A ReviewBox Brasil lhe dá as boas-vindas! Contar com sua presença nos estimula em níveis elétricos, ainda mais quando o assunto que abordaremos hoje tem tudo a ver com isso: multímetros.

Ao trabalhar com eletrônica, ou tê-la como passatempo, certamente já precisou realizar algum teste ou imaginou a possibilidade de medir a potência de algum circuito ou fiação. Um multímetro vai lhe ajudar muito com isso.

Agora que já alimentamos um pouco suas baterias de curiosidade, saiba que os multímetros servem justamente para mensurar algumas grandezas elétricas, quando expostos à mesma. Siga lendo para conhecer modelos, características, tipos e funções!

Primeiro, o mais importante

  • Trata-se de equipamento capaz de realizar várias medições diferentes dentro da elétrica – tensão, corrente, resistente – um verdadeiro coringa para usos diversos (desde que dentro de suas especificações).
  • Mesmo que todos os aparelhos sejam multímetros, algumas especificações restringem ou permitem seu uso de modo diferenciado quanto a fonte de energia que você pretende medir. Vamos falar mais sobre isso.
  • Qualquer equipamento cuja utilização seja ligada a eletricidade oferece risco de vida, em maior ou menor grau. Leia atentamente as instruções de uso e certifique-se da integridade do aparelho antes de qualquer medição.

Você também pode gostar:

Ranking: Os 5 melhores multímetros

Se você lida com eletroeletrônica, ou pretende lidar, saiba que o multímetro é um instrumento de medição é essencial para seu uso. É o meio de diagnóstico mais eficaz para suas áreas de medição. Confira abaixo os 5 melhores do mercado:

1º – Multímetro Analógico – Minipa

Aparelho de medição com mostrador analógico, indicado para medição de Tensão DC e AC e corrente DC com resposta rápida. É capaz de medir resistência em circuitos eletrônicos, decibéis, fazer testes de ganho e fuga de corrente para transistores, baterias e testes de continuidade.

Trabalha em tensão AC (corrente alternada) e DC (corrente contínua) até 1000V, com decibel entre -20~+62dB, com precisão básica de 3%. É alimentado por 2 pilhas AA de 1,5V e uma bateria de 9V. Acompanha pontas de prova.

2º – Multímetro Analógico Profissional – Hikari

Instrumento portátil com mostrador analógico. Realiza medições de Tensão DC e AC e corrente DC. É capaz de medir resistência em circuitos eletrônicos, decibéis, fazer testes de ganho e fuga de corrente para transistores, baterias e testes de continuidade.

Trabalha em tensão AC e DC até 1000V, com decibel entre -10~+22dB, com precisão básica de 4%. É alimentado por 2 pilhas AA de 1,5V e uma bateria de 9V. Possui sinal sonoro para Ohmímetro. Acompanha pontas de prova e não possui botão de desligar.

3º – Multímetro Digital – Vonder

Simples e portátil, este é indicado para trabalhos em baixa tensão. Possui função voltímetro, ohmímetro, amperímetro e teste de continuidade. Indicação para uso em sistemas de elevação de pequenas máquinas e equipamentos.

Possui capacidade de medição em tensão AC e DC de 600V. Apresenta tecla com função Hold para manter a medição em tela, mesmo após a desconexão com a fonte de energia. Tem tela LCD de 3,5 dígitos.

4º – Multímetro Digital – Minipa

Instrumento com mostrador digital em LCD de 3,5 dígitos, possui função voltímetro, ohmímetro, amperímetro, realiza teste de diodo, transistor e continuidade. Acompanha pontas de prova e um holster.

Trabalha em tensão AC e DC até 500V. É alimentado por 2 pilhas AA. Possui indicação de polaridade automática e indicador de sobrefaixa, não possui sinal sonoro.

5º – Multímetro Digital – True

Aparelho de medição com mostrador digital LCD de 3,5 dígitos, possui característica True RMS, que faz medição de qualquer tipo de onda com eficiência, permitindo a detecção de avarias elétricas.

Seleção automática de tensão AC/DC com operação até 600V, proteção contra picos de até 6kV. Possui função voltímetro, ohmímetro, amperímetro e teste de continuidade com sinal sonoro. Bateria de 9V com vida útil de 400 horas típicas. Tem garantia de 3 anos contra defeitos. Acompanha pontas de prova, bateria, Holster e manual.

Guia de Compra

Um multímetro tem muitas especificações que devem ser observadas antes da escolha final. Por ser um aparelho de medição elétrica, segurança sempre deve vir em primeiro lugar.

Nesse guia, vamos trazer todos os detalhes que você precisa saber para comprar o melhor aparelho e ficar seguro enquanto o utiliza.

Homem usando um multímetro, segurando o aparelho com luvas de proteção.

Um multímetro pode medir a diferença de potencial em corrente contínua e alternada, entre outros. (Fonte: Monika Wisniewska / 123RF)

O que é um multímetro?

Como já lhe apresentamos, um multímetro é utilizado para medir grandezas elétricas. Suas características podem variar bastante conforme modelo e uso, mas, no geral, ele vai entregar informações sobre a diferença de potencial em corrente contínua (DC) e também corrente alternada (AC).

Além disso, você consegue ver dados como corrente elétrica, resistência e verificação de continuidade, ou seja, se há passagem de carga por determinado circuito desenergizado.

Estas diferentes opções de medição são realizadas por meio de uma chave rotativa na frente do aparelho, de bastante destaque, permitindo acesso rápido às suas funções e uso.

Foto em close de uma mão utilizando um multímetro vermelho.

Com diferentes opções de medição, em fácil acesso, o multímetro é uma ferramenta extremamente prática. (Fonte: Maverik_sl / Pixabay)

Multímetro analógico ou digital?

Antes de prosseguirmos, deixe-me esclarecer que existem dois tipos principais de amperímetro: analógico ou digital. A principal delas está em seu visor ou, como a medição é apresentada.

  • Analógico: A medição é realizada por um mostrador de ponteiro, estimulado a partir da corrente recebida. É mais indicado em situações onde a grandeza a ser medida tem variações de tensão, permitindo facilmente verificar a amplitude.
  • Digital: Converte a corrente elétrica em uma informação digital, mostrando o valor em número numa tela LCD. Pelo mostrador, acaba mais prático que o analógico, e é mais indicado a grandezas com pouca variação.

Com características muito semelhantes em composição do aparelho e uso, as medições de ambos são confiáveis e precisas, cabendo a você identificar aquele que melhor atende suas necessidades. Para deixá-lo mais confortável, segue uma tabela comparativa:

Analógico Digital
Vantagem Precisão instantânea do aparelho Maior praticidade para visualizar o resultado da medição
Modo de visualização Utiliza ponteira magnética como mostrador Converte a frequência elétrica em sinal digital, informando no visor LCD os números
Uso Ideal para verificar variações de uma grandeza Ideal para medidas de gradezas fixas

Notaram que as diferenças são poucas? No mercado as duas opções são encontradas tanto para amadores quanto profissionais do ramo, e cada um deles acaba sendo levado por alguma preferência.

Contudo, você não precisa se preocupar com analógico ou digital agora. Vamos analisar outros detalhes deste aparelho de medição elétrica.

Quais as funções do multímetro?

Dono de várias capacidades, consideramos ser muito importante que você seja apresentado às principais funcionalidades dele, e como elas funcionam. Além de claro, receber algumas orientações sobre o uso:

  • Medir resistência (Ohmímetro): Sempre coloque o seletor do multímetro na maior resistência disponível, e mude conforme a precisão que deseja.
  • Medir diferença de potencial em DC e AC: Saiba, antes de tudo, se vai medir um tipo DC ou AC. Por precaução, sempre inicie a medição selecionando a maior opção de valor na chave do multímetro. Não diminua além do limite da voltagem, pois causará danos ao aparelho e a você.
  • Medir corrente elétrica (Amperímetro): Sempre coloque o aparelho na maior seleção possível, e reduza conforme deseje precisão no aparelho. Tome cuidado em medir num sistema em série, ao medir em paralelo poderá provocar uma explosão.

Quanto custa?

Aos entusiastas de plantão, e para você que já está planejando a aquisição, aqui vão boas notícias!

Multímetros podem ser encontrados a partir de R$20. Portanto, preço não é uma desculpa para evitar de adquirir o seu, principalmente se gosta de ser o “faz tudo” da casa.

Quanto a valores máximos, eles podem ser encontrados até os milhares de reais, variando a partir das funcionalidades que possuem (alguns medem mais do que tensão ou potencial), e principalmente da categoria de uso. Os multímetros aqui mencionados variam entre R$60 e R$500.

Onde comprar?

Aparelhos de diversas funções num único equipamento, os multímetros têm bastante história e uma trajetória de grande sucesso nas suas aplicações.

Por este motivo, são encontrados na maioria das lojas de materiais de construção e também naquelas onde ocorra a venda de componentes elétricos, como instaladoras e lojas de departamento.

É uma opção muito viável, também, a procura por modelos que atendem a sua demanda nas lojas online, onde você conseguirá uma maior amplitude frente a busca em lojas físicas, recebendo na comodidade de casa.

Tome cuidado em onde comprar, sites de empresas com renome e procedência, como a Amazon, vão garantir a entrega do produto de acordo com as especificações de compra.

Critérios de compra: Fatores para comparar os modelos de multímetro

Talvez sua tensão já esteja elevada quanto a detalhes, mas vamos lá. Ao utilizar qualquer equipamento em circuitos e redes elétricas, toda cautela deve ser necessária.

Agora que você já conhece sobre alguns dos principais pontos para a escolha de um multímetro (analógico ou digital, como realizar as principais medições, o que é categoria), vamos nos focar em esclarecer alguns detalhes.

Quando for adquirir seu multímetro, é importante você definir, antes de mais nada, seu uso, e então prestar atenção:

  • Categoria
  • Tensão de uso
  • Tipos de medição
  • Presença de True RMS

A seguir, vamos detalhar cada um dos tópicos, levando a você informações diferenciadas, capazes de lhe auxiliar em fazer a melhor escolha na hora de adquirir o produto.

Categoria

Apesar de um equipamento bastante completo e de segurança comprovada, os multímetros não estão sozinhos nesta jornada de testes elétricos, outros aparelhos vêm com força na tentativa de sobrecarregar estes lutadores.

Estando mais familiarizado com este equipamento para grandezas elétricas, vamos falar de uma condição essencial para a sua aquisição: as categorias.

Imagem em close de um multímetro, com ênfase para o canto inferior direito, onde se observa a inscrição CAT III.

Conhecer a categoria de um multímetro é a mais importante das condições para compra. (Fonte: 4volvos / Pixabay)

Mesmo uma simples medição de tensão pode causar uma exposição indesejada às descargas elétricas, isso por causa da sobrecarga.

Um sistema tem a possibilidade de permitir em algumas circunstâncias o aumento abrupto do nível de tensão. Não possuir um equipamento adequado a esta possibilidade pode trazer sérios riscos.

A capacidade do multímetro em suportar estes picos de carga é o que constitui sua categoria. Estes picos de corrente, são chamados comumente de sobrecarga, ou transientes. Por este motivo, os multímetros precisam estar preparados para receber uma tensão maior do que sua própria capacidade de medição.

Ao todo, existem 4 categorias de multímetros, determinadas com base na capacidade deles de resistir aos picos de sobrecarga.

  • Categoria I – Possuem a menor proteção contra exposição do utilizador, feitos para uso em circuitos de baixa tensão como o de televisores, rádios, circuitos de aparelhos domésticos.
  • Categoria II – Utilizados para medições em tomadas de eletrodomésticos e eletrônicos com baixo e médio consumo de energia.
  • Categoria III – Com maior amplitude de uso, pode ser aplicado em ambientes residenciais e comerciais, iluminação e circuitos de distribuição. Ainda que sejam mais seguros, não podem ser utilizados em locais de uso do Categoria IV.
  • Categoria IV – Os campeões dos multímetros em nível de proteção, podem ser utilizados em sistemas de distribuição de alimentação, painéis de distribuição, instalações subterrâneas e externas.

Agora que já conhece as categorias, que tal visualizar até onde estas sobrecargas podem alcançar em termos de voltagem?

Categoria Transiente máximo de pico
I Transiente entre 2,5 e 4.000 V de pico
II Transiente entre 4 e 6.000 V de pico
III Transiente entre 6 e 8.000 V de pico
IV Transiente entre 8 e 12.000 V de pico

Tensão de uso

Os multímetros possuem limites de uso que precisam ser observados, de forma a evitar acidentes pelo uso indevido.

Recomendados que antes de começar a escolher, você possa identificar onde pretende utilizá-lo e qual a voltagem máxima que encontrará naquele local, auxiliando assim a definir a escolha.

Quando procurar, observe junto com a categoria, em quais voltagens o equipamento é capaz de trabalhar com segurança. Um valor em geral é de até 1000V, ainda que vários aparelhos trabalhem apenas até 600V.

Foto com posição central identificando um emaranhado de fios e interruptores, sendo um dos locais para uso do multímetro.

Cuidar das fiações elétricas dentro de comércios e residências é um dos principais usos do multímetro. (Fonte: Pexels / Pixabay)

Tipos de medição

Ainda que o multímetro seja considerado um instrumento para medição de corrente, muitos deles são capazes de fornecer a medição de outras grandezas elétricas, conforme seu modelo e características.

Medição de temperatura, frequência, teste de diodo e de continuidade são algumas das funcionalidades extras disponíveis.

Então, pense bem sobre que medições pretende efetuar, e compare os aparelhos. Identifique se estão adequadas à sua necessidade, ou mesmo ao preço do produto frente a outros com maior amplitude de usos.

Essas funcionalidades extras podem encarecer a peça, então, para não pagar mais por algo que não será utilizado, analise se o investimento é necessário.

True RMS

Aqui entramos num tópico mais específico para profissionais da elétrica, ou estudantes do ramo.

Na maioria dos medidores de tensão e corrente, seus dados são precisos quando a energia é emitida por meio de ondas senoidais, com altos e baixos capazes de permitir uma análise de média.

Logo, numa onda senoidal, a relação de valor RMS é direta com o pico da onda, sendo fácil qualquer aparelho estabelecer sua medição. Porém, quando o aparelho é submetido a análise de ondas não senoidais, ele acaba fornecendo valores de medição incorretos devido a oscilação aleatória da onda.

Um multímetro com a função True RMS não faz a medição apenas dos picos das ondas, mas sim uma marcação ao longo de toda amplitude dela para aquele instante de medição.

Desta maneira, o valor informado será muito mais preciso, além de funcionar para qualquer tipo de onda, seja senoidal ou não.

(Fonte da imagem destacada: kritsadaj / Pixabay)

Avalie esse artigo

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
41 Voto(s), Média: 4,00 de 5
Loading...