Peças de quebra-cabeça espalhadas e misturadas.
Ultima atualização: 26 de julho de 2019

Como escolhemos

Products

27Produtos analisados
Hours

22Horas investidas
Studies

4Estudos avaliados
Comments

121Comentários coletados

Seja bem-vindo ao ReviewBox! Hoje é dia de falarmos sobre um jogo para quem gosta de desafios: o quebra-cabeça. Muito mais do que um passatempo, esse é um jogo versátil que estimula a aprendizagem, a concentração e o raciocínio lógico.

Do simples ao mais complexo, hoje é possível encontrar vários tipos de quebra-cabeça. Neste artigo, vamos mostrar tudo sobre o universo deste jogo e o que se deve levar em conta antes de comprar o ideal para você.




Primeiro, o mais importante

  • O quebra-cabeça é um jogo desafiador recomendado a crianças, jovens, adultos e idosos.
  • Além de divertido, o quebra-cabeça estimula a memória, a aprendizagem, a coordenação motora e a paciência.
  • Vamos mostrar a você como comprar o quebra-cabeça ideal em meio a tantos modelos disponíveis no mercado.

Você também pode gostar:

Ranking: Os 5 melhores jogos de quebra-cabeça

Comprar o quebra-cabeça ideal pode parecer uma tarefa difícil. Afinal, ninguém quer adquirir um jogo difícil demais, que o fará desistir no meio do caminho, ou um fácil demais que irá desanimar você.

Pensando nisso, selecionamos sete jogos de quebra-cabeça por ordem de dificuldade. Começaremos com os mais fáceis até chegar ao quebra-cabeça mais complexo.

1º – Quebra-cabeça Carlu Brinquedos Peixes

O quebra-cabeça Carlu Brinquedos é recomendado a crianças com idade entre 1 e 3 anos.

Confeccionado em MDF, este jogo é possui sete peças grandes, pintadas e serigrafadas em policromia ultravioleta atóxica. A ilustração de peixes é ideal para atrair a atenção dos pequenos.

2º – Quebra-cabeça Pais e Filhos Floresta

O Pais e Filhos é um quebra-cabeça ideal para crianças na faixa etária de 3 a 5 anos de idade. Este modelo é feito em madeira, possui 30 peças que, quando encaixadas, formam a imagem de uma floresta.

3º – Quebra-cabeça Mundo Grow Animais

O quebra-cabeça Mundo Grow é um jogo com grau de dificuldade maior, já que contém 150 peças. Produzido em papel-cartão e com imagens de animais, este jogo é recomendado para crianças de 6 e 7 anos de idade.

4º – Quebra Cabeça Brinquedos Estrela Portinari

O quebra-cabeça Brinquedos Estrela homenageia o grande artista brasileiro Cândido Portinari, com a obra “Flora e Fauna Brasileira”.

Com maior grau de complexidade, este quebra-cabeça contém 500 peças. Por isso, é ideal para ser usado a partir dos 12 anos de idade.

5º – Quebra-cabeça Grow Old Havana

Este quebra-cabeça, produzido em papel-cartão, é formado por 1 mil peças e, por isso é recomendado para adultos.

Juntas, as peças ilustram o capitólio de Havana, a capital cubana, com seu belíssimo design de quase cem metros de altura, hoje a Sede da Academia Cubana de Ciências.

Guia de Compra

À primeira vista você pode pensar que para escolher um quebra-cabeça basta considerar o número de peças a ser montado, certo? Mas isso não é de todo verdade. Existem outros fatores que podem influenciar na sua disposição para encarar o desafio do jogo até o final e também na qualidade do produto.

Por isso, preparamos este Guia de Compra para você entender tudo sobre este jogo de desafios e tomar a melhor decisão de compra.

Mãos segurando um punhado de peças de um quebra-cabeça colorido.

Recomendado a todas as idades, o quebra-cabeça é um jogo de desafios. (Fonte: Hans / Pixabay)

O que é um quebra-cabeça?

O quebra-cabeça é um jogo de desafio no qual o participante deve resolver um problema que foi proposto. O mais comum é que você encontre o jogo de quebra-cabeça em formato de tabuleiro.

Neste modelo, o participante é desafiado a encaixar corretamente as peças até que se forme uma imagem, geralmente ilustrada na caixa do jogo. Mas, como veremos mais abaixo neste artigo, existem outros formatos de quebra-cabeças.

Quebra-cabeça branco com uma peça solta.

O quebra-cabeça de tabuleiro é um dos mais populares no mundo. (Fonte: annca / Pixabay)

De qualquer forma, o resultado final do quebra-cabeça é a grande gratificação. Mas, para atingi-lo, o processo é lento e trabalhoso. E isso não é à toa.

Muito menos do que a agilidade, o que conta para atingir o resultado proposto pelo quebra-cabeça são a atenção, a concentração e o raciocínio lógico. E, justamente por isso, o quebra-cabeça é muito mais do que um passatempo.

Hoje em dia, este jogo é conhecido mundialmente por estimular a memória e o aprendizado. Falaremos mais sobre esses e outros benefícios na parte Quais as vantagens do quebra-cabeça?

Geralmente, o quebra-cabeça é um tipo de desafio enfrentando por apenas um participante. Mas, não raro, é possível encontrar duplas e grupos de pessoas que se reúnem para montar um quebra-cabeça de tabuleiro juntos, especialmente os mais complexos.

Quebra-cabeça com a imagem do céu azul com nuvens e algumas peças soltas.

O quebra-cabeça pode ter vários tipos de ilustrações, das mais simples às mais complexas. (Fonte: atlantis0815 / Pixabay)

Hoje em dia, existem quebra-cabeças de quase todos os tipos: de paisagens, animais, mapas, palavras; desenhos animados e personagens; os feitos de madeira, papelão e plástico. Há para todos os gostos.

Para você ter uma ideia, o maior quebra-cabeça disponível hoje para a comercialização contém exatamente 32.256 peças e mede 5,44 x 1,92 metros.

Qual a origem do quebra-cabeça?

A teoria da criação do jogo de quebra-cabeça remonta ao ano de 1760. Acredita-se que tenha sido inventado por John Spilsbury, um cartógrafo inglês.

De acordo com esta teoria, Spilsbury decidiu colocar mapas de países em placas de madeiras e depois recortá-los em pequenos pedaços.

O objetivo era criar um meio lúdico para ensinar cartografia a crianças. Assim, os alunos aprendiam a identificar os países e sua localização ao mesmo tempo em que se divertiam.

Quebra-cabeça do Mapa Mundi.

O quebra-cabeça do Mapa Mundi é um dos mais tradicionais, tendo sido criado em 1760. (Fonte: geralt / Pixabay)

Dessa forma, os primeiros quebra-cabeças eram confeccionados com desenhos feitos em tábuas de madeira e que depois eram cortados em vários pedaços com uma serra. Outra teoria para a criação do quebra-cabeça é a de que o jogo se originou na antiga China, com o chamado Tangram.

O Tangram era formado por sete grandes peças que juntas formavam vários desenhos diferentes. Apesar de raro, este jogo ainda existe nos dias de hoje, como veremos logo mais neste artigo.

O jogo de quebra-cabeça remonta ao ano de 1760 e evoluiu durante os séculos até chegar ao formato que conhecemos hoje.

Fato é que, no começo do século 19, o quebra-cabeça já era um dos jogos mais populares entre as crianças da Europa.

Com a Revolução Industrial, o quebra-cabeça começou, então, a ser fabricado em larga escala, o que contribuiu para sua popularização, conquistando também os adultos.

Registra-se que o grande momento de vendas do quebra-cabeça se deu por volta de 1930. Com a Grande Depressão (1929), arquitetos, carpinteiros e tantos outros profissionais desempregados por conta da crise passavam horas criando quebra-cabeças para alugar ou vender.

Mas foi por volta de 1932 que o jogo de quebra-cabeça como conhecemos hoje começou a ser confeccionado em papel cartão. Isso fez com que o custo de produção caísse e os jogos se tornassem ainda mais populares.

Hoje em dia, os modelos de quebra-cabeça mais comuns são feitos com variados tipos de papel resistente, mas também é possível encontrá-los em madeira e MDF.

Quebra-cabeça: Quais as outras versões do jogo de desafios?

Como já vimos, o tradicional quebra-cabeça é o de tabuleiro. Este modelo possui peças recortadas que, quando encaixadas de forma correta, formam uma imagem.

No entanto, existem jogos em outros formatos e versões que também são classificados como quebra-cabeça. Isso se dá por conta de sua dinâmica que desafia o participante a montar uma figura a partir de peças.

Peças de madeira que formam cubo.

Quebra-cabeça de madeira cujo desafio é montar um cubo. (Fonte: Hans / Pixabay)

A maioria dessas outras versões de jogos de quebra-cabeça, porém, não são tão populares e, algumas não são facilmente encontradas no mercado brasileiro.

Assim, os tipos mais tradicionais de quebra-cabeça são: o Cubo Bedlam, o Cubo Mágico, o Cubo Soma, o Pentaminós e o Tangram. Abaixo, vamos explicar cada um desses quebra-cabeças para você:

  • Cubo Bedlam: É formado por 13 peças que devem criar um cubo perfeito. O desafio é encontrar uma das mais de 19 mil maneiras de fazer isso.
  • Cubo Mágico: É o mais popular entre essas diferentes versões de jogos de quebra-cabeça. Criado no ano de 1974, pelo húngaro Ernő Rubik, o Cubo Mágico é um quebra-cabeça em formato 3D. Neste modelo, o desafio é emparelhar todas as cores iguais.
  • Cubo Soma: O desafio também é o de formar um cubo. Mas, nesta versão, objetivo é formar um cubo de dimensão 3x3x3 com sete policubos. Existem, no entanto, mais de 240 maneiras diferentes de se montar este cubo.
  • Pentaminó: É uma versão de quebra-cabeça que possui cinco quadrados, que podem ser organizados de 12 formas diferentes. Este quebra-cabeça inspirou os jogos de computador conhecidos como Tetris ou Rampart.
  • Tangram: Originário da China, esta versão possui sete peças que podem formar mais de 5 mil figuras diferentes. Entre todas essas diferentes versões do jogo de quebra-cabeça, o Tangram é o que mais se aproxima dos modelos de tabuleiro comercializado no mundo hoje em dia.
Quebra-cabeça chinês, Tangram, com peças de madeira formando um pássaro.

Um dos quebra-cabeças mais antigos é o Tangram, criado na China. (Fonte: Thanee Hengpattanapong / 123rf)

Quem pode montar um quebra-cabeça?

Você pode pensar que o jogo de quebra-cabeça é apenas um passatempo recomendado para crianças. Mas não se engane.

É bem verdade que o quebra-cabeça tem resultados incríveis e efetivos na aprendizagem, especialmente na primeira infância. É, inclusive, um jogo recomendado por pedagogos.

Mas seus benefícios, como veremos logo mais neste artigo, se estendem a todas as faixas etárias, incluindo adultos e idosos. Ainda assim, é na infância e adolescência que alguns pontos devem ser levados em conta quando você for escolher o jogo de quebra-cabeça ideal.

Imagem de crianças e adultos jogando quebra cabeça.

Especialistas recomendam que o quebra-cabeça deve ser inserido na infância, para facilitar a aprendizagem. (Fonte: Andriy Popov / 123RF)

Assim como ocorre com os brinquedos infantis, o quebra-cabeça também possui faixa etária recomendada. Isso se deve, em primeiro lugar, por uma questão de segurança.

Por ser formado por peças soltas e recortadas, o jogo de quebra-cabeça pode se tornar um risco para crianças menores, especialmente se as peças forem muito pequenas.

A recomendação de especialistas é que, se você optar por utilizar um quebra-cabeça com peças pequenas com crianças muito novas, é imprescindível a presença de um adulto. Essa precaução servirá para evitar que os pequenos coloquem as peças na boca e corram o risco de engolir.

A outra razão para se atentar à faixa etária antes de escolher o melhor quebra-cabeça para crianças é com relação à complexidade do jogo. O quebra-cabeça com peças muitas pequenas e peças pequenas se tornam, por consequência, mais complicados.

A criança terá dificuldade de entender como deve encaixar as peças para formar a imagem proposta. Em Critérios de Compra, falaremos mais a fundo sobre o número adequado de peças de um quebra-cabeça de acordo com a faixa etária.

Veja no canal Brincando Com a Tia Fla como montar um quebra-cabeça:

Além disso, imagens muito complexas, com muitos detalhes e muitas cores diferentes também serão mais difíceis de serem compreendidas por crianças ainda em fase de aprendizagem.

Um jogo de quebra-cabeça muito difícil para a criança acabará tendo o efeito contrário do esperado, gerando ansiedade, frustração e desânimo. Por outro lado, um jogo muito fácil não irá estimular o interesse dos pequenos em resolver o desafio.

Quais os benefícios de montar um quebra-cabeça em família?

Os especialistas recomendam que os pais acompanhem seus filhos no desafio do quebra-cabeça, guiando-as com dicas para facilitar a montagem.

Isso porque, no início, a criança pode se sentir insegura e com dificuldades em analisar as imagens e cores e entender a dinâmica do desafio.

Estudos também apontam que o quebra-cabeça serve como instrumento de fortalecimento do elo familiar.

Ao montar quebra-cabeça, juntos, pais e filhos encontram um ambiente mais relaxante para promover o diálogo e estreitar os laços familiares.

Mas não torne essa parceria entre você e seu filho uma atividade rigorosa. Os especialistas recomendam que montar um quebra-cabeça em família deve ser pautado na diversão. Confira algumas dicas:

  1. Você pode começar por tentar organizar o caos das peças misturadas, separando-as por cores.
  2. Depois, pais e filhos devem compreender a figura que será montada. E, então, vocês podem começar a jornada para formar a ilustração.
  3. Depois que a criança entender a dinâmica e se sentir segura, você poderá incentivá-la a tentar novamente com menos intervenções até que ela consiga jogar o quebra-cabeça sozinha.

A seguir, vamos mostrar para você os grandes benefícios que o jogo de quebra-cabeça traz para o desenvolvimento das crianças e também dos adultos.

Quais as vantagens do quebra-cabeça?

Como vimos, o quebra-cabeça é muito utilizado e recomendado para crianças, jovens, adultos e idosos, seja para estimular ou para manter a memória.

Mas existem outras inúmeras vantagens. Uma delas é que o quebra-cabeça desenvolve as habilidades motoras, visuais e sociais. Por isso, o jogo de quebra-cabeça é tão recomendado para crianças em fase de aprendizagem.

O fato de a criança tentar encaixar uma peça na outra é um ótimo estímulo para que ela exercite o controle dos movimentos dos braços, dos olhos e das mãos.

Quebra-cabeça pequeno do DNA com algumas peças soltas.

O jogo de quebra-cabeça traz inúmeros benefícios para a memória, coordenação motora e aprendizagem. (Fonte: qimono / Pixabay)

“Brincar” de montar quebra-cabeça também reflete na capacidade da criança em resolver problemas, o que aumenta a capacidade de raciocínio.

Com o quebra-cabeça, é possível estimular ainda o conhecimento dos números, das cores, das figuras, dos mapas, do espaço e de outros campos do conhecimento. Esse estímulo ocorre quando a criança tenta encontrar peças e encaixá-las. Dessa forma, ela acumula informações sobre os formatos e seus possíveis pares.

O quebra-cabeça também é um ótimo instrumento de socialização. Isso porque as crianças podem “brincar” juntas com os amigos, interagir e colaborar.

De acordo com cientistas da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, crianças com idade de dois a quatro anos que montam quebra-cabeça podem desenvolver habilidades espaciais e matemáticas de forma mais fácil.

Além disso, o jogo de quebra-cabeça também ajuda a desenvolver a capacidade de concentração, de comparar, analisar e sintetizar ideias. Vantagens essas que beneficiam todas as faixas etárias.

Alguns psicólogos afirmam ainda que o quebra-cabeça auxilia no processo de amadurecimento e na resolução das questões internas. Além, é claro, de desenvolver a paciência.

O quebra-cabeça também é recomendado para estimular idosos com dificuldades de raciocínio e limitação da mobilidade, além de pessoas com limitações ou deficiências psicomotoras. O jogo é conhecido, inclusive, por auxiliar pacientes com Mal de Alzheimer.

Por todas essas vantagens, este é um jogo em que as desvantagens praticamente não existem.

O quebra-cabeça também é recomendado para estimular idosos com dificuldades de raciocínio e limitação da mobilidade.

Uma das desvantagens do jogo de quebra-cabeça, porém, é que, quanto mais difíceis e desafiadores, mais caros serão.

Outro ponto que pode se tornar negativo é, como já vimos, se você adquirir um quebra-cabeça muito difícil e em desacordo com a faixa etária, levando ao desestímulo e até frustração de incapacidade. A seguir, você confere as principais vantagens e desvantagens do quebra-cabeça:

Vantagens
  • Estimula a aprendizagem
  • Estimula a memória
  • Desenvolve a coordenação motora
  • Estimula a interação social
  • Desenvolve o raciocínio lógico
  • Desenvolve a paciência
Desvantagens
  • Os mais complexos são caros
  • Se não for para a idade recomendada pode desestimular

Quanto custa?

O preço do jogo de quebra-cabeça costuma variar bastante. Isso vai depender da complexidade do jogo, do número de peças e do material de fabricação. Mas, em geral, o preço do quebra-cabeça varia de R$ 7 a R$ 300.

Geralmente, quanto menos peças e mais fácil o quebra-cabeça, mais barato poderá ser este produto.

Onde comprar?

Você poderá encontrar o jogo de quebra-cabeça nos mais diversos tipos de lojas, inclusive em lojas de departamento e hipermercados como Lojas Americanas, Extra e Ponto Frio.

No entanto, nós recomendamos que você realize a sua compra por meio das lojas online como a Amazon, por exemplo.

Dessa forma, você não apenas adquire o quebra-cabeça do conforto da sua casa, como ainda terá muito mais opções de jogos para escolher, com preços mais competitivos.

Critérios de compra: O que levar em conta antes de escolher o quebra-cabeça

Como já vimos, hoje em dia existem no mercado vários tipos de jogos de quebra-cabeça. Mas aqui consideraremos aqueles mais populares, os quebra-cabeças de tabuleiro.

Nesse caso, você deve levar em conta alguns aspectos importantes antes de realizar sua compra. Esses fatores irão influenciar tanto no desempenho do jogador, seja ele criança, jovem adulto ou idoso, quanto na durabilidade e resistência do produto.

Por isso, listamos abaixo os principais itens que você deve observar antes de comprar o quebra-cabeça ideal. São eles:

  • Número e Tamanho das Peças
  • Detalhes da Ilustração
  • Material de Fabricação
  • Preço

A seguir, vamos detalhar cada um desses fatores para que você possa tomar a melhor decisão de compra e que irá atender as suas expectativas.

Número e Tamanho das Peças

Um dos principais fatores que você deve considerar antes de comprar o seu quebra-cabeça é a dupla: quantidade e tamanho das peças.

Isso porque, esses dois fatores juntos é o que, geralmente, determinam a complexidade e o grau de dificuldade do jogo. Ou seja, quanto maior o quebra-cabeça e menores as peças, mais difícil será o desafio.

Como já vimos neste artigo, se você estiver à procura de um quebra-cabeça para crianças deve considerar a recomendação da faixa etária do produto. A definição da faixa etária, no caso do quebra-cabeça, é feita com base na quantidade e no tamanho das peças.

Imagem de duas peças grandes de madeira.

Peças maiores e em menor quantidade são ideais para as crianças começaram a se acostumar com o desafio do quebra-cabeça. (Fonte: Maksim Kostenko / 123RF)

Por exemplo, para crianças com idade entre 1 e 3 anos o quebra-cabeça mais indicado é o que contém de 2 a 12 peças grandes. Nesse caso, o ideal é que as peças se encaixem em uma forma, para facilitar a compreensão da criança.

Para crianças de 3 a 5 anos de idade, também é recomendado que as peças do jogo de quebra-cabeça sejam grandes e as ilustrações em larga escala e com menos detalhes.

Porém, nesta faixa etária, já é possível que você insira um quebra-cabeça com uma quantidade maior de peças, que pode variar entre 12 e 50.

Crianças com idade entre 5 a 6 anos já podem ser motivadas a tentar montar um quebra-cabeça um pouco mais complexo. Nesta faixa etária, você pode escolher um quebra-cabeça que contenha até 100 peças. Neste caso, as peças do jogo também poderão ser menores do que a faixa etária anterior.

Como você pode observar até aqui com esses exemplos, à medida que as crianças avançam em suas idades é possível aumentar o número e o tamanho de peças do quebra-cabeça.

Vale lembrar que existem jogos de quebra-cabeça com menos peças, como por exemplo 200, que podem ser muito difíceis, inclusive para adultos. Afinal, estamos falando de um jogo de desafios! Para os mais corajosos existem quebra-cabeças de até 6 mil peças.

Abaixo, você confere uma tabela completa com a recomendação do tipo e número de peças do quebra-cabeça para cada faixa etária.

Idade Quantidade e tamanho das peças
1 a 3 anos Peças grandes, que se encaixam em forma
3 a 5 anos 12 a 50 peças grandes
5 a 6 anos Até 100 peças menores
6 a 7 anos 200 peças pequenas
7 a 8 anos 200 peças pequenas
8 a 10 anos 300 peças pequenas
+ de 12 anos + de 500 peças pequenas

Já para adultos e idosos não há limites de número de peças. É importante que você saiba, porém, que, quanto o maior o número de peças mais complexo e demorado será o desafio.

Confira os processos de montagem de um quebra-cabeça de mais de 24.000 peças no vídeo abaixo:

Detalhes da ilustração

Além da quantidade e do tamanho das peças, outro fator influi no grau de complexidade do quebra-cabeça: a ilustração que será montada no desafio.

Em geral, para os pequenos de até 5 anos de idade, as imagens devem ser feitas em larga escala, com menos detalhes e com menor variação de cores. Isso serve para facilitar a análise e a compreensão das crianças, além de estimular a criança.

A partir dos 6 anos, você já pode começar a inserir quebra-cabeça com imagens que contenham um pouco mais de detalhes. O mais comum é encontrar jogos com ilustrações do mundo animal, do espaço ou de personagens infantis.

Já para jovens e adultos, os quebra-cabeças costumam conter imagens mais complexas e elaboradas, com muitos detalhes e uma maior variação de cores. Quanto mais informação tiver a ilustração, mais desafiante será montar o quebra-cabeça.

Um exemplo comum são cenas de cidades famosas do mundo, com prédios, casas, comércio, pessoas, árvores, carros e todo detalhe possível que pode compor o cenário.

Material de Fabricação

Outro fator a considerar antes de compra o seu quebra-cabeça é o material de fabricação. O material vai refletir na qualidade e durabilidade do quebra-cabeça e também na segurança, no caso de o jogador ser uma criança.

Hoje em dia, o mais comum é que você encontre o jogo de quebra-cabeça feito em papel carbono, que é um material resistente e econômico.

Imagem de quebra cabeça desmontado sobre mesa e pessoas tentando montar.

O material do quebra-cabeça vai refletir na sua qualidade e durabilidade. (Fonte: Evgeniia Kuzmich / 123RF)

No entanto, também será possível encontrar o quebra-cabeça feito com outros tipos de papéis resistente, inclusive o papelão. Além disso, o jogo pode ser confeccionado em plástico, espuma e, para os mais exigentes e tradicionais, em madeira.

Ser você estiver à procura de um quebra-cabeça para criança, o tipo de material de fabricação se torna um fator ainda mais importante. Como vimos, os pequenos tendem a colocar objetos na boca ou ainda derrubá-los e jogá-lo.

Por isso, o ideal é que você opte por um quebra-cabeça feito de um material resistente, de madeira ou MDF, que não seja fácil de rasgar ou de quebrar.

foco

Você sabia que os adeptos do jogo de quebra-cabeça, pelo menos aqueles mais aficionados no desafio, costumam emoldurar o resultado final de seu jogo e pendurá-los como obras de arte na parede de casa?

Pois é! Isso é mais comum do que você pensa. Para fazer isso, basta que você coloque as peças enquanto monta o quebra-cabeça em uma chapa de madeira ou MDF da mesma dimensão da imagem e pronto! Quando você terminar o desafio terá uma obra de arte decorativa!

Preço

Esse fator, pode ser determinante para muitas pessoas. Embora ele não deva ser o de maior destaque, vale a pena estabelecer um orçamento antes dessa escolha.

Definindo o quanto você pode gastar no seu quebra-cabeça, pode tentar achar um equilíbrio entre tudo que foi mencionado, buscando qualidade dentro de um preço que caiba no seu bolso.

Quebra-cabeças infantis costumam ser mais baratos, por serem menores e menos complexos. Aqueles que possuem mais peças e são mais desafiadores, consequentemente serão mais caros.

(Fonte da imagem destacada: congerdesign / Pixabay)

Por que você pode confiar em mim?

Izabel Toscano Jornalista
Nômade digital, jornalista, leitora e questionadora compulsiva. Já trabalhou em jornais diários e sites de notícias no Brasil, e em plataformas online na Irlanda e na França. Hoje, roda o mundo escrevendo sobre temas variados, sempre atenta às novas tecnologias e a tudo que surge para trazer leveza à vida.