Imagem mostra dois frascos de óleo sob uma superfície lisa, um focado (direita) e outro desfocado (esquerda).
Ultima atualização: 11 de abril de 2020

Como escolhemos

18Produtos analisados

27Horas investidas

8Estudos avaliados

89Comentários coletados

Olá, seja muito bem vindo ao ReviewBox Brasil! Hoje vamos falar absolutamente tudo sobre o óleo de krill, o suplemento alimentar de origem animal que começa a conquistar as prateleiras do País, mas já está na boca dos brasileiros faz tempo.

Há pelo menos uma década, o óleo de krill vêm chamando a atenção de nutricionistas, pesquisadores e fabricantes pelos altos índices de Ômega-3, a gordura “boa” que domina a suplementação alimentar há anos.

Mas não é seu único benefício, pelo contrário. O óleo de krill tem atuações de destaque em diversas áreas do corpo e todo seu complexo funcionamento. É sobre elas que este Guia se debruça, mostrando também as melhores fórmulas do mercado e listando dicas valiosas para você escolher a ideal para você.




Primeiro, o mais importante

  • Apesar de muito benéfico, o óleo de krill é um produto que altera o equilíbrio do corpo. Por isso, consulte um médico e/ou um nutricionista antes de consumir, antes mesmo de comprar.
  • O óleo de krill é um produto não muito durável. Suas propriedades únicas o fazem oxidar rapidamente. Então fique sempre atento à validade do suplemento e à sua coloração, que deve ser mais avermelhada.
  • Produto novo e de conservação complicada, seu valor é um tanto alto comparado à outros suplementos, mas a variação não é muito grande, entre R$ 70 e R$ 200.

Você também pode gostar:

Melhores suplementos de óleo de krill: Nossos favoritos

Óleo de Krill Essential Nutrition

Com sessenta cápsulas de 500 mg, o óleo da Essential Nutrition é um dos mais completos do mercado, com extração a frio e 100% sustentável. Sem gosto de peixe, o suplemento é também livre de conservantes e de químicos provenientes de rações.

Óleo de Krill NatusVita

O suplemento da NatusVita também conta com sessenta cápsulas de 500 mg, todas contendo 100% óleo de krill. Com matéria prima importada, o óleo tem uma fórmula exclusiva, certificada e sem aditivos artificiais em sua composição.

Óleo de Krill Tiaraju

O óleo da Tiaraju aposta na matéria prima importada do Canadá e no gosto de baunilha, devido ao aromatizante artificial. Com trinta cápsulas de 500 mg e indicação de uma cápsula por dia, o produto tem uma duração menor que a concorrência, mas conta com um menor preço.

Guia de Compra

A “fama” do óleo de krill reside não só nos seus altos níveis de ômega-3, mas nos diversos benefícios que acumula, como a riqueza de vitaminas e minerais, seu efeito anti-inflamatório, e até outras questões práticas.

Abaixo, neste Guia de Compra, vamos tratar de todos esses benefícios, ou pelo os seus principais, porque são muitos. Vantagens, desvantagens, concorrentes, veremos tudo isso também.

Imagem mostra uma criança bebendo em um copo de vidro, que segura com a mão direita.

O óleo de krill reúne diversas substâncias benéficas ao corpo humano, para além do ômega-3 (Fonte: Johnny McClung/ Unsplash)

O que é o óleo de krill?

Quando falamos de óleo de krill, estamos nos referindo ao suplemento alimentar, na maioria das vezes 100% composto pelo óleo extraído do Krill, crustáceo minúsculo que vive em grandes hordas nas águas geladas do oceano Antártico.

As gorduras boas do grupo chamado ômega-3 são o carro-chefe do óleo de krill.

A principal fonte de comida do krill é o plâncton, bioma que vive suspenso nos mares, formado majoritariamente por algas e pequenos organismos. Essa alimentação que faz do krill tão nutritivo, assim como seu exoesqueleto altamente proteico.

Naturalmente, o óleo extraído dele aproveita essas substâncias, sendo rico em proteínas, vitaminas - como a betacaroteno -, minerais e aminoácidos. Seu carro chefe, no entanto, são os ácidos graxos, as gorduras boas do grupo chamado ômega-3.

Constituem esse conjunto os ácidos eicosapentaenoico (EPA), docosa-hexaenóico (DHA), e o alfa lipóico (ALA), todos em altos índices no óleo, principalmente os dois primeiros.

Quais os benefícios do óleo de krill?

Com essa união de substâncias, o óleo de krill tem efeitos em diversos processos do corpo humano. Aos grandes níveis de ômega-3, estão associadas melhorias no sistema cardiovascular, ao controle da pressão arterial e à redução dos riscos de esclerose, trombose e infarto.

Além de que, o EPA e o DHA, apesar de ácidos graxos essenciais ao corpo humano, não são sintetizados por ele, e precisam ser ingeridos regularmente para uma melhor atividade celular.

Outros benefícios são descobertos a cada dia, praticamente, como seu efeito anti-inflamatório, vasodilatador, de regulação de apetite, de eliminação de colesterol ruim, e até de liberação de gorduras acumuladas no fígado.

Estudos iniciais indicam que o óleo de krill auxilia na prevenção de cânceres de mama, próstata, cólon, entre outros. Porém, os resultados devem ser tratados mais como indicativos do que provas concretas.

Quais as vantagens e desvantagens do óleo de krill?

Outro ponto que faz o óleo de krill tão bem sucedido no mercado são as séries de vantagens práticas do seu consumo, para além dos benefícios oferecidos ao funcionamento do nosso corpo.

Um deles, por exemplo, é o fato de não usar conservantes, ponto nevrálgico da discussão sobre alimentação saudável. Outro, e esse quem já está acostumado com suplementação de ômega-3 vai entender bem, é que ele não tem gosto de peixe, nem na ingestão, nem na digestão.

Isso porque sua biodisponibilidade, e consequentemente sua absorção é mais rápida, o que é outra vantagem, por tornar seu consumo mais prático.

 Imagem mostra a mão esquerda de uma pessoa, que segura um pequeno frasco escrito “oil” em seu vidro.

Para além dos benefícios corporais, o óleo de krill oferece vantagens práticas, com um gosto mais agradável. (Fonte: Kelly Sikkema/ Unsplash)

Mas nada é perfeito, não é mesmo? Entre as desvantagens, uma delas é a alta probabilidade de conter derivados de peixes e frutos do mar em sua composição, o tornando impróprio para alérgicos e hipersensitivos à esses alimentos.

Não ter conservantes também tem seu lado negativo. A vida útil do suplemento é bem menor, mas por questões naturais também, por ser um composto facilmente oxidado.

Outra questão é seu recente ingresso no mercado de suplementação, o que quer dizer que seus estudos são relativamente recentes. Isso faz com que seus benefícios e principalmente seus malefícios ainda não sejam totalmente claros.

Vantagens
  • Sem conservantes
  • Gosto agradável
  • Absorção mais eficiente
Desvantagens
  • Menor vida útil
  • Derivados de peixes e frutos do mar
  • Estudos muito recentes

Óleo de krill ou óleo de peixe?

A presença do óleo de krill no mercado se deve ao longo histórico de suplementos de óleo de peixe, que fornecem ômega-3 aos seus usuários há tempos.

Assim, são inevitáveis as comparações entre os dois produtos, assim como dúvidas em qual usar para a sua dieta. As principais diferenças estão da maneira em que o óleo é obtido e na quantidade de certas substâncias.

O óleo de peixe, por exemplo, pode ser feito a partir de vários peixes, o que pode tornar sua composição rica, mas que põe em xeque sua procedência, já que espécies como salmão e atum podem conter altos índices de mercúrio e outros metais pesados.

Imagem mostra um frasco aberto, de onde se esparramam diversas cápsulas de óleo de peixe.

A obtenção do óleo e a absorção do ômega-3 no corpo são as principais diferenças entre o óleo de krill e o de peixe. (Fonte: Pixabay/ Pexels)

O óleo de krill, por outro lado, é só a partir do pequeno crustáceo, espécie que é inclusive uma das maiores biomassas do mundo, o que faz de sua produção invariavelmente sustentável.

Quanto à composição, estudos indicam que as concentrações de ômega-3 nos dois óleos são similares, mas a absorção deles no óleo de krill são muito maiores, sendo necessária uma dosagem menor em relação ao óleo de peixe.

Há usuários que chegam a consumir por volta de 10 cápsulas de óleo de peixe por dia, enquanto especialistas indicam apenas um de óleo de krill neste mesmo período.

Ainda assim, a maior diferença é outra: a presença da astaxantina, um carotenoide altamente oxidante, que acaba por desequilibrar a balança a favor do óleo de krill, pelo menos nutricionalmente falando.

Óleo de Krill Óleo de Peixe
Procedência Krill Peixes diversos
Dosagem 1 cápsula/dia Média de 10 cápsulas/dia
Impacto ambiental Sem impacto Pode impactar

Quanto custa e onde comprar óleo de krill?

O que mais interfere na diferença de preço entre o óleo de krill são os seus métodos de extração e de conservação.

Os suplementos com esses processos mais avançados podem custar na faixa dos R$ 200, enquanto os mais “simples”, a partir de R$ 70.

A fama do óleo de krill, e seus consequentes investimentos, fizeram o produto chegar na maioria das lojas de suplementação alimentar, e principalmente farmácias, onde você consegue encontrar variedade de marcas e fórmulas.

Para, no entanto, uma variedade ainda maior, especialmente de preços, e no conforto do seu lar, ainda por cima, as indicações são as lojas online como a Amazon, Mercado Livre e as versões web de farmácias como a Ultrafarma.

Critérios de compra: como comparar as marcas de óleo de krill

Finalmente, vamos te ajudar a escolher o suplemento ideal, a partir da lista abaixo, montada com critérios a serem observados na hora da compra.

Vamos, é claro, falar de cada um desses itens, de maneira clara e objetiva. Quanto mais informado você estiver, mais fácil será a escolha pelo modelo ideal.

Sustentabilidade

A opção por um consumo sustentável é nobre, mas pode ser prática também. Ainda que, por enquanto, seja praticamente impossível executar uma pesca predatória de krill, os fabricantes que se preocupam mostram valores e integridade.

Para um produto relativamente novo e ainda não totalmente dissecado, a imagem da empresa é essencial para que uso do suplemento tenha maior sensação de segurança.

Priorize, portanto, as embalagens que indicam respeito ao ciclo natural do krill.

Coloração

Como mencionamos, o óleo de krill não é o dos mais resistentes à oxidação, fazendo que a sua vida útil seja menor em comparação ao restante dos suplementos.

Fique atento, portanto, à coloração das cápsulas ou do líquido que você pretende consumir. Se ele for vermelho ou avermelhado, está apto para ingestão.

Método de extração

Em todo o produto à base de óleo, o seu método de extração vai ditar muito de sua qualidade. Pense no azeite, cujas embalagens indicam se o líquido é virgem e alguns a maneira em que as azeitonas são prensadas.

A lógica é a mesma para o óleo de krill. Fique atento às embalagens e opte, se possível, nas que indicam óleo virgem e prensado à frio.

Absorção ou Biodisponibilidade

Outro ponto para ficar atento na embalagem são as informações sobre absorção ou biodisponibilidade.

Quanto mais rápida for a absorção ou a biodisponibilidade - que dita a facilidade para o suplemento ser absorvido, ou seja, a mesma coisa - mais prático será seu consumo e melhor sua experiência.

(Foto destacada: Kelly Sikkema/ Unsplash)

Por que você pode confiar em mim?

Gustavo Conceição Nutricionista
Na escola, Gustavo participava de todas as modalidades. Ele acabou não se tornando atleta profissional, mas manteve-se próximo do universo esportivo cursando nutrição e, depois de graduado, prestando consultoria a atletas de várias modalidades e clubes de futsal e vôlei pelo país. Pós-graduado em suplementação, compartilha online seu conhecimento sobre o que há de melhor em complementos alimentares.