foto em close de uma plaina manual.
Ultima atualização: 16 de abril de 2020

Como escolhemos

17Produtos analisados

20Horas investidas

4Estudos avaliados

62Comentários coletados

É um prazer ter você aqui conosco, na ReviewBox Brasil. Procuramos sempre oferecendo as melhores análises, dos mais variados produtos. E hoje, não é diferente, vamos deixar seu conhecimento sobre plaina muito bem alinhado!

Estes móveis maciços que as pessoas têm em casa, as madeiras não são assim tão lisas. Ferramentas como plainas servem para desbastar e tirar irregularidades. Uma lixa termina o processo.

Com o tempo, plainas também foram fabricadas para uso em metal. Para uso profissional, ou mesmo hobby, a plaina é essencial em trabalhos com materiais brutos! E aqui vamos lhe apresentar dicas, modelos e tipos, basta seguir conosco!




Primeiro, o mais importante

  • Plainas podem ser encontradas em formato manual ou mecanizado (elétrico). A ferramenta mecanizada exige conhecimento e prudência para operação, inclusive o uso de equipamentos de segurança.
  • Plainas podem fazer desde o desbaste grosseiro de uma peça (de madeira, principalmente), até seu afagamento final. Pode inclusive determinar a espessura da peça durante sua fabricação.
  • Para maior eficiência da ferramenta, o material submetido à plaina deve ser todo submetido a ela, sem interrupções, de ponta a ponta. Ela é muito eficiente para nivelar peças.

Melhores plainas: Nossas recomendações

Manuais ou elétrica, plainas têm a função de nivelar, desbastar e aplainar. Vamos apresentar para você algumas das melhores do mercado, para uso tanto em atividades laborais como hobby.

A melhor plaina global com acabamento liso

Essa plaina é feita em metal e madeira, com 14” de comprimento. Possui alças resistentes em madeira e dispositivo especial para geometria do parafuso.

Sua base de ferro fundido usinada com precisão, aliada a lâmina de aço carbono as fazem perfeitas para peças de madeira. Perfeita para uso profissional, em acabamentos e desbastes.

A plaina preferida dos usuários online

Essa plaina já pode ser considerada entre as melhores do mercado por ser fabricada pela Makita, líder no segmento de ferramentas. Com 127 V de tensão e 580 W de potência, a plaina da Makita tem largura de corte de 82mm e é muito bem avaliada pelos usuários online.

Plaina Manual de Metal - Sparta

Essa plaina Vonder também costuma ser muito bem avaliada por quem já a adquiriu porque, além da qualidade, acompanha um afiador, um gabarito regulador e uma guia lateral. São 62 W de potência neste modelo, indicado para desbastar e plainar madeiras.

Guia de Compra

Plainas desbastam, aparam e nivelam materiais. São ferramentas essenciais para quem lida com o trabalho em madeira. Sua utilização permite criar superfícies planas horizontais, verticais e inclinadas.

Determinados modelos até criam molduras decorativas, ou permitem o corte de juntas. Mas, existem também para uso no metal, e agora vamos explorar tudo sobre cada uma delas.

mãos de homem manuseando uma plaina em pedaço de madeira sob uma bancada com outras ferramentas e lascas de madeira.

A plaina é uma ferramenta usada para fins profissionais ou para hobby. (Fonte: Carlos Santos/ 123RF)

O que é uma plaina exatamente?

Se você chegou até aqui, já tem uma noção de como funciona a plaina. E vamos continuar falando sobre ela, para lhe ajudar a escolher a sua.

Plainas são ferramentas que servem para desbastar, reduzir dimensões, retirar irregularidades e realizar trabalhos artísticos.

São perfeitas para utilizar em locais que são pequenos ou delicados demais para o uso de uma serra, e grandes demais para se trabalhar com uma lixa.

Vários são os acessórios para o se trabalhar com madeira, mas a plaina é dos mais essenciais!

foto de uma plaina n°1 trabalhando num desenho em madeira.

com plainas, você realiza todo tipo de trabalho, inclusive com finalidade artística. (Fonte: Studio-Fritz/ Pixabay)

Quais as vantagens e desvantagens da plaina?

Primeiramente, elas são de fácil manuseio. Além disso, é uma ferramenta muito versátil que possibilita vários usos em um único instrumento.

Com uma plaina você consegue regular a profundidade do corte. As plainas manuais são baratas e necessitam de pouca manutenção.

Mas uma outra vantagem é que também existem versões elétricas dessa ferramenta.

Quando pensar em moldar madeira, a plaina é a ferramenta ideal.

Já sobre as desvantagens, podemos afirmar que apesar de poder regular a profundidade do corte, existe uma limitação nessa ferramenta.

Compare suas vantagens e desvantagens:

Vantagens
  • Fácil manuseio e utilização
  • Vários usos na mesma ferramenta
  • Regulagem da profundidade do corte
  • Plainas manuais são baratas e de baixa manutenção
  • Encontradas em tipo manual ou elétrico
Desvantagens
  • Angulo superficial da lâmina
  • Limitação de profundidade
  • Limitação na capacidade de “vincar”

Plainas são tão dinâmicas que podem, conforme modelos, realizar do desbaste grosseiro até o nivelamento final de uma peça. Isso é muito útil em ajustar portas e gavetas que não encaixam bem, ou trabalham no móvel.

Por que comprar uma plaina?

Elas podem ser construídas em madeira ou metal (corpo), enquanto que a lâmina é sempre em metal afiado. Em sua maioria, apresentam um sistema de parafuso capaz de movimentar a lâmina, permitindo um uso mais dinâmico da ferramenta.

Atualmente, o modelo com corpo em metal é o mais utilizado, sendo mais fáceis de trabalhar e de maior precisão. Além disso, conseguem deslizar em superfícies que a madeira não é capaz (úmidas ou resinosas), sendo por isso as mais comuns e recomendadas.

Apesar de criadas para o desbaste e nivelamento, elas foram acumulando diferentes funções com o passar do tempo. Todas relacionadas ao “corte” de algum material, mas com diferentes objetivos.

O aplainamento de uma peça pode também moldá-la. Várias delas são trabalhadas com plainas para a formação de detalhes. Isso traz exclusividade ou uso específico para as peças.

Alguns formatos que podem ser realizados com o auxílio da plaina:

  • Rebaixos
  • Chanfrados
  • Estrias
  • Faceamentos
  • Abaulados

Logo, uma plaina não é apenas destinada ao uso em marcenaria (ou usinagem, se com metais). Mesmo atividades de casa podem demandar a ferramenta. O trabalho em madeira com uma plaina pode lhe ajudar a criar coisas incríveis.

Qual a diferença entre a plaina, raspadeira e lixadeira?

Diversos são os materiais e as técnicas para modelagem da madeira. Para a marcenaria principalmente, ferramentas distintas servem para funções distintas, mas frequentemente podem ser confundidas por amadores.

Duas outras ferramentas que podem ser utilizadas em determinado momento como plainas, são a raspadeira e lixadeira. A plaina você já conhece, agora conheça as características dessas duas ferramentas que também são úteis, mas são distintas da plaina. Confira:

Raspadeira

Raspadeira é uma lâmina em aço bastante flexível, importante principalmente na fase de preparação das superfícies. Ela visa eliminar possíveis riscos para um excelente acabamento na madeira.

São utilizadas geralmente durante o uso da lixa ou mesmo depois dela. Não possuem ajustes de profundidade ou capacidade de modelagem, elas simplesmente raspam.

Lixadeira

Pode ser manual ou elétrica. A lixa possui um lado áspero para uso em superfícies com a finalidade de alisá-las, eliminando protuberâncias ou falhas. Ocorre que pela fricção, é possível causar um desnível no local de uso a partir da força utilizada.

Lixas também exigem um trabalho manual mais intenso que o da plaina, e mais desgastante para o utilizador. São recomendadas principalmente para pequenos trabalhos.

Para alisar e nivelar, a ação da plaina é muito mais potente e precisa, podendo retirar até mesmo longas aparas conforme elimina imperfeições da peça.

Plaina elétrica ou manual?

Diferentes entre si pela tecnologia utilizada, e forma de manuseio, elas servem ao mesmo propósito: aplainar. Sua função mantém-se em tornar as superfícies trabalhadas planas, ou realizar pequenos trabalhos de rebaixo e arte.

Mesmo assim, a escolha por um destes tipos pode causar diferenças de preço bem gritantes. Nós vamos deixar para falar de preços mais adiante, num capítulo específico. Agora vamos comparar os dois tipos dessa ferramenta:

Plaina manual Plaina elétrica
Funcionamento Maior exigência de esforço. Dispensa o uso de combustível ou energia elétrica Funcionamento similar ao de uma fresa, com êmbolo rotativo
Sentido de corte Funciona exclusivamente em sentido único Podem ser usadas em qualquer sentido na madeira
Regulagem Permite regulagens mais finas Sistema de regulagem preciso
Habilidade Qualidade do trabalho variável com a habilidade do operador Menor exigência de esforço e habilidade. Possuem guias de corte
Custo Menor custo Maior custo
Detalhe Necessária afiação constante Oferece risco ao utilizador

Como usar a plaina em metais?

Sabemos o objetivo de uma plaina, e no metal não é diferente. Contudo, devido a dureza dos metais e a necessidade de peças muitas vezes gigantes, estas plainas costumam ser mecânicas e não manuais.

Seu processo de funcionamento opera em sistemas de vai e vem trabalhando a peça de metal de forma retilínea. O objeto é colocado sobre uma superfície plana, e então submetido ao trabalho da máquina.

Existem vários tipos de plaina para usinagem (trabalho com metal), com características por vezes distintas: plaina vertical, horizontal, limadora vertical e limadora horizontal.

No uso em metal, as plainas possuem ferramentas de encaixe, que mudam as características da máquina. Conforme a peça a ser trabalhada, é necessário um desenho diferente na usinagem. As principais ferramentas são:

  • Para desbaste: retirar uma grande quantidade de material em um curto espaço de tempo.
  • Para alisamento: realizar o processo de acabamento da peça, geralmente com games arredondados.
  • Para esquerda: aplainar peças apenas no lado esquerdo.
  • Para direita: aplainar peças apenas no lado direito.
  • Para rasgo: criar vincos nas peças, como ranhuras ou estrias, até mesmo mais profundas.

Quanto custa uma plaina?

Plainas podem ser encontradas em preços bem variáveis no mercado. Mesmo as mais simples possuem uma vasta margem de preço. Parte do que define o valor é a qualidade da ferramenta e sua aplicação.

Falando em plainas manuais, você pode encontrar bons produtos no mercado a partir de R$ 50 e atingir até mesmo as centenas de reais. Você irá se identificar com marcas e modelos conforme utilizar estas ferramentas.

Para as elétricas, este valor parte dos R$ 180 atingindo até os milhares. Vale lembrar que o uso industrial também está considerado. Lembre-se de ponderar sua necessidade antes de escolher o produto.

Onde comprar uma plaina?

Ferramentas comuns, ainda sim as plainas têm finalidade específica, sendo encontradas em lojas especializadas. O melhor local para encontra-las será em materiais de construção e lojas de marcenaria.

Agora, aproveitando a facilidade da internet, e a possibilidade de receber qualquer coisa em casa, esta é uma boa opção. Você poderá fazer toda sua pesquisa no conforto do lar, escolher e receber em casa o produto.

Lojas online como a Amazon e Mercado Livre possuem uma grande quantidade de produtos à disposição para sua escolha.

Critérios de Compra: Fatores para comparar os diferentes modelos de plaina

Certamente você já tem uma bagagem muito grande do assunto, mas ainda precisa levar em consideração mais alguns detalhes. Para escolher sua plaina ideal, você precisa conhecer:

Abaixo, confira em detalhes cada tópico para saber fazer sua escolha com total segurança ao fim desse Guia de Compra completo.

Funcionamento

Como vimos, a plaina pode ser manual ou elétrica, e esse é o primeiro ponto que você precisa definir. Obviamente essa escolha está relacionado com o trabalho que você realiza, a demanda de uso e seu orçamento.

Vimos que a manual é mais barata e exige maior esforço e habilidade de quem opera. Por outro lado, permite regulagens mais finas e dispensa a necessidade de energia elétrica. Veja como funciona uma plaina no canal do Adilson Pinheiro:

A plaina elétrica já exige menor esforço e habilidade porque possui guias de corte. Elas são mais caras, mas podem valer o investimento.

Tipo de plaina

As plainas podem ser divididas em dos tipos: estacionária e portátil.

A plaina estacionária, também chamada de “plaina de bancada”, mantém-se fixa a uma base, ou mesmo é adquirida como um grande equipamento. Sua finalidade é principalmente industrial, onde há necessidade de repetições contínuas de um mesmo processo.

Sua finalidade é bastante diversificada (se levar em conta também as plainas para metal). Neste tipo, é possível a adoção de um sistema diferente do êmbolo rotativo. Diferentes peças podem ser acopladas à máquina para diferentes formatos finais no material.

Já a plaina portátil é mais comum, aquela de caixa de ferramenta. No caso das elétricas, costumam ter as próprias caixas para armazenagem. Funcionam de modo dinâmico, a partir do interesse e habilidade do utilizador.

Costumam ser utilizadas tanto para uso profissional quanto amador, até mesmo para hobby. São bastante variáveis em tamanho, potência e usos.

Largura da lâmina

Plainas geralmente vem acompanhadas de um número, que varia de 01 a 07. Esta marcação indica a largura da lâmina existente na ferramenta, algo que vai tornar o trabalho mais fácil ou difícil.

A recomendação geral é que sejam adquiridas plainas do número 02 para frente, pois as de número 1 tiram “fatias” muito estreitas da madeira, exigindo uma maior quantidade de trabalho.

Em resumo, quanto maior o número da lâmina da plaina, maior a largura dela.

Motor

O motor é um diferencial importante quando lidamos com plainas elétricas. Elas costumam vir em dois tipos: motores de indução ou universais.

Aqueles à indução costumam ser mais resistentes e duráveis que os universais, em contrapartida são mais pesados. São encontrados principalmente nas plainas fixas ou de uso industrial. Nas plainas portáteis, o mais comum é o motor universal.

Uma vez definido o tipo de motor, atente-se para sua potência. É isso que efetivamente mostrará se a plaina será eficiente ou não. Quanto maior a potência, mais rápido o trabalho será realizado, e com menor dificuldade.

(Fonte da imagem destacada: Free-Photos/ Pixabay)

Por que você pode confiar em mim?

César Ferreira Formado em Engenharia Industrial
César é apaixonado por carros. Talvez tenha sido essa paixão que o levou a, desde pequeno, querer entender como as coisas funcionam. Essa curiosidade, por sua vez, lhe fez cursar Engenharia Industrial. Hoje, ele presta consultoria para pequenas e médias empresas e, nas horas vagas, deixa seu carro - e o de seus amigos - cada vez mais tecnológicos e especiais.