Imagem mostra um aparelho de SAT fiscal.
Ultima atualização: 7 de dezembro de 2019

Como escolhemos

11Produtos analisados

19Horas investidas

6Estudos avaliados

67Comentários coletados

Bem-vindo ao ReviewBox Brasil! Hoje vamos falar sobre um aparelho que já é obrigatório para as empresas no estado de São Paulo e em breve pode ser em alguns outros: O SAT fiscal! Para que exatamente ele serve? Por que você precisa ter um em seu negócio?

O SAT fiscal é um aparelho de funcionamento muito simples: Basta conectá-lo a um computador via cabo USB e deixá-lo ligado enquanto as vendas são registradas. Porém, a obrigatoriedade de seu uso faz com que dúvidas surjam sobre como adquirir o melhor modelo. Nesse artigo, iremos informar tudo o que é necessário sobre ele!




Primeiro, o mais importante

  • O uso do equipamento de SAT fiscal é obrigatório no estado de São Paulo. Em outras partes do Brasil, a tendência é que o mesmo caminho seja seguido.
  • Entre as principais vantagens do SAT fiscal estão a redução de fraudes e sonegações, a agilidade nos processos fiscais da empresa e a enorme economia de papel.
  • Antes de adquirir um aparelho de SAT fiscal, é necessário verificar se ele é homologado pela Secretaria da Fazenda do seu estado e se é compatível com os certificados que precisam ser emitidos.

Você também pode gostar:

Os melhores modelos de SAT fiscal: Nossa opinião

Não adianta escolher um equipamento de SAT fiscal às cegas: É preciso que ele siga os requisitos básicos exigidos pela Secretaria da Fazenda e que esteja na lista de aprovados pela mesma. Selecionamos alguns modelos que se encaixam na descrição e são de ótima qualidade.

O modelo mais completo

O Linker II da Elgin tem tudo o que você pode querer de um aparelho de SAT fiscal. Aprovado pela Secretaria da Fazenda, funciona em todos os sistemas operacionais, tem capacidade de retenção de memória por até 10 anos e conectividade por Ethernet e USB. Sua instalação é muito simples, o que ajuda a facilitar o uso.

O melhor kit com impressora fiscal

Para seu uso correto, o SAT fiscal deve ser ligado a um computador e uma impressora. Contar com um kit que já tenha também o segundo equipamento pode ajudar muito a sua vida! A Bematech é uma marca de confiança no setor e oferece os dois aparelhos com extrema qualidade e garantia de três anos.

O aparelho mais seguro

Além de ser aprovado pela Secretaria da Fazenda para as transmissões necessárias, o DS100I da Daruma se destaca por oferecer segurança extra: O modelo tem gabinete anti-chamas, sensores anti-violação e possibilidade de funcionamento offline. Seu uso é extremamente simples, dispensando a instalação de um ponto de rede adicional.

Guia de compra

É hora de entendermos melhor o que é o SAT fiscal, para que ele serve e como você pode escolher o modelo que mais se adequa às suas necessidades. Selecionamos as perguntas mais comuns sobre o equipamento e, abaixo, preparamos respostas para cada uma delas!

Leia atentamente o nosso guia de compra para entender tudo sobre o SAT fiscal!

Imagem mostra uma mulher efetuando uma compra em uma loja.

O aparelho de SAT fiscal dispensa a nota fiscal em papel. (Fonte: quinntheislander/ Pixabay.com)

O que é um SAT fiscal e para que ele serve?

O funcionamento do SAT fiscal é muito simples: Trata-se de um aparelho que deve estar conectado ao computador responsável pelo registro das vendas e emissão das notas fiscais de um comércio ou empresa. Ele transmite automaticamente o registro de cada movimentação para a Secretaria da Fazenda.

Também é necessário que o mesmo computador conectado ao SAT fiscal esteja ligado a uma impressora (que pode ser fiscal ou comum) para que a nota fiscal gerada seja entregue ao consumidor.

A conexão entre computador e SAT fiscal é feita por cabo USB. A maior parte dos modelos é compatível com os sistemas operacionais mais usados no Brasil (Windows, Linux e IoS).

Vale lembrar que em alguns estados o uso do SAT fiscal é opcional. Atualmente, é o caso de Alagoas, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná e Sergipe, mas a tendência é que o número cresça. A obrigatoriedade acontece apenas em São Paulo.

foco

Você sabia que antes da tecnologia permitir a emissão de notas fiscais eletrônicas, esse inocente cupom feito a cada compra era um dos maiores responsáveis pelo consumo de papel no planeta?

Segundo a Water Footprint Network (NFN), desde que a nota fiscal eletrônica passou a ser usada em grande escala no Brasil, em 2008, foram economizados 88 bilhões de folhas de papel. E cada folha salva cerca de 10 litros de água!

Como funciona a legislação em relação ao SAT fiscal?

Desde 2015, o SAT fiscal é um equipamento de uso obrigatório no estado de São Paulo. A transição foi feita aos poucos, relacionada ao faturamento: Empresas que faturaram 100 mil reais ou mais naquele ano, supermercados e postos de gasolina foram os primeiros a entrar na nova lei.

A ideia do uso do SAT é combater fraudes e sonegações.

A ideia do uso do SAT fiscal é combater fraudes e sonegação de vendas. Como ele transmite automaticamente a nota de cada venda para a Secretaria da Fazenda, não há como esconder qualquer transação que tenha sido registrada na frente de caixa.

Desde então, seis outros estados também já aderiram ao sistema (Alagoas, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná e Sergipe). As regras de transição são específicas de cada Secretaria da Fazenda, não funcionando de forma igual. Na maior parte deles, o uso ainda é opcional.

SAT significa “sistema de autenticação e transmissão”. É preciso contar com um modelo que seja registrado pela Secretaria da Fazenda local. Hoje, em São Paulo, ele já é obrigatório para todas as empresas com faturamento anual maior que 60 mil reais.

Também é importante notar que, de acordo com a portaria CAT 08/2018, contribuintes do estado de São Paulo devem ter um SAT fiscal reserva ativado.

Quais as vantagens do uso de um aparelho de SAT fiscal?

Se você tem uma empresa que se enquadra nas regras estaduais de obrigatoriedade do SAT fiscal, não há escolha: É preciso seguir a lei e ter um equipamento do tipo. Mas quais as vantagens que ele traz?

Além da principal, que é o combate às fraudes e sonegações, o SAT fiscal traz muita praticidade à vida do empresário e de seus funcionários, uma vez que não é necessário enviar manualmente o registro das notas fiscais e vendas à Secretaria da Fazenda.

O SAT fiscal ainda faz com que não seja mais necessário ter uma impressora fiscal – uma comum faz perfeitamente o serviço de imprimir a nota e servi-la ao cliente. Assim, os custos do setor podem ser reduzidos.

Podemos citar como desvantagem apenas a obrigatoriedade da aquisição de um aparelho de SAT fiscal, que não é barato, e de sua constante manutenção, já que um defeito pode causar problemas futuros com relação à transmissão das notas.

Veja na tabela abaixo as principais vantagens e desvantagens do SAT Fiscal:

Vantagens
  • Evita fraudes e sonegações
  • Leva praticidade às empresas
  • Acaba com a necessidade de uma impressora fiscal
  • Reduz custos relacionados às notas fiscais
Desvantagens
  • Obrigatoriedade da compra e manutenção do aparelho
  • Defeitos podem causar problemas futuros com a Secretaria da Fazenda

Quais os aparelhos de SAT fiscal homologados pela Secretaria da Fazenda?

Você não pode simplesmente comprar um aparelho de SAT fiscal às cegas: É necessário saber se ele é homologado pela Secretaria da Fazenda do seu estado!

Como São Paulo é o único estado que tem a obrigatoriedade do uso do SAT fiscal atualmente, vamos listar em uma tabela os modelos que são homologados pela Secretaria da Fazenda desse estado do Sudeste!

Confira na tabela abaixo marcas e modelos que se encaixam na categoria:

Marca Modelos
Elgin Linker e Linker II
Bematech RB-1000 e RB-2000
Daruma DS1000I
Dimep D-SAT e D-SAT 2.0
Sweda SS1000 e SS2000
Tanca TS-1000
Gertec GerSAT e GerSAT-W
Urano SAT UR e [email protected]
Kryptus [email protected]
Nitere NSAT4200
ControllD [email protected]

Quanto custa e onde comprar um aparelho de SAT fiscal?

A maior parte dos aparelhos de SAT Fiscal está na mesma faixa de preço: Entre R$ 600 e R$ 800. Apenas alguns modelos com características especiais, como segurança extra, podem passar um pouco disso e chegar perto dos R$ 1.000.

Por ainda não estar disponível em muitos estados do Brasil, encontrar um SAT fiscal não é uma tarefa fácil. Lojas especializadas em artigos para empresas podem ser uma boa pedida, bem como grandes redes de papelarias. Mas a melhor opção é, sem dúvidas, a compra pela internet.

Nós recomendamos principalmente a Amazon brasileira, que oferece vários dos modelos homologados. Confira ainda o Mercado Livre.

Critérios de compra: O que levar em consideração ao escolher o seu SAT fiscal

Você já sabe os porquês de ter um SAT fiscal e quais são os modelos homologados. Mas como escolher o ideal para a sua empresa? Selecionamos alguns critérios técnicos importantes:

Abaixo, entramos em mais detalhes sobre cada uma dessas especificações.

Compatibilidade de certificados

Nós já listamos quais são os aparelhos de SAT fiscal homologados pela Secretaria da Fazenda de São Paulo. Da mesma forma, há aqueles que são compatíveis para uso em cada um dos estados que já autorizaram essa nova tecnologia.

Portanto, se você pretende comprar um aparelho de SAT fiscal para uso em outro estado brasileiro, preste atenção em quais são compatíveis para o sistema aplicado no local.

Vale lembrar ainda que o sistema de transmissão dos cupons fiscais passa por constantes atualizações. Cada vez que isso acontece, você precisará fazer o download de um novo software no computador conectado ao seu aparelho. Só assim, ele continuará adequado a fazer transmissões sem problemas.

Imagem mostra uma caixa registradora cheia de dinheiro.

O aparelho de SAT fiscal ajuda a agilizar o processo na sua frente de caixa. (Fonte: nosheep/ Pixabay.com)

Conectividade

O aparelho de SAT fiscal consegue fazer transmissões de cupons fiscais mesmo que tenha ficado um tempo desconectado da internet: Nesse caso, ele acessa o arquivo recente de vendas e executa tudo o que faltou durante o tempo de desconexão.

É importante ter mais de uma maneira de realizar a conexão entre aparelho e computador.

Ainda é importante que você tenha mais de uma maneira de realizar a conexão entre aparelho e computador. Todos os modelos possuem entrada USB, mas alguns oferecem ainda a Ethernet ou até mesmo WiFi.

A segurança é fundamental no uso de um SAT fiscal: Todo cuidado é pouco para não haver falhas que possam comprometer a sua relação com a Secretaria da Fazenda!

Memória

Uma característica do SAT fiscal muito positiva ao empresário é a sua capacidade de armazenamento. Existem modelos que guardam todas as transações feitas dentro de um espaço de até dez anos.

Caso exista alguma divergência inesperada entre você e a Secretaria da Fazenda, ou caso você queira sempre ter a conferência do que aconteceu há longos períodos de tempo, um SAT fiscal com maior memória é capaz de te ajudar muito!

Suporte técnico

Você conhece a marca escolhida para o seu SAT fiscal? Já comprou algum outro produto dela? Sabe se há oferecimento de suporte técnico na sua cidade, seja para instalação, seja para manutenção?

É fundamental adquirir um modelo de SAT fiscal que conte com um ótimo suporte técnico. Apesar da obrigatoriedade de um aparelho reserva no estado de São Paulo, você não pode correr o risco de ficar sem a transmissão adequada de cupons fiscais.

Por isso, antes de concluir a sua compra, pesquise sobre a marca e tenha certeza de que ela pode te oferecer um suporte respeitável.

(Fonte da imagem destacada: Página do produto/ Amazon.com.br)

Por que você pode confiar em mim?

Carlos Massari Jornalista
Jornalista especializado em esportes e podcaster. Apaixonado por cinema, literatura e artes em geral. Curioso nato, pesquisa e escreve sobre diversas áreas, principalmente tecnologia, ferramentas, artigos esportivos e objetos que tornam a vida e o cotidiano mais fáceis.