Mulher de costas olhando para painel de voos no aeroporto.
Ultima atualização: 29 de novembro de 2019

Como escolhemos

12Produtos analisados

23Horas investidas

6Estudos avaliados

71Comentários coletados

Seja bem-vindo ao ReviewBox Brasil! Se você está planejando uma viagem, seja nacional ou internacional, esse artigo é para você! Afinal, hoje vamos falar do seguro viagem.

Viajar é, sem dúvidas, um dos maiores prazeres da vida. Ainda assim, não é um período que está livre de problemas e imprevistos. A boa notícia é que é possível minimizá-los caso ocorram. Para tanto, porém, é preciso que haja um pouco de planejamento.

E, dentro desse planejamento, a etapa mais importante é de fato considerar um seguro de viagem. E se você acredita que esse seguro é muito caro ou mesmo algo dispensável, é importante que saiba que é justamente o oposto.

Nesse artigo, vamos mostrar a importância do seguro viagem, explicar suas características, como contratá-lo e como escolher o melhor entre tantos disponíveis no mercado.




Primeiro, o mais importante

  • O seguro viagem é um serviço que garante, prioritariamente, atendimento médico em casos de emergência e acidentes que possam ocorrer com quem está viajando.
  • Mas o seguro viagem também pode cobrir muitas outras situações que podem lhe dar muita dor de cabeça como, por exemplo, extravio da bagagem e atrasos ou cancelamentos de voos.
  • Além disso, o seguro de viagem pode ser exigido como pré-requisito para que você seja autorizado a entrar em alguns países como é o caso, por exemplo, de países europeus que integram o Acordo de Schengen.

Você também pode gostar:

Melhores seguros de viagens: o ideal para cada situação

Quando você decide contratar um seguro viagem, muitas dúvidas podem surgir. Especialmente porque cada seguradora oferece diferentes tipos de planos, com preços, indenizações e coberturas variados. Pensando nisso, nós criamos uma seleção com alguns dos melhores seguros viagens disponíveis atualmente. Confira:

O preferido dos viajantes brasileiros

Os tipos de seguro viagem disponibilizados pela Mondial Assistance estão entre os mais bem recomendados. A Mondial atua no mercado há mais de 75 anos e tem experiência em mais de 35 países. Ela se uniu à Allianz e juntas elas estão entre as empresas líderes em seguro viagem. Com planos aéreos, terrestres e marítimos, a empresa oferece atendimento personalizado no seu idioma, além de planos com coberturas completas.

O seguro que oferece a melhor assistência

A Assist Card é uma das seguradoras mais conhecidas do ramo de turismo. No mercado desde 1972, ela oferece seguro viagem com coberturas em: Assistência médica; reembolso de gastos por atrasos e cancelamentos de voos; urgências odontológicas; rastreamento de bagagem; serviço de concierge e acompanhamento de menores, entre outros.

O seguro viagem mais versátil de todos

A empresa australiana World Nomads, em parceria com a seguradora Zurich, oferece planos com bom custo-benefício, amplas coberturas e limite alto para despesas médicas e hospitalares. Esse seguro viagem é recomendado principalmente para quem precisa de uma assistência médica maior. Além disso, há opções para quem gosta de aventura e para gestantes.

O plano de seguro viagem mais completo

Outro seguro viagem que está entre os preferidos dos viajantes é o oferecido pela Vital Card, que atua há 20 anos no mercado. Todos os planos da seguradora cobrem doença preexistente; gestantes até a 32ª semana; além de riscos com prática de esportes por lazer; cruzeiros fluviais ou marítimos. Os planos também oferecem coberturas, como: cancelamento de viagem, regresso sanitário, extravio de bagagem, morte acidental, entre outras.

Guia de Compra

Já imaginou ter algum problema de saúde ou mesmo sofrer um acidente durante uma viagem? É claro que ninguém deseja nem ao menos pensar sobre isso. Mas o fato é que situações como essas podem ocorrer e, além do desgaste emocional, podem custar muito caro também financeiramente.

Dependendo do seu destino, a verdade é que os custos para arcar com despesas imprevistas, especialmente com atendimento médico, são muito altos. E é para evitar esse tipo de dor de cabeça que existe o seguro viagem.

Como vimos, dependendo do tipo de seguradora, você poderá encontrar várias opções de seguro viagem, que cobrem diferentes tipos de riscos e imprevistos. Além de o tipo de cobertura variar entre uma empresa e outra, você também vai encontrar vários preços.

Por isso, é importante entender um pouco sobre como funciona o seguro viagem e como escolher o melhor para você. Nesse Guia de Compra, vamos tirar todas as suas dúvidas para que você possa viajar com tranquilidade e segurança.

Homem sentado no aeroporto com avião ao fundo.

O seguro viagem pode lhe poupar muita dor de cabeça, além de gastos inesperados. (Fonte: JESHOOTS-com/ Pixabay.com)

O que é o seguro viagem?

O seguro viagem é um contrato que você firma com uma seguradora e que garante indenização e/ou assistência no caso da ocorrência de situações previstas nesse contrato, durante o período da sua viagem.

Ou seja, o seguro viagem garante que você não ficará desassistido caso ocorra algum imprevisto, desde o momento do seu embarque até o retorno ao seu local de partida, seja em destinos nacionais ou internacionais.

Segundo a Superintendência de Seguros Privados (SuSep), que regulamenta e e supervisiona os seguros no Brasil, todo seguro viagem deve, obrigatoriamente, cobrir Despesas médicas, hospitalares e odontológicas, além de casos de morte e invalidez permanente, durante o período da viagem estipulado no contrato (1).

Passageiros no avião.

O seguro viagem cobre imprevistos desde o momento do embarque até a sua volta. (Fonte: Suhyeon Choi/ Unsplash.com)

No entanto, outras coberturas podem ser oferecidas como, por exemplo, perda ou roubo de bagagem, funeral, cancelamento de viagem e regresso antecipado.

Além disso, nos casos de viagem para o exterior, o seguro viagem também deverá cobrir situações como, a volta do segurado em caso de impedimento de retorno como passageiro regular; traslado médico e traslado de corpo.

Mas o fato é que a quantidade e o tipo de coberturas podem variar de acordo com o plano e a seguradora que você escolher. E, para além das coberturas básicas, o seguro viagem também pode cobrir riscos adicionais, de acordo com o seu perfil e o destino da sua viagem.

Qual é a diferença entre seguro viagem e seguro saúde?

Não raro existe confusão sobre o que é seguro saúde e o que é seguro viagem. A verdade é que, apesar de algumas semelhanças, são dois contratos diferentes. Em comum, ambos existem para ajudar a resolver problemas e imprevistos.

Mas enquanto o seguro viagem cobre situações variadas durante o período de viagem, o seguro saúde cobre apenas despesas médicas e, em geral, em períodos mais longos do que uma simples viagem.

O fato é que o seguro saúde funciona como plano de saúde internacional. Por isso, na maioria das vezes, o seguro saúde é exigido como um dos requisitos para quem vai requerer visto para passar uma temporada em outro país.

Detalhe da mão do médico tirando pressão de paciente.

O seguro viagem cobre despesas médico-hospitalares, além de outros imprevistos. (Fonte: rawpixel/ Pixabay.com)

E aqui, vale destacar também a diferença entre seguro viagem e plano de saúde. O plano de saúde oferece atendimento médico em uma rede conveniada.

No seguro saúde, não é comum que haja essa rede conveniada. O que ocorre é um reembolso dos serviços que você precisou utilizar, em locais de sua escolha.

Dessa forma, o seguro de saúde vai garantir que você tenha acesso a atendimentos de saúde privados no país de destino. Diferentemente do seguro viagem que cobre várias outras despesas com outros imprevistos que, por ventura, possam atrapalhar ou interromper a sua viagem.

Qual a diferença entre seguro viagem e assistência de viagem?

Essa é outra dúvida que pode surgir quando você estiver escolhendo o seguro viagem ideal. E o fato é que seguro viagem e assistência viagem, apesar de serem tratados como iguais, e de ambos garantirem proteção em casos de imprevistos durante a viagem, na prática funcionam de forma bem diferente.

O seguro viagem prevê que o segurado arque com todas as despesas médicas necessárias durante a viagem e, somente depois, solicite o reembolso à seguradora.

É essencial que você guarde todos os comprovantes de despesas médicas.

Por isso, é essencial que você guarde todos os comprovantes de despesas médicas que, por ventura, você tiver durante a sua viagem. E trabalhe também um pouco da sua paciência, pois o processo de requerer o reembolso, é em geral, bastante burocrático.

Ainda assim, a grande vantagem do seguro viagem é que você pode escolher o local onde receberá atendimento médico, não ficando restrito apenas à rede conveniada da sua seguradora.

Médico preenchendo papel.

Com o seguro viagem, você pode escolher onde será atendido. (Fonte: rawpixel/ Pixabay.com)

Mas vale ressaltar que você não pode sair gastando de maneira irrestrita com atendimentos emergenciais, já que podem existir limites de valores a serem reembolsados. Esse fator estará descrito no seu contrato.

Já na assistência viagem, qualquer atendimento médico que você precise durante a sua viagem será pago diretamente pela sua seguradora.

Para tanto, em caso de emergências, o segurado deve entrar em contato com a empresa contratada antes mesmo de receber o atendimento. Dessa forma, a seguradora indicará um local para que o atendimento seja realizado.

Ou seja, a desvantagem do plano de assistência viagem é que você não poderá escolher o local de atendimento médico hospitalar.

A seguir, nós preparamos uma tabela que ilustra as principais características de cada um desses planos de viagem. Veja:

Seguro Viagem Assistência Viagem
Como funciona Você paga pelo atendimento médico-hospitalar e é ressarcido depois, mediante comprovação Você contacta a seguradora que lhe indica o local de atendimento e arca com todos os custos
Vantagens Você escolhe o local de atendimento Você não precisa desembolsar nenhum dinheiro
Desvantagem O reembolso pode ser um processo moroso Você não pode escolher o local de atendimento

O que inclui o seguro viagem?

Segundo a Susep, os planos de seguro viagem devem oferecer, pelo menos, uma das seguintes coberturas básicas: Despesas médicas, hospitalares e odontológicas (DMHO), Traslado de corpo e médico, Regresso sanitário, Morte em viagem e Invalidez permanente total ou parcial por acidente em viagem. (1)

No caso de viagem ao exterior, é obrigatória também a contratação das seguintes coberturas: DMHO, incluindo eventos ocorridos durante a viagem ocasionados por acidente pessoal ou enfermidade súbita e aguda; além de Translado de corpo e médico, e Regresso sanitário.

Mas para entender como funciona cada uma dessas coberturas e o que elas garantem, confira a seguir uma breve explicação sobre elas.

  • DMHO: Garante indenização no caso de despesas médicas, hospitalares e/ou odontológicas decorrentes de acidente pessoal ou enfermidade súbita e aguda que ocorrerem durante o período de viagem.
  • Traslado de corpo: Em caso de morte, prevê indenização das despesas com a liberação e transporte do corpo do segurado do local da ocorrência do falecimento até o domicílio ou local do sepultamento.
  • Regresso sanitário: Garante indenização das despesas com o traslado de regresso do segurado ao local de origem caso ele não se encontre em condições de retornar como passageiro regular, por conta de acidente pessoal ou enfermidade.
  • Traslado Médico: Prevê indenização das despesas com a remoção ou transferência do segurado até o hospital, por motivo de enfermidade ou acidente pessoal.
  • Morte em viagem: Garante o pagamento do capital segurado aos beneficiários do segurado, de uma única vez ou sob a forma de renda, em caso de falecimento do segurado por causas naturais ou acidentais.
  • Invalidez permanente total ou parcial por acidente em viagem: Indenização em caso de perda, redução ou impotência funcional definitiva, total ou parcial, dos membros ou órgãos definidos no contrato em decorrência de lesão física sofrida pelo segurado (2).

Ainda que pareçam completas, o fato é que nem sempre as coberturas básicas serão suficientes para você.

Isso porque, o tipo de cobertura do seu seguro viagem vai depender, basicamente, do seu perfil, do seu objetivo durante a viagem e do destino escolhido.

Por isso, o seguro viagem também podem incluir, a seu critério, coberturas adicionais. Listamos a seguir algumas das mais populares. Veja:

Coberturas adicionais Garante indenização
Bagagem Em caso de extravio, roubo, furto, dano ou destruição da bagagem, se comprovados.
Funeral Das despesas com o funeral em caso de falecimento do segurado durante o período de viagem.
Cancelamento de viagem Das despesas não reembolsáveis com a aquisição de pacotes turísticos e/ou transporte e hospedagem, se o segurado for impedido de viajar.
Retorno antecipado Das despesas com o traslado de regresso do segurado, ocasionado por evento coberto no contrato.

Quem pode contratar um seguro viagem?

Em tese, qualquer pessoa, de qualquer idade, pode contratar um seguro viagem. Mas existem algumas restrições. Por exemplo, a maioria das seguradoras limitam a contratação a pessoas que tenham, no máximo, 65 ou 70 anos de idade.

Para destinos no Brasil, o seguro viagem pode ser contratado para locais cuja distância mínima do seu local de origem é de 100 quilômetros.

Ainda assim, é possível encontrar empresas especializadas em planos de seguro viagem que se dedicam a atender pessoas com idades avançadas.

Já a cobertura para crianças e adolescentes com 14 anos de idade ou menos costuma ser limitada apenas ao risco de morte acidental e despesas com funeral.

Quais são os riscos que o seguro viagem não cobre?

Você já sabe que as coberturas do seguro viagem são limitadas ao período da viagem, considerando embarque, estadia e desembarque. Mas, além disso, existem outras restrições.

O fato é que qualquer situação que não esteja prevista na apólice do seu seguro viagem não será indenizada ou reembolsada pela seguradora.

Pode parecer óbvio, mas não é. Um exemplo que pode passar despercebido são despesas médicas decorrentes de acidentes com esportes radicais. Nesse caso, a indenização apenas ocorrerá se essa cobertura específica tiver sido contratada.

Médico segurando prancheta.

É preciso saber o que o seu seguro viagem não cobre. (Fonte: valelopardo/ Pixabay.com)

Outros casos que, em geral, não são cobertos pelo seguro viagem, são: Exames médicos de rotina, psicológicos ou psiquiátricos; e despesas com próteses, tratamentos dentários e fisioterápicos, que não sejam prescritos pelos profissionais da área médica, devido a lesões provocadas por um acidente.

Veja a seguir, outros riscos que, em geral, não estão incluídos na apólice do seguro viagem:

  • Indenização por morte ou invalidez, e extravio de bagagem decorrentes de acidente aéreo, rodoviário e marítimo;
  • Despesas extras de hospital, não incluídas no custo da diária;
  • Danos totais ou parciais, violação e extravio de objetos contidos na bagagem;
  • Tratamento de doenças epidêmicas, pandêmicas ou endêmicas;
  • Cirurgias plásticas estéticas;
  • Despesas com farmácia, sem que os medicamentos tenham sido prescritos por um médico, devido a um acidente;
  • Sinistros decorrentes de fenômenos da natureza, de caráter extraordinário, como inundações, terremotos, erupções vulcânicas, ciclones, furacões, maremotos, e etc.;
  • Acidentes ou doenças causadas por consumo de álcool ou drogas;
  • Danos e prejuízos causados por imprudência, negligência, imperícia e irresponsabilidade do segurado ao dirigir um veículo;

Com isso em mente, é fundamental que você leia com atenção o contrato do seguro viagem antes de assiná-lo.

Só assim você poderá se certificar de quais são os riscos que não são cobertos pelo seu seguro viagem e que, portanto, não garantem reembolso nem indenização.

Como acionar o seguro viagem em caso de emergência médica?

Caso ocorra algum acidente ou você seja acometido por alguma doença durante o período da sua viagem, é hora de utilizar os benefícios do seu seguro viagem.

Como vimos, no caso da assistência viagem você deverá entrar em contato com a seguradora que irá, então, indicar o local de atendimento ou mesmo enviar um médico até você. No caso do seguro de viagem, você poderá escolher o local para receber o atendimento.

Ainda assim, nossa recomendação é que você comunique o ocorrido o quanto antes à sua seguradora. Além disso, também é importante informar previamente ao médico e/ou hospital no qual você for atendido sobre a existência do seu seguro viagem.

É importante conhecer as condições do seu seguro viagem para saber como e quando você deve comunicar a sua seguradora em caso de emergências médico-hospitalares.

O fato é que, não raro, as seguradoras determinam que haja um limite de tempo para que você informe sobre a necessidade de atendimento médico.

Por isso, é essencial que você tenha os dados do seu seguro viagem, especialmente o número de telefone da Central de Atendimento da seguradora, sempre ao alcance das mãos, a todo momento. Afinal, nunca se sabe quando um imprevisto poderá ocorrer.

Vale ressaltar também que algumas seguradoras de seguro de viagem aceitam ligações a cobrar em casos de emergência.

Quanto tempo leva para o seguro viagem reembolsar os meus gastos?

Para os seguros contratados em uma seguradora com sede no Brasil o prazo máximo para que o reembolso seja realizado é de 30 dias. Isso, é claro, depois que você apresentar toda a documentação prevista na sua apólice e comprovar a necessidade de todos os gastos feitos.

Além dos comprovantes de pagamentos, outros documentos podem ser requisitados pela seguradora.

Além dos comprovantes de pagamentos, outros documentos podem ser requisitados pela seguradora e vão variar de acordo com as coberturas que você contratou.

Por exemplo, caso um acidente ou doença tenha provocado a morte ou invalidez do segurado, a seguradora pode solicitar uma documentação complementar. Assim, se isso ocorrer, haverá um novo prazo de 30 dias para o reembolso, contado a partir da entrega dos documentos adicionais.

Quanto custa o seguro viagem e onde posso contratar?

O preço do seguro viagem costuma ser baixo, principalmente considerando o gasto que você poderia ter com despesas médicas.

Mas, em linhas gerais, o custo do seguro viagem vai depender da quantidade de dias que a viagem vai durar, das coberturas incluídas na apólice e do valor da indenização a ser contratada.

Para você ter uma ideia, se considerarmos um seguro viagem para destinos internacionais, o custo pode variar entre R$9 e R$25 por dia. Já para as viagens nacionais, o valor do seguro viagem pode ser de R$2 a R$4 por dia.

Na maioria dos contratos, os valores, no entanto, são pagos em uma única parcela. Apenas nos casos de seguro viagem para executivos e estudantes, que irão passar longos períodos no exterior, por exemplo, é que pode haver a possibilidade de parcelar o pagamento do seguro viagem.

Pessoas caminhando no aeroporto.

O seguro viagem costuma ser mais barato do que um atendimento médico. (Fonte: Free-Photos/ Pixabay.com)

Já para contratar o seguro viagem as opções são bem vastas. Você pode por exemplo, checar se a operadora do seu cartão de crédito conta com esse tipo de seguro.

As principais bandeiras, como Visa e Mastercard, oferecem planos, mas com algumas contrapartidas. Entre elas está o fato de que, para ter direito ao seguro você deve comprar as passagens de avião utilizando o cartão em questão.

Mas, além disso, você também pode contratar o seguro viagem em agências de viagem, seguradas especializadas e companhias de transportes de passageiros.

Critérios de contratação: o que analisar para escolher o seguro viagem ideal

Até aqui você teve acesso a um apanhando de informações sobre o que é, como funciona e quais as vantagens do seguro viagem. Mas, agora, é hora de contratar o seguro viagem ideal de acordo com as suas necessidade e expectativas.

Para acerta nessa etapa, é essencial que você escolha uma seguradora de renome e tradição no mercado. Além disso, também é fundamental ler com atenção à apólice antes de assiná-la.

Mas existem outros fatores que irão determinar o melhor seguro viagem para você. Confira a seguir os principais deles:

Para que não lhe reste nenhuma dúvida, a seguir nós vamos explicar como analisar cada um desses pontos.

Individual, familiar ou empresarial

O primeiro fator que recomendamos que você verifique antes de escolher o melhor seguro viagem é o tipo da apólice. Isso porque, os planos de seguro viagem podem ser individual, familiar ou empresarial.

No caso do seguro viagem individual, você deverá escolher o plano que melhor atender às suas necessidades, considerando o tempo de viagem, o destino e o seu objetivo também.

Mas se a sua viagem for em casal ou mesmo em família, por exemplo, o ideal é que você pesquise e compare os preços entre os planos individuais e os coletivos.

Malas e mochilas.

Se você viajar em grupo, o seguro viagem pode sair mais barato. (Fonte: tookapic/ Pixabay.com)

No entanto, na maioria das vezes, quando você opta por contratar um único seguro viagem para todos do grupo a possibilidade de o valor sair mais em conta é, certamente, maior do que seria ao assinar um contrato individualmente para cada pessoa.

Por fim, se você vai viajar à trabalho, é importante que saiba que as empresas podem contratar um seguro viagem por prazo determinado para você. Existem até planos que oferecem coberturas por até um ano, para o caso de pessoas que viajam à negócios com muita frequência.

Modalidade

Outro ponto que você deve analisar quando estiver escolhendo o seu seguro viagem é a modalidade do plano. As modalidades desse tipo de seguro se dividem de acordo com o destino e o objetivo da viagem além, é claro, do meio de transporte que você usará.

Ou seja, além dos planos de seguro viagem que contam com coberturas básicas e adicionais, você ainda deve considerar os planos que são específicos e oferecem coberturas de acordo com o tipo da sua viagem.

Dessa forma, além de seguros de viagem que cobrem viagens nacionais e internacionais para turismo comum, você também poderá encontrar opções específicas para intercâmbios, para quem vai praticar esportes radicais ou de alto risco, ou para viagens marítimas, entre outros.

Pessoas escalando montanha.

Existem seguros de viagem específicos para viagens com esportes radicas. (Fonte: Frantisek Duris/ Unsplash.com)

Cada uma das modalidades de seguro viagem tem coberturas específicas, além das básicas que já vimos nesse artigo.

Por exemplo, no caso de intercâmbio ou de cursos no exterior, são oferecidos seguros com preços reduzidos, já que irão cobrir períodos mais longos. Para quem viaja em cruzeiro, o seguro viagem irá contar com cobertura para atendimento médico dentro do navio, por exemplo.

Existem, inclusive, planos de seguro viagem específicos para grávidas, bebês e para idosos, e ainda para quem possui uma doença preexistente e precisa de uma maior cobertura durante a viagem.

Exigências do destino

Além da modalidade, é fundamental que você observe quais são as exigências do seu destino, especialmente se tratarmos de outros países.

Isso porque alguns países, como Estados Unidos, Austrália, além de todos da União Europeia, exigem que logo no desembarque você apresente o comprovante de um seguro viagem e com coberturas mínimas.

foco

Você sabia que os países que fazem parte do Acordo de Schengen exigem que turistas comprovem ter um seguro viagem com valor mínimo de € 30 mil?

Caso você viagem sem o seguro com esse valor de cobertura mínima, você pode ser obrigado a voltar para o Brasil.

Veja quais são os países que fazem parte do Acordo de Schengen: Áustria, Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Eslovênia, Eslováquia, Estônia, Espanha, França, Finlândia, Grécia, Hungria, Holanda, Islândia, Itália, Lituânia, Luxemburgo, Letônia, Malta, Noruega, Portugal, Polônia, Romênia, República Tcheca, Suíça e Suécia.

Limite de cobertura

Além de atender às exigências do local de destino, é importante escolher bem o limite de cobertura do seu seguro viagem, para garantir que você não precisará arcar com nenhuma despesa extra.

Ou seja, dependendo o plano escolhido você terá um limite de cobertura, que representa o gasto máximo, previsto na apólice, que você poderá ter na viagem com os imprevistos. Dessa forma, quanto maior esse valor, melhor.

Isso porque, mesmo que para o país de destino não seja obrigatório ter um seguro viagem, o fato é que em muitos deles uma simples consulta médica pode sair muito caro.

Mão apontando para o mapa.

Para alguns países, é recomendado um seguro viagem com cobertura maior. (Fonte: Kelsey Knight/ Unsplash.com)

Por isso, os especialistas recomendam que, para viagens internacionais, você contrate um seguro viagem com uma cobertura mínima de US$ 30 mil para despesas médicas e hospitalares.

Mas isso pode variar de acordo com o país de destino. Por exemplo, para os Estados Unidos, onde as despesas médicas são ainda mais caras, recomenda-se uma cobertura de, pelo menos, US$ 50 mil.

Ainda assim, o fato é que você poderá encontrar opções cujo limite de cobertura para despesas médico-hospitalares variam entre R$100 mil a até a US$ 1 milhão.

Comunicação

Por último, não deixe de considerar como se dará a comunicação com a sua seguradora no caso de você precisar acionar o seguro viagem. Como vimos, o ideal é que você comunique a Central de Atendimento o quanto antes e, em geral, isso é feito por telefone.

Por isso, se o seu destino for um país estrangeiro, recomendamos que você opte por uma seguradora que garanta que a comunicação será feita em Português.

Resumo

O seguro viagem vai muito além de indenizar o segurado em caso de perda de bagagem e voos, o que por si só já evita muita dor de cabeça. O seguro viagem cobre despesas emergenciais que podem ocorrer durante uma viagem principalmente relacionadas à acidentes e problemas de saúde.

Além disso, o seguro viagem oferece coberturas básicas, adicionais e específicas de acordo com o seu perfil, destino e objetivo de viagem. Mas, antes de assinar o contrato, leia com atenção a apólice para entender o que está coberto e o que não está.

Glossário

  • Apólice: Contrato que formaliza a aquisição do seguro viagem, com todas as informações dos direitos e deveres do segurado e da seguradora.
  • Cobertura: É a garantia do segurado contra determinados riscos. As seguradoras oferecem modelos de cobertura que vão desde básicos, a adicionais e específicas.
  • Indenização: É o valor pago pela seguradora ao segurado em caso de sinistro previsto na apólice.
  • Sinistro: Qualquer evento previsto na apólice de seguro em que há a possibilidade de acionar a seguradora para cobrir danos a si próprio ou a terceiros.

(Fonte da imagem destacada: JESHOOTS-com/ Pixabay.com)

Referências (2)

1. Seguro de Pessoas - SUSEP, Superintendência de Seguros Privados, 2019.
Fonte

2. Guia de orientação e Defesa do Segurado - SUSEP, Superintendência de Seguros Privados, 2019.
Fonte

Por que você pode confiar em mim?

Izabel Toscano Jornalista
Nômade digital, jornalista, leitora e questionadora compulsiva. Já trabalhou em jornais diários e sites de notícias no Brasil, e em plataformas online na Irlanda e na França. Hoje, roda o mundo escrevendo sobre temas variados, sempre atenta às novas tecnologias e a tudo que surge para trazer leveza à vida.
Informação Oficial
Seguro de Pessoas - SUSEP, Superintendência de Seguros Privados, 2019.
Ir para a fonte
Informação Oficial
Guia de orientação e Defesa do Segurado - SUSEP, Superintendência de Seguros Privados, 2019.
Ir para a fonte