Roteador com sala de estar ao fundo.
Ultima atualização: 25 de outubro de 2019

Como escolhemos

23Produtos analisados

20Horas investidas

5Estudos avaliados

156Comentários coletados

Seja bem-vindo ao ReviewBox Brasil! Hoje vamos falar de um aparelho essencial para quem precisa do acesso ao Wi-Fi: o roteador.

Dispositivo usado para transmitir sua internet banda larga para toda a casa sem fios, o roteador evoluiu e hoje existem modelos diversos com funcionalidades para todos os objetivos.

Em meio a tantas opções, vamos mostrar neste artigo o que você deve levar em conta antes de comprar o roteador que irá atender às suas expectativas e necessidades.




Primeiro, o mais importante

  • Utilizado para melhorar a performance e a distribuição de conexões em redes de banda larga em lugares amplos, o roteador é indispensável na vida moderna.
  • Para otimizar o desempenho do roteador e proteger seus dados pessoais é preciso tomar alguns cuidados com a instalação e configuração do aparelho.
  • Vamos mostrar para você quais são as características que diferenciam um modelo de outro e como escolher o roteador ideal.

Você também pode gostar:

Os melhores modelos de roteador: Nossas escolhas

Se você procura por um roteador sabe que esse aparelho vai tornar a sua vida e de várias pessoas mais fácil. Por isso, os fabricantes continuam a investir em alta tecnologia. Por isso, a seguir, nós vamos apresentar para você os melhores modelos de roteador disponíveis hoje em dia no mercado.

Um roteador muito potente

O Roteador Archer C60 da TP-Link tem padrão IEEE 802.11ac, com frequência dual band (2,4GHz e 5GHz) e quatro portas LAN. Esse modelo conta com três antenas com potência de transmissão que varia de 20dBm a 23dBm. Esse roteador também conta com funções QoS, WMM, Controle de Largura de Banda e Controle dos Pais.

Um roteador com padrão N

O IWR 3000N da Intelbras é um roteador de padrão N, com velocidade de 300 Mbps. Esse modelo também conta com duas antenas externas de 5 dbi e potência de transmissão de 20 dbm. Além disso, o IWR 3000N possui ainda funções como a de Bloqueio de Sites e de Controle de Banda.

Um roteador muito completo

O Roteador TL-WR849N da TP-Link tem o padrão 802.11n e duas antenas externas de 5dBi. Esse modelo possui ainda velocidade de 300Mbps, quatro portas LAN e potência de transmissão de 20dBm a 30dBm. Esse roteador contém as seguintes funções: Controle dos Pais, Controle de Gerenciamento Local, Lista de Estações e Agenda de Acesso.

Para quem tem uma empresa

O roteador Wireless Corporativo da Hotspot 300 da Intelbras tem 300 MBps de velocidade e permite que até 60 usuários naveguem simultaneamente, o que é ideal para empresas. O sinal desse dispositivo pode atingir até 300 metros quadrados, graças aos 500 mW de potência e às duas antenas de 5 dBi.

Uma opção para vários padrões

O roteador DIR-615 da D-Link suporta o padrão N, B e G. Além disso, possui velocidade de conexão wireless de até 300Mbps e dual antena de 5dBi. Esse modelo também conta com frequência de Wi-Fi de 2,4GHz, cinco portas LAN, e funções como Controle de Pais e Filtro de Sites.

Guia de Compra

Apesar de parecerem todos os iguais, existem muitas diferenças de funcionamento entre os roteadores à venda no mercado. Além disso, nem sempre o mais caro ou o mais potente será ideal para você.

Por isso, criamos este Guia de Compra com todas as informações que você precisará para tomar a melhor decisão ao escolher o roteador ideal.

Homem usando celular atrás de um roteador.

O roteador é essencial se você quer usufruir da rede Wi-Fi. (Fonte: Kittichai Boonpong / 123rf)

O que é um roteador?

Hoje em dia é muito comum que você tenha dois, três ou até mais computadores em casa ou no escritório, não é mesmo?

Mas, para que ocorra a conexão e o compartilhamento de dados entre os aparelhos, com o acesso simultâneo à internet, é preciso que você tenha alguns aparelhos. Entre eles estão, por exemplo, o modem e o roteador.

Quando você contrata um serviço de banda larga, você recebe um modem lhe garantindo assim um ponto único de acesso à internet ligado ao computador principal.

Mas, para compartilhar esta conexão com mais de um aparelho no mesmo ambiente, seja em casa ou na empresa, é preciso criar uma rede interna com o roteador.

mão segurando placa com sinal e WiFi e natureza ao fundo.

O roteador recebe o sinal que vem do modem e depois transmite via Wi-Fi. (Fonte: rawpixel / Pixabay)

Isso porque o roteador é um dispositivo que conecta aparelhos que utilizam transmissão de dados via wireless.

Assim, esse dispositivo elimina a necessidade de o notebook ou mesmo outro computador, por exemplo, estarem conectados ao computador principal. O roteador, portanto, é o grande responsável pelo funcionamento da internet sem fio (Wi-Fi).

Mas, além disso, esse importante dispositivo tem outra função e ela vem do próprio do seu nome. ‘Roteador’ tem origem na palavra ‘rota’, que significa caminho ou direção.

O roteador é responsável pela transmissão do sinal de internet para vários aparelhos ao mesmo tempo, além de também ser eficiente na escolha do melhor caminho para fazer isso.

Dessa forma, muito além de ser um intermediador que possibilita o sinal Wi-Fi, o roteador também tem como função buscar as melhores rotas para enviar e receber os dados.

Por isso, ele acaba dando prioridade aos aparelhos que estão mais próximos e para redes menos congestionadas, permitindo que a conexão sem fio funcione sem interrupções ou sem queda de velocidade.

O fato é que a maior parte dos roteadores possui potentes antenas para enviar e receber as transmissões de pacotes de dados por redes sem fio.

Mas cada modelo tem quantidades de antenas e potências diferentes. Além disso, os roteadores têm velocidade, potência e alcances de sinais diferentes.

Sem contar que os modelos mais modernos contêm funções extras que permitem aos os pais controlarem o acesso de crianças à internet, por exemplo.

Qual a diferença entre modem e roteador?

Como vimos, modem e roteador são fundamentais para que você possa usufruir da internet em casa ou no trabalho.

Mas, apesar de existirem diferenças entre eles, os dois dispositivos também se complementam. O modem é um aparelho que conecta o seu computador à rede da sua operadora de internet banda larga.

Antigamente a maioria das conexões de internet utilizavam a rede de telefonia fixa (ADSL) e computadores de mesa.

Porém, existem outros tipos de modems que recebem os dados de maneira diferente: por meio de cabo coaxial (NET), fibra óptica (Vivo/NET/TIM) ou GSM (Claro/Vivo).

Roteador.

O roteador e o modem são dispositivos que se complementam. (Fonte: USA-Reiseblogger / Pixabay)

Você já percebeu que as operadoras que trabalham com redes de internet ADSL costumam dar desconto na internet caso você já possua telefone fixo da operadora?

Isso ocorre porque a linha telefônica já chega no local e, então, basta instalar o modem.

Mas como não queremos usar a internet somente através de um computador de mesa, mas sim acessá-la de qualquer lugar da casa e em qualquer dispositivo, é necessário ter o roteador.

Como vimos, o roteador é um equipamento que faz a ponte entre o modem e seus equipamentos sem fio (notebook, smartphone ou tablets).

O roteador recebe o sinal de internet do modem via cabo ethernet. Só então o roteador é capaz de distribuir o sinal de internet via Wi-Fi. Ou seja, o roteador precisa do modem.

Vale lembrar, porém, que não é raro encontrar provedores de internet que já oferecem modem e roteador juntos em um único equipamento.

Esse tipo de aparelho é normalmente fornecido para planos com velocidades maiores ou em combos com TV paga.

Confira a seguir, as principais diferenças entre o modem e o roteador:

Modem Roteador
Design Sem antena aparente Com antena (s)
O que faz Conecta computador à rede da operadora de internet Faz a ponte entre o modem e dispositivos wireless, como notebook
Como faz Recebe sinal de internet da operadora via rede telefônica, cabo coaxial ou fibra ótica Recebe sinal de internet do modem via cabo ethernet e o distribui via Wi-Fi
Resultado Internet para um computador Internet para vários aparelhos simultaneamente

Qual o melhor local para instalar o roteador?

Você sabia que escolher o local onde você irá colocar o roteador pode fazer toda a diferença na qualidade de transmissão do sinal de Wi-Fi?

O fato é que o sinal de internet que o roteador transmite tem um alcance diferenciado dependendo da tecnologia empregada.

De maneira geral, podemos dizer que a maioria dos aparelhos têm um limite de mais de 100 metros de alcance. Porém, paredes e outros obstáculos pode sim diminuir o alcance do Wi-Fi.

Especialistas recomendam também que você instale o roteador em um ponto alto, livre de barreiras e central. O ideal é que o aparelho esteja em uma área que fique próxima a todos os cômodos da casa.

Além disso, os especialistas alertam que colocar o roteador no chão, próximo a parede ou perto de outros dispositivos que emitem frequências sem fio, como micro-ondas, pode prejudicar o sinal de internet.

Quais cuidados você deve ter com o roteador?

Além de posicionar o seu roteador em local adequado, é preciso que você adote algumas ações para garantir o bom desempenho do seu dispositivo. Por exemplo, posicionar a antena de maneira incorreta pode atrapalhar a propagação do sinal.

Assim como o local onde você vai deixar o seu roteador, também a posição das antenas pode influenciar a qualidade e o alcance do sinal da Wi-Fi.

Embora as antenas do roteador sejam capazes de distribuir o sinal em todas as direções, elas não se espalham uniformemente em todos os sentidos. Por isso, o ideal é deixar as antenas retas para cima.

Além disso, é muito importante que você atualize algumas configurações no seu roteador. Assim como o local onde você vai deixar o seu roteador, também a posição das antenas tem poder de influenciar a qualidade e o alcance do sinal de internet Wi-Fi.

Ao comprar um roteador, o primeiro passo é se conectar à rede Wi-Fi. Mas também é fundamental que você mude a senha padrão.

O fato é que manter os dados do roteador que já vem configurados da fábrica facilita o trabalho de hackers que podem invadir a sua rede. Para proteger os seus dados, é importante alterar a senha antes de começar a usar o aparelho.

Também é preciso atualizar o software do roteador. Manter o sistema desatualizado deixa o aparelho ainda mais vulnerável em relação à segurança.

Como configurar o roteador?

Configurar o roteador para usar a internet em casa pode parecer difícil para quem nunca realizou esse procedimento.

Mas a tarefa é simples e vamos mostrar para você. Antes de começar, vale lembrar que cada marca fabricante possui um painel de configuração diferente. Por isso, consulte o manual.

De forma geral, porém, podemos explicar para você as configurações básicas em geralmente comum à maioria dos roteadores.

Homem conectando cabo de Wi-Fi no roteador.

Você mesmo pode instalar e configurar o seu roteador. (Fonte: Kittichai Boonpong / 123rf)

Você vai perceber que o roteador tem várias portas/entradas adicionais, chamadas de LAN. O mais comum é que ele tenha quatro portas LAN.

Nessas portas LAN você deve conectar o cabo de rede que liga o seu roteador a algum equipamento, como o computador, notebook ou mesmo uma Smart TV. Se o roteador tiver quatro portas LAN, isso significa que você pode conectar até quatro dispositivos via cabo ao mesmo tempo.

Sabendo disso, é a hora de fazer as configurações básicas do roteador. O manual do fabricante é fundamental aqui.

Mas, em linhas gerais, você deve seguir o passo a passo:

  1. Depois de ligar o roteador e conectá-lo via cabo de rede ao seu computador, você precisa acessar o endereço IP dele. Esse número estará no manual ou embaixo do roteador.
  2. Abra o navegador em um de seus dispositivos e digite o IP na barra de URL.
  3. Depois que você digitar o endereço IP do roteador no navegador, uma tela pedindo usuário e senha vai aparecer. Consulte o manual para encontrar esses dados.
  4. Se for o seu primeiro acesso ao roteador, um assistente deve lhe ajudar nas primeiras configurações, para que você, em seguida, esteja conectado à internet.

Em seguida, é hora de você configurar o Wi-Fi:

  • Procure por uma seção chamada “Wireless”, “Rede Wireless” ou “Rede sem fio”. Esse nome varia de acordo com o fabricante.
  • Nessa seção, você verá uma caixa que se refere à habilitação da rede sem fio. Basta selecioná-la que o roteador vai criar uma rede sem fio.
  • Para mudar o nome de sua rede Wi-Fi, procure pelo campo SSID.
  • Para colocar senha na sua rede Wi-Fi, vá para “Wireless” procure pela opção “Security” e, então, “Network Authentication”.
  • Selecione a opção WPA e defina uma senha.
  • Ao final, basta clicar no botão “Apply” ou “Save”.

Quais as vantagens do roteador?

Se você chegou até aqui, já sabe que o roteador é um aparelho essencial se você quer usufruir de Wi-Fi em casa, no escritório ou em locais onde vários dispositivos irão utilizar ao mesmo tempo o sinal de internet.

Por isso, a grande vantagem do roteador é que ele garante a acessibilidade. Com esse aparelho, é possível que vários computadores se conectem simultaneamente à mesma rede de internet.

Além disso, o roteador permite mobilidade. Ou seja, você não precisa mais ter um computador fixo e preso à um cabo.

Três pessoas sentadas em uma mesa, cada uma com um notebook Samsung.

Com o roteador você pode compartilhar a rede com quem quiser. (Fonte: Brooke Cagle / Unsplash)

Outra vantagem é que, hoje em dia, os roteadores estão cada vez mais seguros e equipados com firewalls para proteger sua rede e seus dados.

Por outro lado, esse aparelho também tem suas desvantagens. Ainda que seja seguro, ainda é possível que ele seja hackeado. E, com isso, o roteador pode fornecer informações técnicas e financeiras sobre a sua vida e de sua família.

Outra desvantagem é que pode haver interferência de sinal se o roteador estiver próximo a certos equipamentos eletrônicos.

A seguir, você confere as principais vantagens e desvantagens do roteador:

Vantagens
  • Acessibilidade
  • Mobilidade
  • Segurança
Desvantagens
  • Dados pessoais não estão 100% seguros
  • Distribuição do sinal de internet pode sofrer interferência

Quanto custa um roteador?

O preço do roteador varia bastante em função da marca fabricante, das funções e tecnologias empregadas no aparelho. Mas você vai encontrar o roteador custando entre R$ 40 e R$ 1 mil.

É claro que você não precisa comprar o mais caro de todos. É possível encontrar um roteador eficiente por preços bem em conta.

Onde comprar um roteador?

Você vai encontrar o roteador à venda em lojas de departamento e hipermercados como Lojas Americanas, Casas Bahia e Extra.

Mas nós recomendamos que você realize a sua compra em lojas online como a Amazon Brasil. Dessa forma, você terá acesso a mais opções de marcas, modelos e preços. Sem contar que você ainda adquire o roteador do conforto da sua casa.

Critérios de Compra: O que considerar antes de escolher o melhor roteador

Como vimos, o roteador é essencial se você quer ter Wi-Fi em casa ou no escritório de forma eficiente. Não à toa, hoje em dia, existem diversos tipos de modelos de roteador com funcionalidades e capacidades diferentes.

Por isso, para escolher o melhor para você é preciso que você entenda as características técnicas que diferenciam um modelo de outro. Confira abaixo os principais fatores que devem ser levados em conta antes de comprar o roteador:

  • Padrão
  • Velocidade
  • Frequência
  • Antena
  • Segurança
  • Portas USB
  • Controle Parental

A seguir, vamos explicar cada um desses fatores em detalhes para que você tome a melhor decisão e investir no roteador ideal.

Padrão

O primeiro passo para escolher um bom roteador é verificar a tecnologia utilizada, conhecida como padrão de conexão. O padrão irá definir a velocidade de transferências de dados e o alcance do sinal de internet.

Essa informação é dada em número e letras como, por exemplo IEEE 801.11n. Mas a informação mais importante está nas letras: a, b, g e n.

Os dois primeiros (a e b) representam os padrões mais antigos e oferecem taxas de transferência menores do que os últimos (g e n).

foco

O padrão de conexão é identificado por letras. Eles definem a velocidade de transmissão de dados e o alcance do sinal de internet.

Mesmo que você encontre roteadores de padrão “b” ou “g” mais baratos, não é recomendável que você invista neles. Esses modelos já são ultrapassados e não oferecem a melhor das conexões.

O fato é que atualmente, os dois padrões que dominam o mercado são o “n” e o mais novo, o “ac”.

O padrão “n” é mais barato, cerca de metade do preço de um modelo “AC”. O padrão “N” alcança velocidades de transmissão de até 600 megabits por segundo e pode cobrir uma área de cerca de 70 metros quadrados.

Já o padrão “AC”, além de ser mais estável, tem maior alcance e pode chegar até 1 gigabit por segundo.

Mas antes de comprar um roteador padrão “AC” é preciso saber se os seus dispositivos como smartphone, TV, computador são compatíveis com esse tipo de conexão. Para isso, consulte o manual do fabricante.

Velocidade

A velocidade em que o roteador vai funcionar depende da rapidez da internet que você contratou, do modelo do roteador e do aparelho que vai receber o sinal dele, como os smartphones.

Desta forma, quanto maior for a velocidade de acesso, mais rápido poderão ser os downloads e uploads realizados por seus dispositivos.

Os especialistas recomendam que você opte por modelos com a maior velocidade possível, geralmente acima de 300Mbps.

Mas, não adianta nada comprar um roteador que ofereça até 750 Mbps de velocidade se a internet que você paga tem menos de 10 Mbps de velocidade.

Mulher digitando no notebook.

Quando maior a velocidade do roteador, mais rápida será a velocidade que você poderá baixar arquivos, por exemplo. (Fonte: janeb13 / Pixabay)

Frequência

Outro fator que permite trocas de dados mais rápidas é a frequência das redes Wi-Fi. Atualmente, os produtos disponíveis no mercado possuem suporte para redes de 2.4GHz ou 5GHz.

A frequência mais baixa é mais barata, garante maior alcance, porém em uma menor velocidade. Já operando em 5GHz, o alcance é menor, mas a velocidade de conexão é mais alta.

Por isso, essa segunda opção é mais indicada se você usa muitos serviços de streaming, jogos online e faz muito downloads.

Também é preciso se certificar de que os seus dispositivos são compatíveis com essas frequências.

Imagem de pessoa instalando um roteador.

Para troca de dados mais rápidas o melhor é garantir o uso das duas frequências, 2.4GHz e 5GHz. (Fonte: Sergii Molodykov / 123RF)

Se você estiver em dúvida, a boa notícia é que muitos fabricantes já oferecem roteadores com suporte aos dois padrões, conhecido como dual band que transmitem tanto em 2.4GHz quanto em 5GHz.

Com isso, você pode alternar entre as duas frequências automaticamente para garantir a melhor conexão.

Antena

Outro fator que você deve observar antes de comprar o roteador é o tipo e a potência da antena do aparelho.

Quanto maior for a potência indicada pelo dBi de sua antena, maior será a área de amplitude abrangida pela rede local controlada pelo roteador.

Em geral, você vai encontrar o roteador contendo entre duas e oito antenas. Os modelos mais populares, porém, costuma ter entre 3 e 4 antenas.

Roteadores com três antenas, por exemplo, gerenciam melhor a rede com diversos dispositivos conectados.

Mas não há necessidade de adquirir um roteador com três antenas se apenas dois ou três smartphones vão se conectar à rede na maior parte do tempo.

Apenas compre roteadores com mais de uma antena se você espera que mais de cinco ou seis dispositivos estejam conectados ao Wi-Fi ao mesmo tempo regularmente, e se sua casa tiver mais de 50 metros quadrados.

USB e LAN

Verifique também a quantidade de entradas USB e LAN no seu roteador. As portas USB permitem que impressoras e HDs externos, por exemplo, sejam compartilhados dentro da rede.

Isso permite, por exemplo, que o backup automático de computadores e notebooks seja configurado com mais facilidade.

Além disso, quem possui uma biblioteca de vídeos e músicas, pode ter acesso a seus conteúdos em diversos pontos cobertos pela rede.

Já na porta LAN do roteador, você pode conectar computadores e notebooks para permitir a distribuição e transmissão da conexão de Internet. Em geral, essa quantidade varia entre 2 e a 4 portas.

Fios conectados em um roteador.

Quanto mais entradas LAN e USB mais ações e dispositivos você poderá utilizar. (Fonte: 3844328 / Pixabay)

Segurança

Leve em conta também que os modelos de roteadores mais antigos possuem uma tecnologia de segurança defasada.

Na hora de escolher o roteador, dê preferência para aparelhos que sejam compatíveis com as encriptações WPA e WPA2.

Alguns roteadores, por exemplo, podem verificar o tráfego de entrada em busca de vírus, impedindo que eles cheguem ao seu computador ou telefone.

Os roteadores mais modernos contam com recursos que irão aumentar a segurança contra invasores que podem, inclusive, acessar seus dados pessoas, além de usar a sua internet sem pagar.

Outros modelos mantêm uma lista de endereços para alertar você com antecedência caso esteja visitando um site com malware.

E alguns roteadores fornecem ainda uma “pontuação de segurança”, que ajuda você a identificar as ações que podem melhorar a segurança de sua rede doméstica.

Controle parental

Por fim, se você tem filhos, saiba que poderá optar por um roteador que conta com a função Controle Parental.

Essa função permite que conteúdos inapropriados sejam barrados apenas em aparelhos específicos ou em toda a rede. Os pais também podem definir os tipos de conteúdo que seus filhos podem ou não acessar.

Além disso, com um roteador que tenha a função de controle parental, os pais podem definir os momentos do dia em que a internet poderá ou não ser acessada.

(Fonte da imagem destacada: Kittichai Boonpong / 123rf)

Por que você pode confiar em mim?

Izabel Toscano Jornalista
Nômade digital, jornalista, leitora e questionadora compulsiva. Já trabalhou em jornais diários e sites de notícias no Brasil, e em plataformas online na Irlanda e na França. Hoje, roda o mundo escrevendo sobre temas variados, sempre atenta às novas tecnologias e a tudo que surge para trazer leveza à vida.