um modelo de irrigador oral:

O irrigador foi inventado nos EUA, em 1962, pela empresa hoje conhecida como Waterpik. Na febre das inovações tecnológicas das décadas de 50 e 60, o produto foi idealizado como um substituto eletrônico do palito de dente e do fio dental.

Ele atua na região entre os dentes e abaixo da linha da gengiva, o mesmo que seus dois “concorrentes”. Hoje, porém, ele é entendido como um complemento ao fio dental e à escovação.

Quais as vantagens e desvantagens do irrigador oral?

O fato de o produto ser entendido como um complemento diz muito sobre a natureza de suas vantagens e desvantagens. Isso porque oferece conforto e eficiência na limpeza de placas, germes e resíduos e, até certo ponto, praticidade. No entanto, não entrega uma limpeza completa, nem mesmo sem sua área de atuação.

No escopo das vantagens, comecemos com o conforto. Com a pressão adequada, o irrigador é tão amigável às gengivas com um bochecho, só que um pouco mais forte. Assim, é muito difícil fazer pequenas feridas, que podem ocorrer no uso incorreto do fio dental, por exemplo.

Imagem mostra um close das cerdas de uma escova de dentes azul, com uma pasta cristalizada sobre elas. Ao fundo, o corpo da escova sob uma superfície azul.

A limpeza do irrigador oral é mais eficiente como um complemento à escovação. (Fonte: George Becker / Pexels)

Esse conforto nos leva à outra vantagem, que é a “cobertura” que dá a pessoas com dentes e/ou gengivas delicadas e sensíveis, decorrentes de gengivites, implantes, coroas, até diabetes, para se ter noção.

Um estudo publicado no prestigiado American Journal of Orthodontics e outro no Journal of Dental Hygiene atestam a eficácia do produto nesses casos, assim como para usuários de aparelho ortodôntico.

Se pensarmos no procedimento do fio dental - dente por dente, fenda por fenda - o irrigador tem um uso bem mais prático. Basta apontar, apertar e limpar.

Esse quesito, no entanto, também pode ser uma desvantagem. Dentro da boca, a operação é bastante fácil, mas até chegar lá, nem tanto. Para o jato, o produto precisa, obviamente, de uma fonte de água - e aí que mora o problema.

Seja nos modelos com tanque próprio ou os que usam água da torneira, o processo para viabilizar o seu uso não é tão prático como o uso em si.

Depois, o aparelho não é 100% eficiente na limpeza dos resíduos, especialmente os menores entre os dentes, na linha da gengiva, além das placas aparentes. Por isso que seu uso não exclui a escovação e o fio dental.

Vantagens
  • Confortável e amigável à boca
  • Eficiente para bocas delicadas e sensíveis
  • Limpeza rápida
Desvantagens
  • “Apenas” um complemento à higienização
  • Ineficiente contra placas aparentes e resíduos menores
  • Processo para uso pouco prático

Irrigador oral com reservatório próprio ou externo?

O reservatório do irrigador é um ponto crucial de sua funcionalidade. Por isso mesmo é um aspecto que gera variações no produto.

Há aqueles com reservatório próprio, com tanques similares àqueles com filtros, para servir água potável mesmo. Os usados para os irrigadores, no entanto, são bem menores. A maioria tem um volume de 600 ou 650 ml.

Este tipo, o mais comum, tem a vantagem de ser “independente”, podendo ser usado onde o seu dono bem entender, além de garantir um bom número de usos sem a necessidade de reabastecer.

View this post on Instagram

Toothbrush match Water flosser more better, keep you teeth health.

A post shared by Raya (@care_oral__raya) on

Por outro lado, não como fugir desse reabastecimento, além de ser um tanto espaçoso - pelo menos comparado aos sem reservatório, que se acoplam às torneiras.

Estes não necessitam de reabastecimento e podem oferecer jatos tão longos quanto o fornecimento de água da sua casa. Em contrapartida, seu uso é menos prático, por precisar ser acoplado e desacoplado de uma torneira à cada uso.

Reservatório Fonte externa
Eficiência Média: jatos limitados pelo volume Alta: jatos ininterruptos
Praticidade Média: poucos reabastecimentos Média: acoplar e desacoplar da torneira a cada uso

Irrigador oral com ou sem mangueira?

Outro aspecto no irrigador oral é a mangueira. Indispensável na maioria dos modelos é também quem limita sua praticidade.

Os modelos que contam com ela são mais eficientes e duradouros, pelo menos os de qualidade. A mangueira, porém, pode ser um inconveniente, seja pelo seu tamanho, sua manutenção, isto é, seu uso correto para que se prolongue sua vida útil, que não costuma a ser das maiores.

As unidades sem o tubo flexível não têm esses problemas. Com um mini-reservatório próprio, os modelos também são portáteis.

Seu ponto negativo é o uso muito limitado por enchimento do tanque, dado a pouca capacidade de seu tamanho reduzido. Há também o fardo da bateria, que precisa ser trocada ou recarregada periodicamente, como todo o produto com fonte portátil.

Imagem mostra um irrigador oral com reservatório de água e mangueira.

O irrigador oral com mangueira é mais eficiente, porém, menos prático. (Fonte: Konstantin Gushcha / 123RF)

Quanto custa?

Apesar de preços abaixo de cem reais serem uma exceção, é possível encontrar irrigadores orais a partir de R$ 25 e até R$ 850, uma variação bastante grande.

Os maiores motivos são o tamanho do reservatório, sendo o valor proporcional, a tecnologia empregada, como a pressão personalizável, proporcional à seu refinamento, e pela variedade de bicos.

Onde comprar?

Na maioria das grandes redes de farmácia, como a Drogaria São Paulo ou a Onofre, você pode encontrar irrigadores orais de qualidade.

Se, no entanto, você também busca maior variedade de preços e modelos, além de aproveitar a compra no conforto da sua casa, lojas online como a Amazon.com.br, Mercado Livre e Americanas, além das versões web das farmácias, podem atender perfeitamente sua demanda.

Imagem de mulher sorrindo.

O irrigador oral age principalmente entre os dentes e abaixo da linha da gengiva. (Fonte: ShaeShae / Pixabay)

Critérios de compra: Fatores para comparar os diferentes modelos de irrigador oral

Vamos trazer agora alguns critérios de escolha, que são aspectos do produto a se prestar atenção tanto para a hora de escolher o modelo como para concluir a compra.

  • Pressão da água
  • Bico
  • Tamanho do reservatório
  • Compatibilidade: mangueira e bateria

Agora, vamos detalhar cada um destes aspectos, para você chegar preparado para escolher o modelo ideal para você.

Pressão da água

Para que o irrigador funcione como um jato confortável e eficiente e, principalmente, adequado a seu gosto e necessidade, é preciso estar atento à pressão da água.

O mais indicado é ter um modelo com pressão ajustável, ou pelo menos que tenham diferentes níveis de intensidade disponíveis para a escolha.

Se nenhum dos dois for o caso, evite modelos com mais de 50 PSI e sempre, relembremos, converse com um dentista, ortodontista ou outro especialista antes de começar a usar o produto.

Bico

Outro aspecto muito importante do irrigador é o seu bico. Antes de tudo, busque modelos cujo bico tenha o melhor alcance possível, com possibilidade de giro e ângulos mais amplos, além de um material confortável para sua boca.

Depois, quanto maior o número de bicos, melhor. Assim, seu modelo fica mais higiênico, por poder trocar o bico assim que necessário; mais duradouro, ao sempre ter seus componentes os mais eficientes possíveis; ou até passível de compartilhamento, para uma família, ainda por cima.

Neste último caso, é melhor que os bicos sejam coloridos, para que ninguém se confunda.

Tamanho do reservatório

É preciso ficar atento ao reservatório de água, se houver. Sua capacidade pode variar de 200 ml a 1 litro, na maior parte dos modelos.

Este aspecto é quem vai ditar seu uso, entre individual ou compartilhado; o lugar onde ficará posicionado, pelo seu tamanho; sua eficiência, pela duração do jato; e sua praticidade, pelos intervalos entre os reabastecimentos, proporcionais ao volume do reservatório.

Compatibilidade: mangueira e bateria

Por fim, é recomendável a atenção na compatibilidade de seus modelos escolhidos com o seu uso ou com o local em que será usado.

No caso dos “fixos”, essa atenção recai principalmente ao tamanho da mangueira e do fio da tomada, e se dão conta da distância entre o local onde ficarão e a pia onde serão usados.

Para os portáteis, o que deve ser observado é a potência da bateria, isto é, se sua carga aguenta o bastante para seu uso pretendido e se encaixa no tempo que você tem disponível para carregá-la ou mesmo para trocá-la.

(Fonte da imagem destacada: Daniel Frank from Pexels / Canva)

Por que você pode confiar em mim?

Lucas Ayres Jornalista
Fanático por esportes e apaixonado por música, vive antenado às novas tecnologias e tendências da moda masculina. Escreve sobre os produtos que orbitam nesses assuntos, e outros que deixam a casa e o dia a dia mais fácil, prático e, além de tudo, saudável.