Imagem de componentes encaixados em uma placa de circuito impresso, método de funcionamento de uma placa de rede.
Ultima atualização: 21 de agosto de 2020

Como escolhemos

13Produtos analisados

20Horas investidas

7Estudos avaliados

85Comentários coletados

Estamos muito gratos em ter você aqui, na ReviewBox Brasil, o lar das melhores análises de produtos. Sinta-se muito bem-vindo! A tecnologia viaja rápido hoje em dia, e você precisa estar atualizado. Para fazer isso, uma placa de rede poder ser de grande valia.

É quase impossível a uma pessoa na atualidade não ter algum contato com a internet, ou mesmo redes de informação. E para que isso aconteça, é necessário ter um dispositivo com acesso à “web”.

Este acesso pode ser com fios, ou sem fios (famoso wi-fi ou wireless). Mas, precisa acontecer. E as placas de rede são alternativas para este acesso, quando a tecnologia não vem de fábrica (ou não te satisfaz). Continue a leitura para conhecer tudo sobre elas, até mesmo identificar a necessidade de possuir uma!




Primeiro, o mais importante

  • A placa de rede é acessório essencial para você acessar qualquer rede disponível por fios. Seja para se comunicar com outros equipamentos ou para se conectar à internet.
  • Apesar da tecnologia sem fio ganhar constante espaço, não é incomum o uso de cabos em determinados lugares. O sinal sem fio por ser afetado por bloqueios materiais e sofrer interferência de outras ondas, coisa que não ocorre com cabos.
  • Existem diferentes tipos e modelos de placas de rede, inclusive com opções sem fio. Elas são ótimas opções quando você precisa melhorar seu limite de conexão, sem perder um tempo do computador para a assistência técnica.

Você também pode gostar:

Melhores placas de rede: Nossas recomendações

Já no mercado há bastante tempo, qualquer pesquisa vai te levar a uma tonelada de opções de placa de rede. E você precisa ficar ligado naquelas que fornecem o maior custo benefício. Nós vamos facilitar o trabalho, te passando algumas das melhores escolhas.

Uma ótima placa de rede para conexão sem fio, com tamanho extremamente reduzido. Feita para caber em qualquer gabinete com conexão PCIe.

Seu sistema com duas antenas garante a recepção melhorada do sinal, vindo com mais potência e limpeza, sem oscilações. Elas ainda são removíveis, podendo ser trocadas por outras de maior potência (são de 2dBi).

Placa de rede Gigabit TG-3468

Placa com conexão PCI possui taxa de transferência até 1 Gb/s, ideal para conexões de alta velocidade. Conta com uma porta RJ-45 para recepção de cabeamento, sendo placa extremamente pequena e portátil. Cabo em qualquer gabinete.

Adaptador com função semelhante à placa

Não exatamente uma placa de rede, mas um adaptador com função semelhante. Esse pequeno equipamento simula uma placa externa com conexão RJ-45 (cabo padrão internet), conectada via porta USB.

Ideal para se os dispositivos de conexão internos estiverem com problema, ou se necessário acessar outra rede junto com a atual. É prático e portátil. Seu sistema de reconhecimento automático quando conectado permite grande eficiência. Suporte velocidades de 10 até 100 Mb/s.

Guia de Compra

Com o avanço da tecnologia, novas melhorias são lançadas constantemente. Graças a isso, escolher uma placa de rede acabou se tornando tarefa complicada. Diferentes em tamanho, conexões e características, você precisará conhecer bem elas para fazer a melhor escolha.

E por isso queremos trazer todas as informações sobre a placa de rede ao longo desse Guia. Continue com a gente!

Imagem mostra placa de rede em foco.

Saiba como escolher a melhor placa de rede. (Fonte: axonite / Pixabay)

Placa de rede: Por que ela é necessária?

Já que a tecnologia sem fio está ganhando força no mercado, e muito das conexões é feito com ela, então por que uma placa de rede?

Um questionamento muito comum quando se falam em placas de rede, e que inclusive pode ser o seu. Porém, entenda que nem todo equipamento de informática vem com a possibilidade de conexão, ou seja, acesso à rede ou internet.

Além disso, em casos de incompatibilidade ou mesmo de ficar incapacitada “a parte” que conecta com a internet, você pretende trocar o equipamento todo? Placas de rede também acabam tendo esta função de substituição, quando as coisas vão mal.

Agora que você compreende parte do motivo delas ainda existirem, vamos para a próxima etapa. Placas de rede existem para permitir a troca de informações entre uma máquina - geralmente um computador - e outra(s).

Antes dos sistemas sem fio, se integrar às redes envolvia conectar-se por meio de um cabo. Ele servia como caminho para a informação, onde enviava dados para a rede, e os recebia de volta, numa via de trânsito em duas mãos. Quer saber as vantagens de contar com uma placa de rede?

Vantagens
  • Portabilidade do equipamento
  • Acessório, e não equipamento integrado
  • Facilidade de upgrade por troca
  • Transforma equipamentos não integrados em conectados
Desvantagens
  • Acessório por vezes desconectável
  • Diferentes modelos de velocidade
  • Diferentes modelos de conexão

Apesar de você ter algumas boas vantagens em utilizar uma placa de rede, é preciso ter consciência de suas características. Do contrário, você pode acabar escolhendo algum modelo incompatível com aquilo que pretende ou necessita.

Quais os diferentes tipos de placa de rede?

Com tanta tecnologia no mercado, é um erro você imaginar que placa de rede é um termo específico. Na verdade, existem vários tipos de placa de rede, definidos principalmente pela conexão que são capazes de fornecer.

Uma placa de rede não permite apenas a conexão por cabos (dos mais variados tipos, como o azulzinho conhecido como RJ-45 até cabos de fibra ótica). Alguns modelos permitem a transmissão sem fio, também.

Elas podem ser Ethernet, Ethernet Gigabit, wireless e fibra ótica. Confira os detalhes:

Ethernet

É o tipo mais comum existente no mercado, geralmente utilizada no âmbito residencial e em pequenos negócios. Costumam ser compatíveis com os cabos padrão RJ-45, e seu encaixe é geralmente feito em slot PCI.

PCI é uma nomenclatura específica de encaixe, disponível em computadores, principalmente. Um encaixe duplo, onde duas barrinhas são fixadas (uma bem larga e outra fina).

Uma característica das placas deste tipo é a capacidade de transmissão, que pode ser tanto de 10 como até 100 Mb por segundo. Uma placa compatível com praticamente todo computador de mesa e servidores comuns.

Ethernet Gigabit

O próprio nome indica uma verdade: são bem similares aos modelos Ethernet em conexão com a máquina e de cabos. Porém, a grande vantagem é a capacidade de operação.

Estas placas são capazes de transferir dados na incrível velocidade de até 1 Gb por segundo. E, alguns modelos tem compatibilidade inclusive com a tecnologia de fibra ótica.

Wireless

Placas de rede também possuem a opção de conexão sem fio, aumentando e muito o potencial de conectividade da placa. É comum, inclusive, que ela venha com a opção por cabo e também com a antena, para captar o sinal wi-fi.

A versatilidade acaba também cobrando um preço. Geralmente a taxa de transmissão de dados destas belezinhas é menor que em outros modelos, sendo o padrão a faixa dos 54 Mb por segundo.

Claro, um maior investimento vai te permitir acessar placas com maior faixa de transmissão. E isso é bem interessante se você tiver internet de alta velocidade em casa.

Fibra ótica

Placas com esta tecnologia são capazes de transferir a informação em velocidades entre 10 e 100 Gb por segundo. Dependendo da rede existente, a tecnologia não vai chegar diretamente até você.

Por exemplo, uma empresa contratando conexão por fibra ótica, não irá fazer a conexão dos computadores direto nesta fibra. Ela vai alimentar um switch ou servidor, que se conectará por outro meio nos computadores da empresa.

O motivo? Placas com conexão de fibra ótica costumam custar mais de cinco vezes o preço de uma “normal”. Os próprios cabos de fibra para conexão custam muito mais que os de padrão RJ-45.

Para ficar mais fácil, vamos passar as principais características de cada tipo num comparativo. Isso com certeza vai ajudar você em qualquer decisão:

Ethernet Ethernet Gigabite Wireless Fibra Ótica
Tipo de conexão (placa) PCI, PCIe, USB PCI, PCIe, USB PCI, PCIe, USB PCI, PCIe
Tipo de conexão (rede) RJ-45, Coaxial, RJ-11 RJ-45, RJ-11 RJ-45 ou não possui Cabo de fibra ótica
Velocidade Até 100 Mb/s Até 1 Gb/s Até 1 Gb/s Até 100 Gb/s

Vale lembrar que, com a tecnologia em constante melhoria, você pode encontrar no mercado placas com conexão e velocidade até mesmo superior as citadas! Outro fator importante é que: a velocidade de transferência depende da própria capacidade da rede como um todo.

Internet ou apenas LAN (rede interna para computadores e periféricos), a velocidade do conjunto será determinada pela “central” de comunicação. Se ela for de alta velocidade, ótimo. Caso contrário, sua placa não conseguirá “operar milagres”.

Como funciona a instalação da placa de rede?

Dependendo da placa que deseja adquirir, a instalação pode ser extremamente fácil, ou exigir pelo menos uma chave de fenda. Caso você opte por modelos cuja conexão possa ser feita por USB - muito comum nas placas wireless -, basta conectar ela.

Geralmente computadores são configurados para auto reconhecer o dispositivo, já inserindo as informações no sistema e o habilitando para uso. Na pior das hipóteses, você precisará utilizar o software de instalação que virá junto com o equipamento.

Já se você adquirir uma placa que possua conexão por slot PCI ou PCIe (ou algum outro de sigla esquisita), você precisará ter a chave de fenda a postos. Necessitando de uma conexão direta com a placa, ela precisa estar acessível para o encaixe. Confira como funciona uma instalação no canal Sayro Digital:

Geralmente protegida por um gabinete, você precisará abri-lo. Quanto a identificação do local, não é tão difícil assim. Se você um dia montou quebra-cabeças ou jogou tetris vai matar a charada: conectar onde encaixa exatamente. Mas nós vamos te dar uma dica.

Neste caso, a recomendação é sempre instalar com a fonte de energia principal desligada. Isso vai evitar algum susto, caso qualquer componente esteja em curto, ou mesmo se você encostar no lugar errado.

Uma vez iniciada a máquina, ela tende a reconhecer de maneira automática a nova conexão realizada. Se isso não ocorrer, vamos ao bom e velho software de instalação.

Existem placas de rede disponíveis inclusive para impressoras. Neste caso, são bastante específicas, e geralmente no sistema “conectar e usar”. Se não ocorrer, os manuais de instrução irão explicar passo a passo como colocar sua máquina de imprimir na rede da empresa.

Quanto custa?

Pesquisar sobre placas de rede pode te trazer muitas dúvidas, mas a questão de preço não é exatamente um fator preocupante. Conforme a conexão que você possui em casa (velocidade da internet), por R$ 20 você adquire uma.

O fator preço tem a ver diretamente com a velocidade de conexão que a placa de rede te possibilita acessar. E também com o número de conexões e tipo delas.

Existem placas que funcionar como “distribuidoras de rede”, onde mais de uma conexão permite ao equipamento estar “em vários lugares ao mesmo tempo”. Isso é especialmente importante em empresas, não em casa, já vamos esclarecendo.

Onde comprar?

Se você pretende comprar sua placa de rede na loja de utilidades da esquina, é melhor pensar um pouco mais sobre o assunto. Acessórios de uso na área da informática e tecnologia, você os encontrará em lojas deste ramo.

Algumas grandes marcas de departamento poderão oferecer também boas opções para aquisição.

Porém, você terá a melhor pesquisa em larga escala pela internet. Lojas online como a Amazon possuem uma enorme quantidade destes acessórios, nos mais variados modelos e velocidades. Isso vai te permitir realizar os comparativos necessários, escolher o melhor produto, e recebê-lo no conforto de casa.

Critérios de compra: Fatores para comparar os modelos de placa de rede

Agora que já conhece mais sobre usos e funções de uma placa de rede, está na hora de ser apresentado às principais características delas.

Afinal, existem diferentes conexões, modelos, características. Informações em quantidade que podem te fazer escolher um acessório diferente daquele que estava precisando naquele momento.

Nós vamos te passar aqui as principais características que você ter em mente quando for escolher uma placa de rede. Para não errar:

  • Velocidade de transmissão
  • Modelo
  • Forma de conexão
  • Instalação e tamanho

Confira abaixo sobre cada item mencionado:

Velocidade de transmissão

É basicamente o que você precisa realmente se concentrar quando pesquisar sobre placas de rede. A velocidade de transmissão vai ditar o tempo necessário para as tarefas que você exigir da rede.

Velocidade para o retorno de buscas, para o download de arquivos, para assistir vídeos em streaming (como no Youtube e no Netflix). Para transferir arquivos entre computadores em uma mesma rede, a placa vai definir qual o máximo possível, e os cabos vão obedecer.

Porém, a velocidade de transmissão, quando colocamos outro componente no meio, como a internet, é medida pelo elo mais fraco. Vamos supor que você tenha assinada uma internet com conexão de 50 Mb/s, isso é o máximo de transmissão de que você terá.

Mesmo comprando uma placa capaz de entregar 1 Gb/s. A medida ficará sempre ligada ao elo mais fraco da corrente. Não que uma velocidade como esta seja ruim. Mas quando comparamos, por exemplo, ao 3G, estamos falando de até 3 Gb/s.

Modelo

Já apresentamos a você os quatro principais modelos de placas de rede, servindo a diferentes propósitos e com diferentes características.

Definir a velocidade é tão importante quanto definir o modelo que pretende utilizar. Afinal, as conexões podem ter grande variação conforme cada um deles, e isso vai ficar diretamente condicionado à portabilidade do acessório.

Se você escolher um modelo com conexão USB, poderá carregar para todo o canto, e utilizar em qualquer equipamento que seja compatível. Por outro lado, um modelo com conexão PCI exigira um pouco mais de trabalho para desinstalação e nova instalação.

duas mãos digitando em um computador

Uma placa de rede com conexão USB poderá ser facilmente transportada. (Fonte: Free-Photos / Pixabay)

Forma de conexão

Outro assunto que estamos frisando novamente, pelo bem de uma ótima escolha! As placas de rede conectam dispositivos por diferentes meios. Pode ser utilizando cabos ou também em modelos sem fio.

Definir qual a sua necessidade (uso de cabos, ou facilidade da conexão sem fio), vai te levar a escolha do modelo e da forma de conexão. Optar por placas de rede com conexão composta pode ser uma alternativa muito interessante.

São os modelos que possuem mais de uma opção de conexão ligada à placa. Por exemplo, você pode ter a anteninha do wireless e também a entrada para o cabo RJ-45. Isso vai deixar o equipamento com o dobro de possibilidades de conexão.

Instalação e tamanho

Tudo a ver com portabilidade, prezar por uma placa de rede cuja instalação seja prática (USB), por exemplo, trará bons benefícios.

A vantagem é que placas com conexão USB costumam ser bem pequenas, o que facilita o transporte. Mas pode complicar no esquecimento em qualquer canto.

Por outro lado, placas com conexão PCI ou PCIe possuem um determinado tamanho, para justamente conter este modelo de encaixe. Também costumam ser “abertas”, sem uma cobertura plástica, deixando os componentes todos à mostra.

É importante saber onde pretende instalar a placa de rede, e o espaço que o local possui. Existem variados tipos que vão demandar diferentes tamanhos, e se você tem um computador repleto de acessórios e cabos, ter espaço pode ser um desafio.

(Fonte da imagem destacada: geralt / Pixabay)

Por que você pode confiar em mim?

Gabriel Fernandes Analista de Rede
Entender cada detalhe do funcionamento dos computadores e da internet e utilizar esse conhecimento para tornar o dia a dia mais prático para si e seus cliente é o grande objetivo de Gabriel. Analista de rede, divide seu tempo entre o trabalho fixo e a pesquisa e redação de artigos online sobre o que há de mais inovador no universo da informática.