Imagem mostra um par de protetores auriculares dentro de uma pequena caixa.
Ultima atualização: 5 de dezembro de 2019

Como escolhemos

11Produtos analisados

16Horas investidas

3Estudos avaliados

56Comentários coletados

Bem-vindo ao ReviewBox Brasil! Você é uma pessoa constantemente exposta a ruídos muito altos ou que atrapalham a sua rotina? Sente que isso pode fazer mal à sua audição, ao seu sono ou à sua saúde de forma geral? Então hoje vamos falar sobre algo que pode te ajudar muito: O protetor auricular.

Listado como um equipamento de proteção individual (EPI), o protetor auricular pode ser indispensável em algumas profissões, principalmente se elas envolvem uso de ferramentas ou máquinas ruidosas. Mas não é só isso: Ele é capaz de te ajudar em muitas outras situações! Vamos conhecer mais sobre esse acessório?




Primeiro, o mais importante

  • O protetor auricular é uma das opções mais usadas de equipamento de proteção individual para a região dos ouvidos. Ele é indispensável para quem está exposto a altos níveis de ruídos.
  • A outra opção ao protetor auricular é o uso de um abafador de ruído. A escolha deve ser pelo equipamento que fizer com que você se sinta mais confortável.
  • A característica mais importante para um protetor auricular é o nível de redução de ruído. Você deve usar um que seja capaz de te deixar em segurança.

Você também pode gostar:

Os melhores protetores auriculares: Nossa opinião

Escolher entre tantos protetores auriculares disponíveis no mercado é difícil. Por isso, além de todo o artigo que explica vários detalhes sobre o equipamento, fizemos ainda uma pequena lista com modelos de muita qualidade!

O protetor mais eficaz

O protetor auricular Mack's Ultra é um dos mais vendidos no mundo. Isso acontece por causa da grande eficiência que ele consegue ao abafar ruídos: Seu nível de redução é de 32 dB. Feito em espuma, o modelo é recomendado por médicos e especialistas. É vendido em caixas com 10 pares, sendo que a duração média é de 2 semanas.

O melhor para músicos

A música é uma profissão que exige o uso de protetores auriculares, porém, eles não podem impedir completamente que se ouça o que acontece ao redor. A Alpine tem a melhor solução para essa situação: Esse equipamento de altíssimo nível que abafa o ruído sem sufocá-lo. É confortável e bastante durável.

O protetor mais tradicional

No mercado desde 1907, esse protetor auricular da Ohropax é referência por sua composição: Fibra de algodão embebida em parafina e vaselina. Assim, consegue se moldar facilmente ao ouvido, sendo extremamente confortável. É indicado tanto para trabalho, como para situações domésticas. É vendido em caixas com 6 pares.

Guia de compra

Afinal, por que você deveria usar um protetor auricular, e não outros equipamentos de proteção individual para os ouvidos? Quais os melhores materiais? E quais os níveis de ruído que a audição humana consegue suportar tranquilamente?

No nosso guia de compra, iremos tirar as dúvidas mais frequentes sobre esse importante equipamento!

Imagem mostra uma mulher inserindo protetores auriculares nos ouvidos.

O protetor auricular pode ajudar tanto no trabalho, como em situações do dia a dia. (Fonte: Ion Chiosea/ 123rf.com)

Por que é necessário usar protetor auricular?

No nosso dia a dia, estamos constantemente expostos a barulhos. De alguns, não temos escapar, principalmente se trabalhamos manuseando ferramentas ou máquinas, produzimos música ou áudio, ficamos em lugares movimentados ou próximos a veículos de grande porte.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma exposição a um nível de ruído de 85 decibéis durante 8 horas por dia é suficiente para causar perda de audição irreversível. Uma furadeira, por exemplo, funciona em média a 80 decibéis.

Para evitar a perda de audição em pessoas constantemente expostas a ruídos acima do nível considerado saudável, existem alguns equipamentos de proteção individual. Entre eles, os mais famosos são os protetores auriculares e os abafadores de ruídos.

O protetor auricular é usado via inserção, ou seja, deve ser colocado dentro do ouvido. Ele pode ser feito de vários materiais diferentes e a escolha do modelo é relacionada principalmente com o conforto e o nível de redução. O mesmo vale ao decidir entre ele e um abafador de ruído.

Confira na tabela abaixo as principais vantagens do uso de um protetor auricular:

Vantagens
  • É capaz de diminuir bastante o nível de ruído de um ambiente
  • Protege os ouvidos, impedindo a perda de audição
  • Pode ajudar o sono, melhorando a saúde de forma geral
  • Permite maior conforto e tranquilidade na execução de alguns trabalhos
  • Uso muito simples: Basta inserir no ouvido
Desvantagens
  • Pode ser considerado desconfortável por algumas pessoas
  • Não é muito durável: Precisa ser trocado após alguns dias

Como saber se eu preciso usar protetor auricular no meu serviço?

O protetor auricular pode ser usado em situações simples do cotidiano, como na hora de dormir, de leitura ou para meditação. Porém, ele se torna realmente indispensável em trabalhos que envolvem altos níveis de ruído.

Para saber se você precisa de um protetor auricular em seu serviço, é preciso saber quais são os níveis de ruído aos quais você está exposto. Se você opera ferramentas elétricas, trabalha com música ou está sempre em lugares muito movimentados, é muito provável que o uso seja recomendado.

O limite de ruído recomendado para exposição por 8 horas por dia é de 85 decibéis.

O limite máximo para exposição durante 8 horas por dia é abaixo de 85 decibéis. Para ter a certeza de qual é o nível do ambiente no qual você passa a maior parte do tempo, o ideal é usar um equipamento como um decibelímetro.

Selecionamos um vídeo do canal Trecos de Oficina que é muito útil por medir o nível de ruído de 26 ferramentas diferentes. A conclusão é que com quase todas elas, o uso do protetor auricular é indispensável:

O que fazer se o patrão não disponibiliza protetor auricular?

Um problema que pode ser bastante sério é você ser empregado em uma empresa que não fornece o protetor auricular. Porém, tenha calma: Os equipamentos de proteção auricular, de acordo com a legislação brasileira, são obrigação da empresa.

A lei número 8213 diz em seu artigo 19, inciso primeiro, que as empresas são responsáveis por adotar medidas que garantam a segurança do trabalhador. E nisso estão incluídos equipamentos como protetores auriculares.

O não fornecimento de protetor auricular por uma empresa para trabalhadores expostos a níveis de ruído prejudiciais é contravenção penal. Portanto, você tem todo o respaldo jurídico para buscar seus direitos.

Nós recomendamos que, enquanto você estiver nesse serviço, use os equipamentos de proteção individual por conta própria, mas que não deixe de buscar que a lei seja cumprida.

foco

Você sabia que os controladores de tráfego aéreo são os profissionais mais expostos a níveis de ruído acima do permitido? Nas torres de controle, durante aterrissagens e decolagens, o barulho pode ser superior a 140 dB.

Operários, marceneiros, carpinteiros, técnicos de construção civil, mineiros, técnicos de som, DJs, músicos e jardineiros completam a lista dos dez profissionais com maior exposição a ruídos acima do permitido.

Protetor auricular ou abafador de ruídos?

Os dois equipamentos de proteção individuais mais comuns para a região dos ouvidos são o protetor auricular e o abafador de ruídos. Eles cumprem exatamente a mesma função e podem ter a mesma eficiência.

O protetor auricular funciona por inserção: É uma pequena peça que deve ser colocada dentro do ouvido. O abafador de ruídos, por sua vez, tem formato semelhante ao de um grande headset, com duas conchas feitas de espuma.

Como a eficiência dos dois tipos é similar, deve-se escolher aquele com o qual há mais conforto. Essa é uma perspectiva bastante pessoal.

Mas o protetor auricular é mais fácil de ser transportado e não entra em conflito com outros equipamentos, como óculos de proteção ou capacete. Existe em tamanho único, o que também facilita no momento da compra.

Por outro lado, ele tem menor custo-benefício: Apesar de uma caixa com alguns pares ser mais barata do que um abafador de ruído, cada par precisa ser substituído por um novo com frequência. No longo prazo, isso gera um gasto maior. Também é preciso ter mais cuidado com a sua higienização.

Na tabela a seguir, comparamos os dois equipamentos:

Protetor auricular Abafador de ruído
Forma de uso Deve ser inserido dentro do ouvido Suas conchas são ligadas por uma alça, similar a um headset
Vantagens Facilidade de transporte, não entra em conflito com outros equipamentos, existe em tamanho único Tem maior custo-benefício, precisa de menos cuidados com a higienização, pode ser visto como mais confortável
Custos Mais baratos, mas requerem troca com frequência Mais caro, mas tem boa durabilidade
Use se Você acredita que é o tipo mais confortável, você usará para dormir ou meditar Você acredita que é o tipo mais confortável

Quanto custa e onde comprar um protetor auricular?

Protetores auriculares são vendidos em caixas que contêm diversos pares (o número pode ser entre três e vinte). Encontramos cada unidade de par variando entre aproximadamente R$ 5 e R$ 100, o que significa uma grande diferença. Os mais baratos já são de boa qualidade.

Grandes redes de farmácias devem conter bons protetores auriculares, e você pode encontrá-los até em alguns supermercados. Mas a opção mais segura é a compra pela internet. Recomendamos a Amazon brasileira. Confira ainda o que Amazon internacional e Mercado Livre oferecem.

Critérios de compra: O que levar em conta ao escolher um protetor auricular

Você já sabe os porquês do uso do protetor auricular ser importante e como compará-lo com o abafador de ruído. Se está decidido sobre a sua compra, é hora de conhecer alguns critérios de escolha. Selecionamos quatro:

Abaixo, entramos em mais detalhes sobre cada um deles.

Nível de redução de ruído

Esse é o critério mais importante para a escolha de um protetor auricular. Na embalagem de cada produto, deve estar especificado o quanto de redução em decibéis ele proporciona. Assim, você poderá fazer o cálculo em relação à quantidade de ruído a que está exposto.

É possível encontrar alguns protetores auriculares capazes de uma redução de até 40 decibéis no nível de ruído. Se pensamos, por exemplo, em uma exposição a 100 decibéis, eles já são capazes de tirar o usuário do nível de risco.

Não adianta usar um protetor auricular com um nível de redução que não tira o usuário da zona de risco de mais de 85 decibéis. Esse é um dos motivos pelos quais o cálculo correto da exposição é tão fundamental.

Material

A escolha do material do seu protetor auricular deve ser baseada apenas em conforto. Existem algumas opções que são bastante consagradas, como espuma e silicone, além de algumas fórmulas mais complexas e que fazem bastante sucesso, como o algodão embebido em parafina.

Caso você não tenha alergia a algum desses materiais mais usados, pode testar vários até encontrar aquele que te deixe mais confortável. Desde que o nível de redução seja similar, não haverá diferenças na eficiência ou na proteção oferecida por cada um deles.

Imagem mostra um protetor auricular de silicone ao lado de um óculos de natação.

O silicone é um dos materiais mais usados para protetores auriculares. (Fonte: 422737/ Pixabay.com)

Durabilidade

Não há como fugir de um fato: O protetor auricular precisa ser trocado com frequência. Mas o que pode variar é qual é essa frequência. Na maior parte dos modelos, a própria embalagem já trará a informação de após quanto tempo de uso o par pede pela substituição.

Sempre siga a orientação da embalagem sobre o tempo de troca de um par.

O ideal é seguir essa orientação. Não tente usar um protetor auricular pelo tempo que você achar que ele ainda está higiênico: Isso pode te trazer problemas. Se a embalagem diz que a troca deve ser feita após duas semanas, respeite! A sua saúde é mais importante do que a economia de alguns poucos reais.

Custo-benefício

Se você encontrou dois modelos de protetor auricular que têm níveis de redução aceitáveis e são de materiais que te deixam confortável, o critério decisivo para a compra será o custo-benefício.

Para isso, você terá que levar em conta o valor de uma embalagem, a quantidade de pares que ela contém e a frequência recomendada de troca. Assim, poderá descobrir o quanto gastaria por mês com o equipamento, tendo a certeza de que seu bolso irá sentir menos o impacto.

Quando a sua saúde está sendo respeitada, não há problemas em procurar aliviar também o bolso!

(Fonte da imagem destacada: asundermeier/ Pixabay.com)

Por que você pode confiar em mim?

Carlos Massari Jornalista
Jornalista especializado em esportes e podcaster. Apaixonado por cinema, literatura e artes em geral. Curioso nato, pesquisa e escreve sobre diversas áreas, principalmente tecnologia, ferramentas, artigos esportivos e objetos que tornam a vida e o cotidiano mais fáceis.