Imagem de um alicate rebitador de quatro ponteiras.

Cedo ou tarde, montadores de painéis, serralheiros, calhistas e outros profissionais recorrem a um rebitador para unir componentes de diferentes materiais. A ferramenta também é muito usada na indústria, principalmente para conectar chapas metálicas mais rígidas.

Aliás, o rebitador também pode quebrar o galho de qualquer pessoa que precisa fazer pequenos reparos em casa. Tanto é assim que no mercado você encontra de modelos mais simples de uso pessoal até os mais robustos para profissionais.

E para tomar a melhor decisão, o ReviewBox Brasil preparou um Guia completo sobre rebitador. Ao longo deste artigo, você descobrirá quais são os modelos mais bem avaliados do mercado e quais são os critérios que você deve levar em conta na hora da compra.



Primeiro, o mais importante

  • Podemos dizer que o rebitador é uma ferramenta que simplifica o trabalho de diversos profissionais. Isso porque ele consegue conectar componentes rígidos, como chapas metálicas, de forma rápida e prática.
  • Vale frisar que existem diversos tipos de rebitadores disponíveis no mercado. As opções de uso pessoal custam cerca de R$ 30 a R$ 70. Por sua vez, as ferramentas dedicadas a profissionais e indústrias, que proporcionam mais firmeza na aplicação, têm um preço mais elevado: entre R$ 200 e R$ 400.
  • Entre tantos detalhes que você deve observar antes de escolher o rebitador mais adequado às suas necessidades, estão o conforto, o formato e o tipo de rebite aceito pela ferramenta.

Você também pode gostar:

Ranking: Os 4 melhores modelos de rebitador

De forma resumida, um rebitador manual serve para fixar dois ou mais componentes de diferentes materiais, como aço, metal, entre outros. No mercado, podemos encontrar diversas opções que servem tanto para uso doméstico quanto industrial.

Para ajudar a fazer a melhor compra possível, a ReviewBox Brasil fez uma seleção dos melhores rebitadores, tanto para uso pessoal quanto profissional e industrial. Confira na sequência:

1° – Rebitador Manual Tipo Alicate – Vonder

Confeccionado em aço estampado e corpo de plástico, o rebitador da Vonder foi pensado justamente para ser leve e ao mesmo tempo resistente. Seu cabo tem formato antideslizante para dar mais firmeza na hora de executar as tarefas.

Ele é indicado para unir peças como chapas, tubos, perfis, entre outros por meio do rebite de repuxo. Conta com quatro ponteiras de diferentes tamanhos anexadas no próprio corpo da ferramenta.

A cabeça giratória permite a aplicação de rebites em várias posições. Aqui, é importante destacar que essa ferramenta só aceita rebites de alumínio que tenham até 4,8 milímetros.

2° – Alicate Rebitador – Sata

Sinônimo de qualidade e resistência, o alicate rebitador da Sata serve para prender peças finais de metal ou metais macios, como alumínio. Seu corpo de aço garante a durabilidade da ferramenta.

Sabendo que o uso excessivo causa dores nos dedos, o rebitador vem com cabo ergométrico emborrachado para proporcionar maior conforto na execução das tarefas.

A ferramenta vem acompanhada de uma chave para realizar a troca das quatro ponteiras de tamanhos diferentes. Elas aceitam apenas rebites de alumínio de 2,4; 3,2; 4 e 4,8 milímetros de diâmetro.

3° – Rebitador Manual Tipo Sanfona – Irwin

O rebitador manual tipo sanfona é indicado para profissionais do ramo de construção civil. Graças ao seu formato sanfona, é possível atingir áreas de difícil acesso.

Quer mais? Pois, na hora de aplicar em superfícies mais resistentes, o alicate não exige tanto esforço braçal quanto às ferramentas mais tradicionais. Por conta da cabeça regulável, a ferramenta permite a aplicação de rebites mais longos, podendo atravessar de duas a três chapas metálicas de forma simultânea.

Outro diferencial é que o alicate da Irwin aceita rebites de diversos materiais: aço, alumínio ou misto. Para completar, o acessório ainda possui trava de segurança para evitar acidentes na área da sanfona e facilitar o armazenamento da ferramenta.

4° – Rebitador de Rosca Manual Tipo Alavanca – Vonder

Trata-se de um rebitador do tipo alavanca indicado apenas para uso industrial, principalmente do setor automotivo. Isso porque ele oferece uma fixação muito mais resistente em superfícies de difícil acesso.

Além de sua aplicação restrita à indústria, outro diferencial dessa ferramenta da Vonder está em sua capacidade de remover os rebites com a mesma facilidade. Aqui, basta realizar o movimento inverso.

Robusto e de fácil manuseio, o rebitador suporta os mais variados rebites de rosca: M3, M4, M5, M6, M8, M10 e M12. Ao todo, são 6 ponteiros roscados que acompanham o produto. No entanto, diferente de outros modelos, eles não vêm anexados na ferramenta.

Guia de Compra

O rebitador é um item indispensável na caixa de ferramentas. Trabalhadores das mais diversas áreas, como montadores de painéis, serralheiros e calhistas – fazem uso desse equipamento.

Nesse Guia de Compra, você vai descobrir como é simples unir chapas metálicas e componentes de outros materiais. Isso porque você vai conhecer como funciona um rebitador, quais são suas vantagens e onde encontrá-lo para compra. Vamos lá!

Imagem de um operário com capacete de obra na cabeça e segurando uma caixa de ferramentas.

Quem trabalha com obras precisa sempre carregar um rebitador em sua caixa de ferramenta. (Fonte: Freepik)

O que é um rebitador?

Se você precisa unir chapas de metais e está pensando em ideias mirabolantes para concluir a missão, saiba que o alicate rebitador facilita a sua vida. De forma prática, rápida e segura, a ferramenta permite prender componentes metais com firmeza.

Mas, vale salientar, o processo começa com o auxílio de outras ferramentas. Vamos imaginar, então, que você precisa colocar um fixador em uma porta de metal. O primeiro passo é usar uma furadeira para fazer pequenos furos na chapa metálica.

Na sequência, para conectar os dois materiais, o rebitador é acionado. Aqui, não tem muito segredo para usar a ferramenta. Após selecionar a ponteira adequada para o rebite, insira a pequena peça no furo previamente feito e pressione os dois cabos do alicate de forma contínua até que o mandril do rebite se quebre.

Assista ao vídeo abaixo do canal Ser Eletricista e veja como utilizar a ferramenta na prática:

Quais as vantagens e desvantagens do rebitador?

Além do fácil manuseio e da capacidade de unir componentes de diferentes materiais, podemos destacar o preço acessível como uma vantagem dos rebitadores. Você encontra um modelo de qualidade para fazer serviços domésticos por menos de R$ 80.

É verdade que, na lista de produtos deste Guia de Compra, estão alicates rebitadores que custam entre R$ 200 e R$ 400. No entanto, eles são indicados para uso profissional e em setores da indústria. Portanto, podemos considerar um preço acessível, né?

Dependendo do tipo de serviço, é preciso recorrer a rebites de tamanhos diferentes. Para tanto, você deve trocar a posição das ponteiras que, geralmente, vêm anexadas ao corpo do alicate rebitador.

Imagem de uma placa sobre uma madeira e um rebitador com ponteiras.

O rebitador é uma ferramenta acessível. (Fonte: cuchina / 123RF)

Se você não tomar cuidado nesse processo, é fácil perder uma das ponteiras. Para piorar a situação, essas peças avulsas são muito difícil de ser encontradas, mesmo em lojas de materiais de construção. Talvez, seja melhor comprar uma nova ferramenta.

As ponteiras ainda demandam outro tipo de cuidado. Como falamos anteriormente, cada peça aceita um tamanho específico de rebite. Caso você coloque um rebite maior que o limite suportado pela ponteira, ele fica preso.

Por fim, sabemos que o alicate rebitador exige um esforço braçal. Portanto, tome muito cuidado com o seu uso excessivo. Para evitar dores musculares, o ideal é fazer repetições de forma controlada.

Vantagens
  • Aplicação rápida em superfícies rígidas
  • Fácil manuseio
  • Preço acessível
Desvantagens
  • Peças pequenas são fáceis de se perder e difíceis de serem encontradas avulsas
  • O mandril do rebite pode ficar preso nas ponteiras
  • Uso excessivo causa dores musculares

O mandril do rebite ficou preso na ponteira, e agora?

Isto acontece com certa frequência: após inserir o rebite no furo previamente feito, o mandril do rebite fica preso nas ponteiras. Aí, como você não consegue dar continuidade à aplicação, isso atrasa todo o seu trabalho.

Quem já esteve envolvido nessa situação sabe que não adianta nada tentar puxar a peça com os dedos ou com um outro alicate. Não funciona. O desespero é tanto que você pensar em abrir a ferramenta inteira ou até mesmo comprar uma nova.

Antes de chegar a esse ponto, saiba que existe uma maneira prática de tirar a peça sem estragar a ferramenta. Deixe a manivela do rebitador solta e coloque parcialmente um novo rebite na ponteira que está trancada. Na sequência, dê uma “martelada” nele.

Com isso, o rebite que estava preso na ponteira vai para dentro da ferramenta e sai de uma vez. Para entender melhor o procedimento, assista ao vídeo abaixo:

Agora, para evitar que esse tipo de situação aconteça, você deve recorrer às ponteiras adequadas para cada rebite. Fique atento a esse detalhe na hora do trabalho, hein!

Quanto custa?

Para quem precisa unir componentes mais comuns em casa, pode recorrer aos modelos mais tradicionais de rebitador. Eles têm um preço muito acessível: entre R$ 30 e R$ 70.

Por sua vez, as ferramentas de uso profissional e industrial, que unem chapas metálicas mais resistentes, apresentam um custo muito mais elevado. Eles custam mais de R$ 200. Como são utilizadas em indústria de diferentes segmentos, não se trata de um investimento elevado.

Onde comprar?

Tanto os alicates rebitadores quanto os rebites podem ser encontrados em lojas de materiais de construção. Aqui, estamos falando de Telhanorte, Leroy Merlin e Dicico. Quando estiver na loja, aproveite a atenção do vendedor para tirar eventuais dúvidas.

Caso já tenha certeza de qual modelo de rebitador comprar, pode ser que você prefira comprar sem sair de casa. Você encontra as mais variadas opções de alicate em lojas online confiáveis, como Amazon brasileira, Carrefour e Loja do Mecânico.

Critérios de compra: Principais características para avaliar um rebitador

Prestar atenção aos pequenos detalhes faz muita diferença na hora de comprar qualquer produto, inclusive um rebitador. Listamos algumas características, que variam de modelo para modelo, para você observar quando escolher a opção mais adequada às suas necessidades. Confira na sequência:

  • Finalidade
  • Conforto
  • Acessórios complementares
  • Formato
  • Tipo de rebite

Abaixo, entenda a importância de cada um desses pontos antes de tomar sua escolha.

Finalidade

Antes de mais nada, você precisa fazer a seguinte pergunta: por que eu preciso comprar um alicate rebitador? Se for para realizar pequenos serviços caseiros, um modelo mais comum de uso pessoal já é mais que suficiente. Em linha geral, essas opções têm um preço que varia de R$ 30 a R$ 80.

Por outro lado, se você tem uma pequena fábrica ou trabalha em obras que precisa unir componentes mais resistentes, precisa desembolsar uma quantia maior. Os modelos de uso profissional apresentam um valor entre R$ 200 e R$ 400.

Imagem de um rebitador com fundo branco.

O rebitador pode ser usado para fins domésticos ou profissional. (Fonte: Sergii Petruk / 123RF)

Acessórios complementares

De modo geral, os alicates rebitadores já vêm acompanhados das ponteiras, da chavinha que realiza sua troca e de uma trava de segurança que prende os cabos da ferramenta.

Existem, ainda, opções que vão além e são acompanhadas de uma série de rebites de diferentes tamanhos. Aí, você não precisa fazer uma segunda compra para obter essas peças.

Às vezes, inclusive, compensa mais economicamente adquirir um modelo que já vem com todos esses acessórios inclusos do que comprá-los separadamente. Uma oferta assim pode ser mais atrativa e ter melhor custo-benefício.

Conforto

Como se trata de uma ferramenta manual, o uso excessivo dela causa certa dor muscular. Para diminuir esse impacto, é importante ficar atento ao tipo de material usado no acabamento da ferramenta, uma vez que ele interfere diretamente no conforto do manuseio.

Existem modelos que têm os cabos emborrachados. Eles proporcionam maior firmeza e conforto às mãos durante a execução das tarefas.

Formato

Como você reparou na lista de produtos deste Guia, existem rebitadores de diferentes formatos. Os modelos mais tradicionais têm formato de um alicate. Eles são mais práticos de manusear.

Existem, também, os rebitadores tipo sanfona. Esse formato permite que a ferramenta alcance locais de difícil acesso, além de exigir um menor esforço braçal do operador.

No entanto, é preciso tomar cuidado para não machucar os dedos ao prendê-los na área da sanfona.

Tipos de rebite

Por último – e não menos importante –, estão os tipos de rebite que cada ferramenta aceita. Aqui, estamos falando de tamanho e material.

A maioria dos rebitadores possui 4 ponteiras. De modo geral, eles suportam rebites de alumínio que tenham entre 2,4 milímetros e 4,8 milímetros de diâmetro. No entanto, existem modelos que aceitam peças de alumínio, aço ou misto.

Confira atentamente esses detalhes na descrição do produto para ter certeza que o rebitador vai atender suas necessidades.

(Fonte da imagem destacada: Samart Wiyapraw / 123RF)

Por que você pode confiar em mim?

César Ferreira Formado em Engenharia Industrial
César é apaixonado por carros. Talvez tenha sido essa paixão que o levou a, desde pequeno, querer entender como as coisas funcionam. Essa curiosidade, por sua vez, lhe fez cursar Engenharia Industrial. Hoje, ele presta consultoria para pequenas e médias empresas e, nas horas vagas, deixa seu carro - e o de seus amigos - cada vez mais tecnológicos e especiais.