Um telescópio montado a noite com o céu estrelado em tons.
Ultima atualização: 8 de agosto de 2020

Como escolhemos

12Produtos analisados

19Horas investidas

7Estudos avaliados

65Comentários coletados

Com muito apreço que lhe recebemos novamente aqui, na ReviewBox Brasil. Sua jornada pelo conhecimento – e compra de um bom produto – atingirá agora o nível celeste. Você será apresentado ao espião de estrelas, o telescópio!

O céu é um mistério em sombras, e um equipamento como este permitirá que o você o desvende. Se somos hipnotizados por noites estreladas, imagine a satisfação em enxergar um planeta do sistema solar, ou superfície da lua!

Telescópios são equipamentos para se observar o universo, e tudo residente nele, com o prazer de olhar as estrelas como outras pessoas não conseguem a olho nu. Interessado? Continue lendo para conhecer modelos, tipos e características.




Primeiro, o mais importante

  • Não há telescópio no mundo capaz de lhe fornecer imagens tão deslumbrantes quanto as que você na televisão ou em sites específicos, como da NASA. Elas são sobreposições de centenas, milhares de “fotografias” do mesmo local, “empilhadas”.
  • A função principal de um telescópio não é ampliar, mas receber a maior quantidade de luz. É pela luminosidade que você será capaz de enxergar os objetos no espaço, com mais nitidez. Inclusive, aqueles invisíveis a olho nu!
  • O telescópio foca pequenos pontos do vasto céu. Permita-se utilizar outras ferramentas em conjunto, como um mapa celeste ou um binóculo, para lhe auxiliar no posicionamento.

Você também pode gostar:

Melhores telescópios: Nossas recomendações

Com o telescópio podemos observar muitas coisas que a olho nu são impossíveis. Se você busca pelos melhores modelos, a seguir vamos apresentar alguns deles para que você tenha excelentes opções de escolha.

Telescópio refrator azimutal muito bem avaliado

Esse é um telescópio leve e compacto, com estrutura simples e de fácil utilização. Possui lente com abertura de 70mm e distância focal de 700mm, além de duas oculares, de 26mm e 9,7mm. Projetado para receber uma grande entrada de luz, esse modelo possibilita a visualização de corpos celestiais com mais qualidade. O material, muito robusto, faz com que pouca manutenção seja necessária.

Telescópio refrator azimutal fácil de manusear

Este telescópio refrator azimutal da Barsta tem abertura de 70mm e distância focal de 400mm, para que você possa localizar em detalhes objetos distantes do sistema solar. Sua diagonal híbrida tem 45 graus, o que garante precisão. É também muito fácil de manusear, leve e compacto. Tem altura máxima de 1,20m.

Excelente telescópio equatorial

Este telescópio refletor da Barsta é newtoniano equatorial e permite observar eventos celestes e acompanhar movimentos dos astros de acordo com a rotação da terra com apenas alguns ajustes. A distância focal é de 1000mm e a abertura de 114m. Acompanha tripé de alumínio, localizador e base equatorial, além de três lentes e bandeja para organização.

Guia de Compra

Ao pesquisar sobre telescópio, encontrará uma variedade deles disponível. Apesar de grandes diferenças estéticas, você precisa prestar muita atenção em cada um deles. Não é incomum diferentes modelos entregarem diferentes resultados numa mesma aplicação.

Nesse Guia vamos apresentar todas as informações que você precisa para comprar o seu telescópio com segurança.

Imagem da sombra de uma mulher e um telescópio com o céu ao fundo.

O telescópio permite que a gente enxergue além do que os nossos olhos podem ver. (Fonte: allexxandar / 123RF)

O que é um telescópio?

Observar os céus noturnos é uma prática comum ao longo do globo terrestre, uma extensão infinita (o limite é o alcance da visão) de fontes luminosas, onde, além do que você enxerga, escondem-se vários outros astros e estrelas esperando serem observados.

Um telescópio tem como principal objetivo lhe ajudar na busca por estas peças do quebra-cabeças celeste. Com o auxílio de um agrupamento de lentes e – as vezes – espelhos, são capazes de lhe fazer enxergar o que antes era invisível aos olhos. Já imaginou ver os planetas do sistema solar? Com um telescópio é possível!

Contudo, o telescópio não é o único método de se observar as estrelas. Conforme a experiência pretendida, certamente ouvirá frases do tipo “comece com um binóculo”, e ela não é de todo uma inverdade.

Existe uma variedade grande de telescópios no mercado, e muitos não são capazes de entregar o que você imagina, após comprados.

É uma afirmação verdadeira, mas, fique tranquilo. Você terminará a leitura conhecendo muito mais destes equipamentos, e sendo capaz de fazer boas escolhas, conforme aquilo que pretende realizar.

Quais as vantagens e desvantagens de adquirir um telescópio?

Entre as principais vantagens deste observador de estrelas, podemos destacar que eles servem como uma extensão dos nossos olhos. Aquilo que não enxergamos a olho nu, o telescópio permite essa visão.

Você ainda pode trocar as lentes e assim ajustar a visualização como preferir, e precisar. Mas um equipamento como esse também possui suas desvantagens. Eles podem ser pesados e caros, dependendo da capacidade de alcance.

Outro ponto negativo é que limitam a visão a um formato circular, diferente do campo de visão que nossos olhos enxergam. Quer saber mais? Preparamos mais vantagens e desvantagens para você fazer um comparativo.

Vantagens
  • Capacidade de visão além de qualquer outro equipamento
  • Enxergam objetos celestes até 14° magnitude (mais de 2.7 bilhões de Km)
  • Permitem a troca de lente para ajustes de visualização
  • Posicionamento por tripé
  • Localizador permite mirar com precisão
Desvantagens
  • Quanto maior a capacidade, são maiores e mais pesados
  • Pouco práticos para realização de movimentos rápidos
  • Visão limitada em formato circular
  • Dificuldade em buscas aleatórias devido a limitação de visão

Um bom binóculo pode substituir um telescópio?

Certamente, ao iniciar este hobby, você irá ouvir de muitas pessoas “ao invés de com telescópio, comece com um bom binóculo”.

O motivo de algumas pessoas dizerem isso é que existem telescópios com lentes de baixa qualidade no mercado, não sendo recomendados para a observação de estrelas da maneira que você quer: enxergar além do que vemos a olho nú.

Imagem aproximada de um binóculo ao lado de um livro.

O binóculo também é considerada uma opção para se observar o céu, ainda que com possibilidades limitadas. (Fonte: stevepb / Pixabay)

E, neste comparativo, um bom binóculo será capaz de lhe fazer enxergar mais do que o outro equipamento, a um custo menor e com uma facilidade muito maior, numa visualização widescreen.

Mas, quando saímos da superfície da exploração celeste, começamos a enxergar os principais motivos para a aquisição de um telescópio.

Inclusive, não é incomum que astrônomos profissionais tenham, além do telescópio, um binóculo como companheiro de observação. O melhor da localização com o melhor da exploração. Compare as principais vantagens e desvantagens de escolher um binóculo:

Vantagens
  • Boa captação de luz
  • Maior campo visual
  • Permitem a troca de lente para ajustes de visualização
  • Custo relativamente baixo
  • Boa portabilidade, devido ao tamanho e peso
  • Uso com os dois olhos ao mesmo tempo
Desvantagens
  • Sustentação cansativa, já que você precisa ficar segurando
  • Aumento do peso conforme alcance e precisão
  • Limite de alcance menor que um telescópio

Quais os tipos de telescópio existem?

Vamos aprender agora sobre os tipos de telescópio que você pode encontrar durante sua pesquisa: Refletor, refrator e composto. Saber para que cada um serve é essencial para a escolha certa. Vamos analisar cada um deles.

Telescópio Refletor

Em termos práticos, é o tipo mais procurado (e com bons preços). Seu cilindro utiliza um sistema de espelhos para refletir e concentrar a luz capaz de ser vista, considerado o mais apropriado para observações astronômicas.

Por ser uma categoria mais em conta, acaba fornecendo uma boa quantidade de opções dentro de uma determinada faixa de preços. Nesse vídeo, publicado no canal do Victor Goiano, você pode ver algumas imagens obtidas por um telescópio refletor:

Contudo, há um detalhe bem específico: devido a utilização de espelhos, a imagem visualizada ficará de cabeça para baixo, embora isso não seja um problema em observações astronômicas, existem lentes opcionais que corrigem a condição.

Telescópio Refrator

Utiliza um sistema de lentes, sem qualquer uso de espelhamento, focalizando os raios luminosos no fundo do telescópio. Um sistema muito comum e conhecido, aplicado à maioria das lunetas terrestres e nos binóculos.

Quer ver como se enxerga a lua por um destes? Jadson Diego publicou em seu canal no YouTube uma demonstração, confira:

Um aspecto interessante é o fato de que a imagem não é visualizada invertida, nem sofre alterações em sua coloração, devido as características do sistema. Por este motivo, são considerados mais sofisticados que os refletores, com opções de lente acromáticas ou apocromáticas.

O que também pode acontecer nos refratores é um efeito que chama-se aberração cromática, onde os raios luminosos sofrem alteração pela passagem no espelho e distorcem as cores reais. Existem opções que já vêm com o problema corrigido, mas é sempre bom saber.

Sabemos o quanto tabelas podem ajudar, principalmente em comparativos. E como nosso objetivo é aumentar a luminosidade de seus conhecimentos, vamos a ela:

Telescópios Refletores Telescópios Refratores
Características principais Dimensões pequenas, tubo menor comparado com um mesmo tamanho de lente. Limpeza difícil e possibilidade de manchas Imagem e distância focal mais estáveis. Reduz os efeitos de deformação
Custo Baixo custo (um refletor com até 20 cm pode ser fabricado em casa) Alto custo (entre 4 a 10x mais caras que refletores de mesmo diâmetro de lente
Manutenção Necessária na lente, o espelho precisa de cuidados contínuos Mínima, um bom refrator é para a vida

Telescópios compostos

Utilizam espelhos e lentes, com o objetivo de aliar as melhores capacidades de cada um dos aparelhos. Possuem uma portabilidade e conveniência maiores, nas suas relações de tamanho e ampliação, sendo menores que refletores e refratores de mesmo comparativo.

Contudo, mesmo em sua melhor forma, não terão a imagem tão nítida quanto a de um bom refletor de mesma abertura, devido as características do aparelho. Situação que será sentida basicamente na observação de planetas.

Quanto custa?

Equipamentos de elevada precisão e com um conjunto relativamente frágil, são produtos que partem de algumas centenas de reais.

De fato, observar as estrelas não é uma atividade tão barata assim, mas nem por isso é cara. Muitos equipamentos, com a manutenção correta e os cuidados necessários, podem durar décadas.

Bons telescópios podem ser encontrados com preços a partir de R$ 100. Outros, mais profissionais, podem passar de R$ 8.000.

Onde comprar?

Apesar da restrição que alguns amantes da observação têm pela aquisição do telescópio em lojas de departamento, você pode encontrar excelentes produtos por lá.

É claro que você precisa tomar cuidado com algumas características e especificações, pois eles são diferentes e fornecem visualização conforme o objetivo que você possui.

Uma excelente opção é a compra online, permitindo a escolha e comparativo entre modelos em diferentes locais de aquisição, além de uma entrega segura. Lojas como a Amazon são excelentes para compra. Você também pode pesquisar nas Lojas Americanas e Submarino.

Imagem ampliada da nebulosa de Órion, possível de ser observada com alguns modelos de telescópio.

Uma das possibilidades escondidas no céu, a nebulosa de Órion pode ser observada por telescópios. (Fonte: WikiImages / Pixabay)

Critérios de compra: Fatores para comprar os modelos de telescópio

Empolgado em enxergar “além do que vê” no céu noturno? Você já conhece bastante sobre os grandes espiões das estrelas, mas é importante se atentar também aos detalhes quando for comprar um.

Detalhes significativos, quanto mais exigente for sua pessoa, e quanto mais você mergulhar no assunto. Quando pesquisar sobre um telescópio, tenha em mente observar o seguinte:

  • Montagem
  • Abertura
  • Distância focal
  • Ocular

Abaixo, vamos esclarecer a importância de observar com um desses critérios.

Montagem

Primeiro esclarecimento é que apesar do nome, ele não representa o ato em si de montar o telescópio. Montagem é o nome da peça que conecta o telescópio ao tripé de sustentação, sendo de dois tipos: azimutal ou equatorial.

Azimutal

Também conhecida pela sigla (AZ), permite a movimentação do equipamento em dois sentidos: cima-baixo e direita-esquerda. A movimentação do telescópio é necessária para movê-lo conforme local que você deseja observar.

Não apenas isso, você precisa movimentar o telescópio também enquanto realiza a observação (a terra gira, certo?). Portanto, a montagem serve principalmente para corrigir o ponto de visualização diante da movimentação do astro.

O sistema de movimentação é simples e fácil de utilizar. Com poucos elementos, alia praticidade e facilidade, sendo a preferida e mais recomendada por utilizadores do equipamento.

Equatorial

Diferente do sistema simples anterior, o modelo de sigla (EQ) traz consigo um conjunto de sistemas e engrenagens que se movimentam simultaneamente, nas mesmas direções que o azimutal. Então, qual a vantagem?

Depois de encontrar o astro a ser observado, basta um simples mover da engrenagem para acompanhá-lo. Diferente da azimutal, este sistema se move na mesma direção que os astros, e não de forma reta.

Com a correção de movimento facilitada, é uma boa opção para quem já tem certo conhecimento de astronomia, e quer dedicar todo o tempo possível olhando para as estrelas, e não para o equipamento. Aprenda mais com esse vídeo explicativo publicado no canal do Michel Arruda:

Abertura

Aspecto chave e fundamental para um telescópio. Representa a largura da extremidade que ficará apontada para as estrelas.

Sendo a função de um telescópio capturar luz e ampliar imagens, a relação entre abertura, luz e imagem é proporcional. Ou seja, quanto maior a abertura, mais luz capturada e imagem exibida. Desde que as lentes sejam boas!

foco

Cuidado! Jamais aponte um telescópio para o sol sem a devida proteção nas lentes. Por aumentar a imagem e ampliar a recepção de luz, ao apontar um telescópio para o sol, você estará potencializando o brilho dele num pequeno espaço. Se já é difícil olhar para ele naturalmente, fazer isso poderá deixar você cego (de maneira irreparável).

Distância focal

Podemos controlar muitas coisas com as lentes, que em vários telescópios podem ser alteradas para garantir maior ampliação, por exemplo, mas não controlamos distância focal.

Este nome é dado para a distância entre o ocular - lente onde observamos - e a abertura. Um telescópio com maior distância focal lhe fornecerá uma maior ampliação.

Contudo, não se foque apenas nesta informação. Um telescópio trabalha com todas as suas partes ao mesmo tempo, num conjunto perfeito de funcionamento.

Ter uma distância focal elevada com uma abertura focal pequena, digamos menos de 70 mm (existem classificações para aberturas), trará uma imagem grande e embaçada. A distância vai depender do que se pretende observar.

Ocular

É por onde enxergamos a imagem fornecida pelo telescópio. É um acessório pequeno com uma lente ainda menor. Mas seu tamanho não representa a importância que possui.

São pequenas lentes de aumento para você enxergar onde seu espião celeste está posicionado. A dica mais importante: você descobre o aumento de um telescópio dividindo a distância focal pelo tamanho de abertura da ocular.

(Fonte da imagem destacada: Sebastien Decoret / 123RF)

Por que você pode confiar em mim?