Imagem mostra duas mãos jogando o game Mario num console portátil.
Ultima atualização: 28 de novembro de 2019

Como escolhemos

12Produtos analisados

15Horas investidas

2Estudos avaliados

56Comentários coletados

Olá, seja muito bem-vindo ao ReviewBox Brasil! No artigo de hoje, vamos falar sobre o mini game, o console portátil, prático e barato, uma maneira fácil de se divertir à qualquer hora e em qualquer lugar.

No Guia que montamos, você vai ver os melhores modelos, conhecer os mais recentes lançamentos e lembrar dos mais clássicos mini games, além, é claro, dos jogos, controles e outras informações importantes para saber - e usar - na hora de comprar o seu.




Primeiro, o mais importante

  • A maioria absoluta dos mini games vêm com jogos em sua memória. Alguns têm seu catálogo restrito a estes títulos, outros com possibilidades de expansão via cartão de memória e afins.
  • Na onda retrô, há modelos que se dedicam à reproduzir os jogos de consoles clássicos, como Atari, Megadrive, etc.
  • Cuidado! Outra moda retrô que alguns modelos seguem é a de aumentar a quantidade de jogos embutidos, ao contabilizar versões levemente modificadas do mesmo título.

Os melhores mini games: Os favoritos da redação

Existem muitos modelos de mini game à venda, de versões modernas e portáteis de consoles clássicos à produtos genéricos. Para guiá-lo por esse mercado, selecionamos só os melhores, considerando seu desempenho, seus atributos, e, é claro, seus jogos.

O mini game mais prático

Com o Mini Game da TecToy, é assim: ligou, jogou. Ideal para rápidas sessões, este mini game pesa menos de 200g, literalmente cabe no bolso e tem um design  que permite que os botões sejam pequenos, mas fáceis de apertar, além de setas direcionais ergonômicas, que acompanham a sua velocidade nos mais complicados jogos. São 40 jogos embutidos e licenciados pelo clássico Master System, da Sega - o único do mercado.

O modelo mais completo

O SUP tem se popularizado no mercado por ser bastante completo. Só a quantidade centenária de games chamam a atenção, ainda que alguns sejam versões diferentes do mesmo game. Os outros atributos, porém, valem a pena, como a bateria removível, recarregável (com cabo incluso) e fácil de trocar, o design retangular clássico com tela de três polegadas e a conexão AV com televisores, fora os jogos de NES, Megadrive, entre outros.

O modelo de mini game mais moderno

Chega a ser irônico que um dos modelos mais nostálgicos seja também um dos mais modernos. É que o Atari Flashback, como nome acusa, reúne a nata dos jogos de um dos mais clássicos consoles de todos os tempo. Pac-man, Frogger, Dig dug, há todos, totalizando 70 títulos, e com a capacidade para mais mil jogos, a partir de seu slot para cartão de memória SD. E tudo em português!

Guia de Compras

Para reviver um jogo antigo, explorar outros jogos e versões diferentes, ou só matar um tempo mesmo, o mini game é o aparelho ideal. Escolher o mini game ideal para você, no entanto, pode não ser uma tarefa tão fácil.

São muitos modelos, e de diversos fabricantes, dos licenciados aos genéricos. No Guia de Compras que segue, vamos mostrar os mais procurados, suas características, variedades, entre outras informações, tudo para ajudar a encontrar o mini game que mais combina com você.

Imagem mostra um homem manuseando um console portátil.

O mini game é um entretenimento para gamers, ociosos e ocupados.(Fonte: Joseph Redfield/ Pexels.com)

Quais as vantagens de um mini game portátil?

Se você ainda está em dúvida se deve investir num mini game, apresentamos aqui algumas de suas vantagens. A primeira delas é, sem dúvidas, a sua praticidade. Os principais modelos contam com dezenas, quando não centenas de jogos em sua memória interna. Basta ligar, selecionar, e jogar.

Outra vantagem é a possibilidade de relembrar (para os mais novos, experimentar) os mais clássicos jogos, dos mais tradicionais consoles, diretamente em seu bolso. Há versões de Mario e Sonic em quase todos os mini games; em alguns, os catálogos completos ou selecionados de Atari, MegaDrive, NES, entre outros consoles.

Por fim, não há só diversos jogos nos mini games, eles são de diversos gêneros também. Ação, aventura, corrida, tiro, arcade, plataforma, enfim, há títulos para todas as horas e gostos.

O contraponto dessa variedade e praticidade é a falta de algumas funcionalidades básicas de games, como a opção de salvar a fase ou progresso em determinados jogos, ou uma interface com mais opções além dos jogos, como navegação por arquivos ou reprodução de música.

Vantagens
  • Praticidade
  • Games clássicos e catálogos selecionados de consoles tradicionais
  • Variedade de jogos e gêneros
Desvantagens
  • Muitos modelos não salvam os jogos
  • Interface limitada

Quantos jogos tem um mini game?

Como falamos, um dos maiores atributos, e, de certa forma, um dos elementos definidores do produto mini game, são os jogos embutidos, salvos na memória interna. É, igualmente, um dos elementos que mais varia entre modelos.

Muitos modelos contabilizam a possibilidade de expansão por cartão de memória ou pela memória interna.

E põe variação nisso. Existem mini games com quarenta jogos salvos, e outros que prometem mais de dez mil! Estes últimos, porém, não devem ser lá muito confiados. Há, de fato, dez mil arquivos, mas muitos são repetidos, versões com mudanças mínimas, ou edições clandestinas.

Os  números mais confiáveis ficam entre a casa das dezenas e a casa das centenas, como quarenta, cinquenta, setenta, até cem jogos.

Muitos dos modelos contabilizam também a possibilidade de expansão por cartão de memória ou mesmo pela memória interna. De fato, estes podem chegar aos milhares, dado o tamanho dos chamados ROMS, os arquivos dos jogos que podem ser baixados pela internet, em vários sites.

Imagem mostra a tela de inicialização de um game retrô.

Os números mais confiáveis de jogos embutidos gira em torno de quarenta e cem.(Fonte: Dark Indigo/ Pexels.com)

Como é o mini game SUP?

Um dos modelos de mini game que desponta no mercado é o SUP Game. Não só ele tem um bom preço, como também conta com atributos elogiáveis, fazendo dele um ótimo custo benefício, além de ter um design popular, e, em alguns modelos, até acessórios.

O SUP promete 400 jogos. Apesar de "maquiar" os números, o aparelho roda  jogos de diferentes consoles, como Super Nintendo, Game Boy, entre outros.

Um Super Nintendo que tem um controle conectado em frente a TV com jogos ao redor.

19 de setembro de 2020

O Game Boy, aliás, é a grande inspiração para o design do SUP. Ele, assim como o console portátil da Nintendo, tem um formato retangular, com uma tela de três polegadas na parte superior, e sete botões na parte superior, fora as setas direcionais.

foco

Você sabia? O SUP não foi o único influenciado pelo Game Boy. Nos anos 90, um dos principais mini games era o chamado Brick Game, que era um pouco mais comprido, tinha a tela bem mais simples, e rodava jogos como Tetris e Space Invaders.

Entre as funcionalidades, destaca-se a possibilidade de conectar e transmitir o conteúdo do SUP para a televisão, a partir de um cabo P2/ AV, aquele preto e amarelo, e também a sua bateria removível e recarregável, igual a de muitos celulares.

Em algumas versões, o SUP é vendido junto de um controle, chamado de controle de combate, que tem a mesma orientação horizontal dos botões do aparelho, mas mais espaçados e ergonômicos.

Imagem mostra um controle de um console da Sega sobre uma superfície de madeira.

Com controle externo e com a possibilidade de transmitir em televisões, o SUP é um híbrido entre console normal e portátil, e com o design do Game Boy.(Fonte: Hello I'm Nik ??/ Unsplash.com)

Qual o melhor mini game infantil?

Crianças e videogames têm uma "relação" complicada. Imagina então com os mini games, que podem ser levados para qualquer lugar. Ao mesmo tempo que entretém e ajudam a desenvolver a coordenação motora dos pequenos, podem viciá-los, expô-los à muitas luzes, e estragar a experiência de entrenimentos mais "calmos".

Por isso, há no mercado mini games infantis, mais alinhados com o que as crianças gostam e com as preocupações dos pais também. O melhor mini game infantil é o que atende essas expectativas.

São modelos com interfaces mais simples e objetivas, botões mais macios e duráveis, telas com luzes menos intensas e um catálogo bem limitado de jogos, não só em quantidade, mas em temática e gênero - games infantis de fato.

Imagem mostra um mini game infantil, apoiado na vertical, com um jogo rodando em sua tela.

O mini game infantil ideal tem jogos mais simples e em menor quantidade, uma tela menos intensa e mais resistente, também.(Fonte: betexion/ Pixabay.com)

Mini game ou PSP?

O mercado de mini games acompanha a tendência dos consoles portáteis das grandes empresas. Houve uma "explosão" de modelos depois do lançamento das últimas versões do Game Boy, da Nintendo, e mais recentemente depois do lançamento do PSP e do PS Vita, da Sony.

Muitos mini games têm o mesmo design do PSP, com orientação horizontal, com a tela centralizada e os botões preenchendo as laterais. Isso tudo pode gerar uma dúvida honesta: comprar um mini game ou um PSP?

Apesar do design similar, são várias as diferenças, mas duas são principais: O mini game conta com jogos embutidos, o PSP roda os jogos em CDs; a interface do mini game é simples, enquanto a do PSP tem um um sistema operacional.

Ah! O preço também é bem diferente. O PSP até diminui seu valor, mas os jogos originais aumentam o orçamento final.

Mini Game PSP
Jogos Embutidos na memória CD ou download
Interface Simples Sistema operacional Sony
Funcionalidades Jogos Jogos, internet, arquivos multimídia

Qual o preço do mini game?

Você encontra modelos de mini game com qualidade aceitável a partir de R$ 50, e modelos mais avançados, ou licenciados de algum console clássico, por até R$ 300.

Critérios de Compra: Escolhendo o seu mini game ideal

A seguir, você verá outra lista exclusiva da ReviewBox Brasil. Dessa vez, são de critérios de compra, uma ajuda nossa para a hora da sua escolha. Na loja ou na internet, busque notar estes itens, que são elementos característicos do mini game e da experiência de usuários.

Bateria

Como estamos falando de um console portátil, é essencial notar a bateria. A começar se de fato o modelo em questão usa uma bateria, ou se usa pilhas, o que é muito comum entre mini games. Se esse for o caso, dê preferência ao que use a menor quantidade de pilhas, para pelo menos ficar mais barato.

Se for bateria, porém, procure aquelas que são bivolt, já que, novamente, estamos falando de um console portátil. O ideal também que a bateria seja removível, caso precise ser trocada, e que o cabo seja USB, também mais fácil de ser reposto.

Imagem mostra a parte traseira de um console portátil, com o foco no compartimento de bateria.

A bateria é um elemento essencial dos mini games e qualquer outro console portátil.(Fonte: Luis Quintero/ Pexels.com)

Jogos

Outra maneira prática de escolher o seu mini game é a partir de seus jogos. Como falamos anteriormente, a maioria absoluta dos modelos vêm com jogos embutidos. Assim, você pode seguir três caminhos:

  • Quantidade de jogos: Há modelos com 40, com 70, 100, enfim, você pode optar pela maior quantidade, e consequentemente, a maior variedade de títulos. Mas cuidado com as quantidades maquiadas...
  • Consoles clássicos: Outro caso comuns nos modelos de mini game são as versões de jogos de consoles retrô consagrados, como o Atari, NES, etc. Você pode, então, se guiar pelo videogame que mais gostaria de reviver;
  • Jogos específicos: Você pode optar também pelo mini game que tenha seus jogos favoritos, independente de console. O Mini Game SUP, por exemplo, roda jogos de diferentes consoles, para citar apenas um exemplo.

Controle

Não deixe de prestar atenção, e se possível testar, os controles dos modelos de sua escolha. Note tudo, o tamanho dos botões, a dureza, sua posição, a ergonomia, de um modo geral.

A ideia é escolher o modelo que seja mais confortável e que dure mais, até porque a ergonomia não é exatamente o maior foco de um aparelho híbrido entre console e controle, e de baixo custo, ainda por cima.

Imagem mostra um console portátil da Sega sob um fundo branco.

Para uma melhor experiência de uso, é imprescindível que seu mini game tenha controles ergonômicos e duráveis. (Fonte: Pixabay/ Pexels.com)

Portabilidade

Novamente batemos na tecla de que, como o mini game é um console portátil, que ele seja eficiente como tal. Que seja, portanto, leve, compacto e fácil de transportar, ou pelo menos um ou dois desses pontos.

Use a mesma lógica que você usaria para comprar um celular. Se for muito grande, que seja leve; Se for pesado, que seja pequeno; e por aí vai.

(Fonte da imagem destacada: Caleb Oquendo/ Pexels.com)

Por que você pode confiar em mim?

Lucas Ayres Jornalista
Fanático por esportes e apaixonado por música, vive antenado às novas tecnologias e tendências da moda masculina. Escreve sobre os produtos que orbitam nesses assuntos, e outros que deixam a casa e o dia a dia mais fácil, prático e, além de tudo, saudável.