Imagem de uma minicama elástica (jump).

Seja bem-vindo ao ReviewBox Brasil. Hoje vamos falar sobre o jump, a minicama elástica usada para praticar uma atividade física com o mesmo nome que trabalha várias partes do corpo em movimentos de alta intensidade muscular e aeróbica.

Além de ajudar a emagrecer e tonificar a musculatura, o jump auxilia na perda de calorias, a eliminar gordura localizada, fortalecer o coração, melhorar o equilíbrio, a coordenação motora e aumentar a concentração e produtividade.

Primeiro, o mais importante

  • A principal diferença entre os modelos de jump é o sistema de propulsão, que pode ser de molas ou elásticos. O jump de elástico é ideal para uso doméstico e o de molas para uso profissional, em academias de ginástica.
  • O ideal é escolher um modelo redondo, com pelo menos 90 cm de diâmetro, com peso entre 5 e 10 kg, capacidade para 100 ou 150 kg e com pés emborrachados e sistema antiderrapante.
  • O jump tem um custo baixo, principalmente se compararmos com outros equipamentos de ginástica. Você encontra modelos a partir de R$190 e o mais caro chega a R$480.

Você também pode gostar:

Os melhores modelos de jump: nossos favoritos

Você já pediu recomendações de amigos, professores de academia e pesquisou na internet, mas ainda não sabe qual modelo de jump vale a pena investir? Então confira este ranking com os melhores modelos de jump.

Opção para usar em exercícios de recuperação fisioterapêutica

O jump da Natural Fitness pode ser usado tanto para praticar atividades aeróbicas, quanto exercícios de recuperação fisioterapêutica. Esse equipamento tem estrutura em ferro, cinco pés de apoio, 32 molas e aro reforçado, que proporciona estabilidade e segurança. A estrutura tem 100 cm de diâmetro e a lona tem 75 cm. Esse equipamento suporta uma pessoa de até 150 kg.

Ideal para praticar exercícios em casa

O jump da Henri Trampolim é ideal para praticar exercícios em casa. O equipamento tem estrutura em aço galvanizado, sistema de propulsão movido a 30 molas fixadas à lona por suportes de aço. Esse modelo tem 90 cm de diâmetro, sendo 65 cm de diâmetro da lona. Vem com seis pés fixos com sapatas de PVC antiderrapante. Suporta pessoas de até 100 kg e o impacto de até 200 kg.

Ótima opção na categoria profissional

O jump KL Master Fitness é um modelo de categoria profissional que também pode ser usado em casa. O equipamento ocupa pouco espaço, tem 97 cm de diâmetro, pesa oito quilos e suporta pessoas com até 100 kg. Esse modelo é feito de ferro, possui aro de reforço, cinco pés soldados que garantem estabilidade e segurança e 32 molas usadas para estabilizar a lona. O produto está disponível na cor rosa ou preto.

Melhor opção para transporte do equipamento

O jump da Polimet é um modelo ideal para o uso doméstico. Feito em tubos de aço, o equipamento tem sistema de propulsão de elástico, tela costurada em linha de nylon e capacidade para suportar uma pessoa de até 120 kg. Esse modelo possui apenas três pés de apoio, o que facilita o transporte do equipamento.

Guia de Compra

Hoje em dia, as pessoas procuram atividades físicas que trabalham o corpo inteiro ao mesmo tempo. Pela falta de tempo, também é importante que a atividade seja de alta intensidade e rápida.

Uma dessas atividades é o jump, que traz inúmeros benefícios para o corpo e a mente. Tanto que muitas pessoas estão comprando um mini jump para treinar em casa. Se você quer saber tudo sobre o equipamento, leia este Guia de Compra.

Imagem de mulheres praticando jump.

O jump traz diversos benefícios para o corpo e para a mente, por isso você deve praticar o esporte com regularidade. (Fonte:Sergiy Tryapitsyn / 123RF)

O que é jump?

O jump (também chamado de body jump, body systems, power jump e jump fit) é uma modalidade esportiva que utiliza um pequeno trampolim (também chamado de jump) para realizar movimentos aeróbicos.

Esses movimentos são dinâmicos e podem ser desde corridas estacionárias até coreografias completas, ao som de ritmos musicais dançantes, em diversos níveis de intensidade e dificuldade.

O jump vai melhorando o condicionamento físico da pessoa dia após dia e traz benefícios tanto para quem está começando a praticar os exercícios, quanto para quem já é ativo há mais tempo.

Algumas pessoas praticam jump como forma de aquecer o corpo para praticar outros exercícios na academia. As aulas duram entre 45 e 60 minutos e podem ser realizadas em grupos.

Imagem de um grupo de mulheres na academia.

A aula de jump também é uma oportunidade de conhecer pessoas com gostos parecidos com o seu. (Fonte: Bruce Mars / Pexels)

Uma característica interessante do jump é que a lona do trampolim amortece o impacto dos saltos em até 80%, diminuindo bastante o risco de lesões na coluna ou nas articulações dos joelhos, tornozelos e quadril.

Quais são os benefícios do jump?

A prática de jump traz inúmeros benefícios para a saúde. Por ser um exercício aeróbico intenso, você vai perceber um alto gasto calórico.

Em uma aula é possível perder de 400 a 900 calorias.

Em uma aula é possível perder de 400 a 900 calorias (dependendo dos movimentos e intensidade). A perda de calorias acelera o processo de emagrecimento e queima de gordura localizada.

Além disso, você vai perceber o fortalecimento de todos os músculos inferiores do corpo. Como o jump exige coordenação motora, é possível notar o aumento no equilíbrio.

A superfície elástica instável exige a contração do abdômen e da coluna lombar. Essa contração estimula o fortalecimento dessas áreas do corpo, aumenta a sustentação da coluna, tonifica os músculos e melhora a postura.

Imagem de uma mulher com o abdômen sequinho.

Praticar jump também vai ajudar a fortalecer e tonificar os músculos do seu abdômen. (Fonte: Gorila Creativo / Pixabay)

Um dos benefícios mais importantes do jump é o fortalecimento do sistema cardiovascular. Você vai perceber que consegue realizar as atividades cotidianas com facilidade, agilidade e sem sentir tanto cansaço.

A atividade também estimula a circulação sanguínea. Com a circulação sanguínea ativada, você vai perceber a redução do tecido adiposo, ou seja, as famosas gordurinhas que geram os pneuzinhos e as temidas celulites.

Confira outros benefícios de praticar jump regularmente:

  • Melhora o condicionamento do sistema respiratório.
  • Elimina ácido láctico.
  • Fortalece os ossos e previne o surgimento da osteoporose.
  • Fortalece a musculatura, favorecendo o ganho de massa muscular e favorecendo a hipertrofia.
  • Contribui para a saúde mental e melhora o humor.
  • Ajuda a eliminar toxinas pelo suor e urina.

Você também vai sentir mais energia, que ajuda a aumentar a concentração nos estudos, trabalho e atividades cotidianas. Outra vantagem é que você vai dormir melhor e acordar no dia seguinte com mais disposição para praticar o esporte novamente.

O jump também ajuda a desenvolver consciência corporal, coordenação motora, equilíbrio e a manter a boa postura.

Qualquer pessoa pode praticar jump?

Infelizmente, nem todo mundo pode praticar jump. A atividade é contraindicada para pessoas com problemas na coluna e nas articulações dos tornozelos, joelhos e quadril.

Mulheres gestantes ou pessoas que estão acima do peso também devem evitar. Se você sofre de incontinência urinária, esse esporte também não é a melhor opção. Se você tiver varizes, é preciso pedir liberação médica antes de começar a praticar jump.

Imagem de uma mulher grávida fazendo Yoga.

Mulheres grávidas devem praticar atividades físicas mais suaves. (Fonte: StockSnap / Pixabay)

É possível treinar jump em casa?

Para ver todos os resultados que citamos acima, é precisa treinar jump com bastante frequência, pois do contrário os resultados demoram a aparecer.

A solução mais prática nesse caso é comprar um jump para treinar em casa, dessa forma, você consegue se exercitar em um horário que fique melhor para você e pode colocar a sua música favorita para realizar os movimentos.

Além da falta de tempo, algumas pessoas moram em cidades pequenas e não encontram academias especializadas em aulas de jump. Nesse caso, comprar o equipamento para treinar em casa é a única opção.

Você pode acompanhar aulas de jump pelo Youtube. Alguns modelos até vêm com um DVD para que você possa assistir algumas videoaulas e praticar o esporte em casa.

Quais as vantagens e desvantagens de comprar um jump?

O jump é uma cama elástica com o tamanho reduzido, ideal para praticar atividades físicas (você pode realizar outros exercícios com o equipamento além do jump).

Você encontra o jump em três formatos diferentes: oval, redondo e quadrado. O tamanho também varia, há modelos de 90 a 105 cm de diâmetro, que pesam de 5 a 10 kg (quanto maior e mais pesado, mais sustentação oferece).

Imagem de um grupo de mulheres praticando Jump.

Alguns modelos vêm com alça para realizar movimentos no ar. Essa prática é chamada de aero jump. (Fonte: 123mn / 123RF)

Você também encontra o jump dobrável e com pés removíveis, ideal para quem costuma carregar o equipamento. Mas é preciso usá-lo com cuidado, pois esse modelo não é tão estável quanto o tradicional.

A durabilidade varia, há modelos de uso doméstico e uso profissional (vamos explicar as diferenças na próxima seção), que podem ter sistema de propulsão movido a molas ou elástico.

Independente do modelo que você escolher, procure escolher um jump com garantia mais longa.

Vantagens
  • Ter o equipamento em casa vai incentivá-lo a praticar os exercícios regularmente
  • É um equipamento relativamente barato
  • Você encontra modelos de uso doméstico e profissional
  • A garantia varia de 3 a 24 meses
Desvantagens
  • O jump de elástico tem durabilidade inferior
  • O jump de molas é mais caro
  • O modelo dobrável não oferece muita segurança e estabilidade
  • É difícil de transportar

Jump: quais são as diferenças dos modelos de uso profissional e doméstico?

Você encontra o jump de uso profissional e doméstico. O jump de uso pessoal é mais leve, menor, muitas vezes com sistema de propulsão de elástico, menos resistente e mais barato.

O jump usado em academia de ginástica, área fitness de condomínio ou por alunos de personal trainer, será utilizado com bastante frequência e por pessoas com pesos diferentes, por isso é essencial que seja comprado um equipamento profissional.

O modelo de uso profissional costuma ser de maior qualidade, equipado com molas, aro de reforço e suporta uma variação de peso de 80 a 220 kg (depende do modelo, essa informação está descrita na ficha técnica do produto).

Qual é o melhor sistema de propulsão?

Você encontra modelos de jump com dois sistemas de propulsão: molas ou elásticos. Para escolher o modelo ideal, é preciso avaliar qual é o objetivo com o aparelho, antes de realizar a compra.

O jump com elástico é um pouco mais barato, em contrapartida é menos resistente, apresenta desempenho inferior e tem uma durabilidade menor, pois com o tempo o elástico vai se desgastando.

O jump com sistema de molas é muito mais resistente. Além disso, esse modelo proporciona ainda mais desempenho em sua rotina de exercícios, pois a mola ajuda a aumentar o impulso dos saltos durante a aula.

Imagem de uma mulher pulando.

O jump de molas impulsiona seus saltos. (Fonte: Tim Savage / Pexels)

Não há um padrão para o número de molas no jump, cada fabricante coloca a quantidade que desejar, por isso, quando for comprar o equipamento, analise a quantidade de molas e tenha em mente que quanto mais, melhor.

Só para você ter uma ideia de comparação, um jump profissional pode ter até 36 molas, sendo 18 à direita e mais 18 à esquerda.

Se for comprar um jump com sistema de propulsão a molas, prefira os modelos com capa de proteção, pois, além de oferecer mais segurança, esse modelo também é mais fácil de limpar.

Outra dica é comprar um jump com molas na parede do aro. Essa forma de posicionar as molas faz com que o atrito gerado quando você salta no equipamento, seja menor, diminuindo o risco de a lona rasgar.

Preparamos uma tabela comparando as principais características presentes no jump de elástico e molas, para que você possa analisar essas duas opções. Confira:

Jump de elástico Jump de molas
Sistema de propulsão Elásticos Molas
Quantidade de molas/elásticos De 28 a 32 elásticos De 30 a 36 molas
Capacidade de carga Até 120 kg Até 220 kg
Peso do equipamento 5 Kg 10 kg
Estrutura Com aro Com aro. Pode vir com aro de reforço e capa de proteção
Recomendação de uso Residencial, apenas Profissional ou residencial
Garantia De 3 a 12 meses De 12 a 24 meses
Preço Mais barato Mais caro

Quanto custa um jump?

O preço de um jump depende do modelo e garantia de uso. Para você ter uma ideia, o valor inicial deste equipamento é R$ 190 (modelo de elástico).

O jump com molas é o modelo mais vendido, por isso você encontra uma grande variedade de marcas que oferecem o produto. Os preços variam, há modelos mais acessíveis que custam entre R$ 250 e R$ 300 e opções mais caras, que chegam aos R$ 480.

Você também pode comprar peças de reposição para o jump. Dá para encontrar conjuntos com molas, pés, lona e ganchos por cerca de R$ 150. Os produtos também são vendidos separadamente.

Dessa forma, você não precisa comprar um equipamento novo se o seu apresentar algum defeito.

Onde comprar um jump?

Nas grandes cidades, você encontra lojas especializadas em equipamentos esportivos e de ginástica como Centauro e Decathlon.

Mas como o preço pode mudar bastante de uma loja para a outra, uma boa alternativa é pesquisar os preços do jump em sites que vendem equipamentos para academia como Netshoes, Dafiti e lojas de departamento como Amazon e Mercado Livre.

Imagem de uma pessoa fazendo compras pela internet.

Dá para comprar o jump pela internet. (Fonte: PhotoMIX-Company / Pixabay)

O legal de comprar um jump pela internet é que você consegue adquirir um equipamento com a mesma qualidade de lojas físicas a um preço mais baixo e sem precisar sair de casa.

Além disso, você pode ler as avaliações que outros consumidores fizeram sobre o produto.

Critérios de Compra: Fatores para comparar os diferentes modelos de jump

Popular em academias de ginástica do mundo inteiro, dá para praticar jump em casa, você só vai precisar comprar um equipamento: um jump. Depois, é só começar a se exercitar e aproveitar os benefícios trazidos pelos exercícios.

Mas para escolher o modelo ideal de jump, você deve analisar as seguintes características:

  • Elástico ou mola?
  • Aro de reforço
  • Formato
  • Tamanho
  • Peso
  • Peso que suporta
  • Pés
  • Capa de proteção
  • Garantia

Vamos explicar cada um dos itens em detalhes. Ao final desta seção você saberá como escolher o melhor jump. Bom treino!

Elástico ou mola?

Como já mencionamos anteriormente, o sistema de propulsão do jump pode ser de elástico ou mola.

O modelo com sistema de propulsão de elástico é uma opção mais acessível, mas também menos resistente e com durabilidade inferior, pois com o uso prolongado, o elástico vai afrouxando.

Se você pretende usar o equipamento com frequência, mesmo que apenas em casa, prefira o jump com molas, pois ele é mais resistente e apresenta mais elasticidade, o que ajuda na execução dos exercícios.

Imagem do sistema de molas de um jump.

O jump de molas é mais resistente do que o modelo de elástico. (Fonte: Schanin / Pixabay)

Em relação ao número de molas, quanto mais, melhor. Também procure um modelo que venha com algumas molas extras, caso você precise fazer a substituição de alguma delas.

Aro de reforço

Quando estiver pesquisando um modelo de jump, vale a pena procurar um equipamento com aro de reforço. Essa peça fica logo abaixo do aro principal e sua função é oferecer a garantia de durabilidade e sustentação ao equipamento.

Formato

Você pode encontrar o jump em três diferentes formatos:

  • Quadrado: É o trampolim acrobático.
  • Redondo: É o mais indicado para treinar. Ocupa pouco espaço em casa.
  • Oval: Pode ser usado por quem mora em apartamento ou casa pequena, pois ocupa ainda menos espaço do que o redondo.
Imagem de pessoas em uma aula de jump.

O jump no formato redondo é um modelo tradicional. (Fonte: giorgiorossi73 / 123rf)

Você também encontra o jump dobrável, um modelo muito prático, ideal para quem precisa transportá-lo ou não tem espaço em casa. Um ponto negativo deste modelo é a vulnerabilidade da estrutura dobrável.

Tamanho

Quando você estiver pesquisando um jump para comprar, atente-se às especificações do fabricante em relação ao tamanho do equipamento. De acordo com especialistas o diâmetro ideal é acima de 90 cm.

Quanto maior o diâmetro, melhor, pois você vai sentir mais estabilidade para executar diferentes movimentos e ainda mais conforto e segurança para avançar nos exercícios.

O diâmetro do equipamento é medido de duas maneiras: diâmetro total, ou seja, largura do jump, e área útil, ou seja, a área de lona, onde você vai pular.

A altura do equipamento obedece a um padrão e mede em torno dos 20 centímetros. A altura mais baixa é para não causar acidentes graves se você escorregar e cair do equipamento.

Peso

Quando for comprar um jump, não se esqueça de checar o peso do equipamento na ficha técnica do produto, pois o peso do jump influencia na estabilidade do equipamento. O peso varia de 5 a 10 kg.

Quanto mais leve for o jump, mais ele vai se movimentar durante a prática dos exercícios, causando insegurança e provocando um barulho mais alto do que o habitual.

Quem está começando a praticar o esporte deve evitar usar um equipamento muito leve, pois a instabilidade pode dificultar a realização dos exercícios.

Peso que suporta

Outra característica que deve ser levada em consideração é saber o peso máximo que o jump suporta, para não correr nenhum risco quando estiver usando o equipamento.

Se optar por comprar um modelo de uso doméstico, saiba que o equipamento suporta um adulto de até 120 kg. O jump profissional tem a capacidade para pessoas com até 220 kg.

foco

Você sabia que a força de reação do solo (FRS) na prática de jump é de cerca de 2,5 o peso corporal (similar à da corrida)? Portanto, analise se o fabricante do jump considera o peso suportado pelo equipamento com ele em uso ou apenas se refere à capacidade estática. No segundo caso, você deve dividir o peso máximo recomendado por 2,5.

Pés

Se você for praticar jump no seu apartamento, procure por um modelo com pés emborrachados e com sistema antiderrapante, pois além de oferecem mais segurança em contato com o piso, também fazem menos barulho durante o exercício, assim você não incomoda os vizinhos.

Você também encontra modelos com pés soldados ou fixados por parafusos. Tome cuidado com modelos em que os pés são parafusados, pois alguns consumidores relatam que a peça pode soltar durante o uso do equipamento.

Alguns modelos têm pés removíveis, ideais para quem precisa transportar o equipamento. Ah, quando for comprar um jump, procure um modelo com pelo menos cinco pés, que garantem total estabilidade para os seus treinos.

Imagem de uma pessoa em cima de um jump.

O jump precisa ter pelo menos 90 cm de diâmetro para garantir estabilidade, conforto e segurança na prática de esportes. (Fonte: Pavol Stredansky / 123RF)

Capa de proteção

Se você optar por comprar um jump com sistema de propulsão a molas, escolha um modelo com capa de proteção.

A finalidade da capa é revestir as molas para protegê-lo, dessa forma, mesmo que você pise nelas durante os movimentos, não irá se machucar nem causar acidentes mais graves.

Com a capa você irá se sentir mais seguro, principalmente se for iniciante ou estiver no período de adaptação para treinar jump em casa. Outro benefício é que a capa diminui o desgaste nas molas e facilita a limpeza do equipamento.

Garantia

Quando for comprar um jump, seja em loja física ou virtual, certifique-se qual é o prazo de garantia que o fabricante oferece para o produto.

A melhor forma de economizar, é comprar um jump com garantia longa, assim, você sabe que vai conseguir usar o equipamento por muito tempo e ainda ter o respaldo da marca. Se você for comprar um equipamento profissional, saiba que a garantia pode chegar a 2 anos.

(Fonte da imagem destacada: ALIAKSANDR KLAPKOU / 123RF)

Por que você pode confiar em mim?

Letícia Pontes Jornalista
Letícia Pontes
Apaixonada por ler e escrever, empenha-se em produzir conteúdo e relevante sobre áreas pelas quais tem muito interesse, como tecnologia, qualidade de vida, beleza e lazer.