Seja bem-vindo ao ReviewBox Brasil! Hoje vamos falar de um mineral essencial para o funcionamento adequado do sistema imunológico: o zinco.

Como o organismo não produz zinco, são necessárias fontes externas para que ocorra o seu suprimento, entre elas estão os suplementos.

Em meio a tantas opções, vamos mostrar neste artigo o que você deve levar em conta antes de comprar o Zinco ideal de acordo com as suas necessidades.

Primeiro, o mais importante

  • O zinco ajuda a manter a boa saúde dos adultos, além do ganho de massa muscular, e atua também no crescimento das crianças.
  • A suplementação desnecessária ou em excesso, porém, é prejudicial à saúde.
  • Vamos mostrar para você quais são as características que diferenciam um suplemento de outro e como escolher o zinco ideal.

Você também pode gostar:

Ranking: Os 4 melhores tipos de suplemento de Zinco

Quem precisa repor os valores de zinco, busca pela quantidade e dose ideais de acordo com sua necessidade. Sabendo disso, os fabricantes têm investido em opções variadas para todas as situações.

Por isso, a seguir, nós vamos apresentar para você os melhores tipos de suplemento de zinco disponíveis hoje em dia no mercado.

1º – Zinco Sundown Naturals

O Zinco da Sundown Naturals é um suplemento em forma de comprimido. A embalagem contém, no total, 90 cápsulas.

Além disso, esse suplemento, que tem como princípio ativo o gluconato, oferece, em cada comprimido 7mg de zinco.

2º – Zinco Quelato Performance Science Nutrition

O suplemento da Performance Science Nutrition é um zinco do tipo quelato, em forma de comprimidos. O frasco contém, no total, 100 tabletes.

Além disso, cada tablete desse suplemento fornece 7mg de zinco quelato.

3º – Zinco OH2 Nutrition

O OH2 Nutrition é um suplemento em cápsulas a base de óxido de zinco. A embalagem dessa opção conta com 60 comprimidos.

Além disso, o OH2 Nutrition conta ainda com 7mg de zinco em cada cápsula.

4º – Cranberry Maxinutri

O Cranberry da Maxinutri é um suplemento que, além de zinco, contém selênio e vitamina C, com 60 cápsulas no total.

Além disso, a cada dois comprimidos você terá, além dos benefícios da fruta cranberry em pó, 34mcg de selênio, 45mg de vitamina C e 7mg de zinco.

Guia de Compra

Escolher o suplemento de zinco ideal não é tão simples quanto parece. Como se trata de um nutriente é preciso estar atento à dosagem e à necessidade de incluir a suplementação em sua dieta.

Por isso, criamos este Guia de Compra com todas as informações que você precisará para tomar a melhor decisão ao comprar o zinco.

Homem tomando comprimido com copo de água.

O zinco é um mineral essencial para a saúde do nosso corpo.
(Fonte: belchonock / 123rf)

O que é o zinco?

O zinco é um mineral essencial para o nosso organismo. Cerca de 100 enzimas diferentes precisam dele para conseguir catalisar reações químicas que mantém as funções celulares.

O zinco, tem papel importante em nossa imunização.

Por isso, o zinco, além de ter papel importante em nossa imunização, ainda ajuda o corpo a funcionar melhor.

Além disso, esse mineral desempenha funções que contribuem para o funcionamento do metabolismo, especialmente das proteínas e ácidos nucleicos.

Frasco aberto com comprimidos brancos saindo para fora.

O zinco tem um papel importante no sistema imunológico protegendo o corpo contra as doenças.
(Fonte: stevepb / Pixabay)

O fato é que o zinco age em nosso corpo para nos proteger de um número grande de doenças, além de ajudar a combater outras que já se instalaram em nosso organismo.

Além de contribuir para a melhora da saúde, esse mineral também é fundamental para o crescimento das crianças.

Mas, apesar de tamanha importância, nosso organismo não sintetiza o zinco. Por isso, o elemento deve ser adquirido através da alimentação ou da suplementação.

Quais as consequências da falta de zinco?

A falta de zinco na alimentação é um problema que merece a sua atenção.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a carência de zinco está ligada a muitos casos de mortes, já que esse mineral tem função importante em nosso sistema imunológico.

De acordo com a OMS, a população brasileira tem um consumo moderado de zinco. No entanto, o consumo ideal desse mineral no Brasil ainda fica abaixo de países como Uruguai, Chile e Venezuela.

Jovem mulher com uma xícara nas mãos e usando cachecol.

A carência de zinco no organismo abala o sistema imunológico e faz com que você fique doente com mais frequência.
(Fonte: silviarita / Pixabay)

O fato é que pessoas que não consomem quantidades suficientes de zinco têm maiores chances de sofrer com ação de agentes infecciosos.

Por isso, essas pessoas ficam mais doentes se comparadas com aquelas que têm uma ingestão de zinco adequada.

Além de fragilizar o sistema imunológico, a carência desse mineral pode ter várias outras consequências, como você observa a seguir:

  • Dificuldade de cicatrização
  • Dificuldade de sentir o gosto salgado dos alimentos
  • Problemas na pele (psoríase)
  • Pele seca e amarelada
  • Queda de cabelo
  • Diarreia
  • Cansaço
  • Depressão
  • Aumento dos níveis de glicose no sangue
  • Mau funcionamento do fígado
  • Impotência sexual

Qual a importância do zinco na nutrição infantil?

A ingestão adequada desse mineral é essencial para que as crianças cresçam de forma saudável. Como o sistema imunológico das crianças é mais frágil que o dos adultos, uma alimentação rica em zinco é mandatória.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, uma das maiores causas de mortalidade infantil são a diarreia e a pneumonia. E esses dois problemas possuem relação direta com a falta de zinco no organismo.

Quatro crianças deitadas de bruços sobre um píer de frente para a água.

O zinco é essencial para o crescimento saudável das crianças. (Fonte: EME / Pixabay)

Para se ter uma ideia da importância do zinco na alimentação das crianças, um dos projetos da OMS para diminuir os casos de mortalidade infantil é incluir suplementos de zinco na dieta delas.

Desde que essa medida foi adotada, no final da década de 1980, os casos de morte por diarreia no mundo, em crianças com menos de cinco anos, caíram drasticamente.

Além disso, de acordo com uma pesquisa realizada pela Unicef, suplementos de zinco para gestantes também podem ajudar o bebê a ganhar peso após o nascimento, reduzindo o risco de infecção.

Qual a relação do zinco com a boa forma?

Como o zinco é de grande importância para a reprodução e o reparo de células, isso se reflete no crescimento muscular após o treino de hipertrofia.

Além disso, o crescimento muscular também é influenciado positivamente pelos níveis de testosterona presente no corpo. E o fato é que a testosterona é beneficiada pela concentração adequada de zinco.

Homens e mulheres praticando ginástica em sala de academia.

A quantidade adequada de zinco no corpo ajuda no fortalecimento e ganho de massa muscular. (Fonte: janeb13 / Pixabay)

O zinco também age como um antioxidante.

Mais do que isso, como o zinco também age como um antioxidante, esse mineral protege os músculos dos radicais livres após o treino.

Dessa forma, o zinco favorece uma recuperação mais rápida e completa da musculatura.

Isso, por consequência, promove um melhor desempenho do atleta, gerando ganho de massa muscular.

Qual a quantidade recomendada de zinco?

A ingestão diária mínima de zinco varia de pessoa para pessoa. Além disso, essa quantidade depende também da sua faixa etária e da sua condição de saúde.

Mas é consenso entre os especialistas que, em geral, a quantidade mínima de zinco recomendada é de 7mg por dia para as mulheres e de 9mg para os homens, podendo variar com a idade.

Para os idosos, por exemplo, esse valor pode subir para 8mg entre as mulheres e para 11mg para os homens.

O alerta, no entanto, fica por conta do valor máximo de zinco ingerido por dia que não deve ser ultrapassado. O nível máximo varia entre 40mg e 50mg de zinco diários.

A seguir, você confere a dosagem recomendada de Zinco de acordo com a faixa etária e o sexo:

Faixa etária Dosagem recomendada (mg)
Bebês (0 a 1 ano) 5
Crianças (1 a 10 anos) 10
Homens (11 a +51) 15
Mulheres (11 a +51 anos) 12
Grávidas 15
Lactantes 19

Quais os alimentos ricos em zinco?

Uma alimentação balanceada pode fornecer as quantidades diárias de zinco necessárias para que nosso corpo fique protegido.

Os alimentos ricos em zinco são: carnes vermelhas, aves, mariscos, castanhas, cereais, feijão e ovos. Entre os principais produtos ricos que mais contém esse nutriente estão as ostras.

Mão segurando um prato cheio de ostras.

A ostra é um dos alimentos mais ricos em zinco. (Fonte: Pexels / Pixabay)

No entanto, em alguns casos, apenas a alimentação rica em zinco não consegue fornecer ao corpo a quantidade ideal do mineral.

De qualquer forma, os alimentos que contêm o zinco devem de toda forma entrar como complemento na sua dieta.

Para você ter uma ideia da quantidade de zinco presente nos alimentos, confira a seguir a tabela com os principais:

Peso Quantidade de zinco
Ostra 86g 38mg
Nozes 100g 4mg
Castanhas 100g 4mg
Carne bovina 130g 4mg
Farelo de aveia 94g 2,9mg
Pão integral 80g 1,6mg
Frango 180g 1,5mg
Semente de abóbora 20g 1,3mg
Feijão 50g 1,15mg
Arroz integral 40g 1mg
Leite integral 240g 1mg

Quem deve fazer a suplementação com zinco?

Como vimos, é preciso a realização de exames e acompanhamento médico para definir se há a necessidade de suplementação com Zinco. Ainda assim, existem alguns casos em que esse mineral quase sempre é necessário.

Em geral, é o caso de pessoas que, por conta de uma condição de saúde, tem dificuldade em absorver o nutriente por meio da alimentação.

Podemos citar como exemplo pessoas que sofrem com acrodermatite enteropática, caracterizada pela dificuldade de absorção de zinco pelo intestino.

Quem têm dificuldade em absorver o nutriente, ou que possua doenças que geram essa ineficiência, precisa de suplementação de zinco.

Além disso, pessoas com diabetes, transtornos alimentares, doenças intestinais e renais também podem precisar de suplementos de zinco para compensar a falta de absorção.

Os vegetarianos e veganos, por exemplo, que também têm acesso limitado a fontes de zinco, em geral, precisam suplementar a dieta.

Gestantes, lactantes e idosos também costuma precisar de uma concentração maior de zinco e, por isso, acabam se beneficiando da suplementação.

Quais os efeitos do excesso de zinco?

Mesmo que esse mineral seja essencial para o nosso organismo, consumi-lo em excesso pode fazer mal à saúde.

O fato é que, se você consumir um valor acima do recomendado, isso irá causar um nível elevado de zinco na corrente sanguínea. A consequência é que a quantidade de cobre irá diminuir.

Homem com as mãos na cabeça olhando para baixo.

Em doses acima do recomendado, o zinco pode causar desde dores de cabeça até a deficiência de outros nutrientes no corpo.
(Fonte: geralt / Pixabay)

Ou seja, o excesso de zinco causa a deficiência do cobre, que é outro mineral essencial para o nosso corpo.

E a deficiência do cobre pode ter como consequência, entre outros problemas, a osteoporose e as doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson.

Além da diminuição de outros minerais no corpo, o excesso de zinco no organismo pode resultar em:

  • Redução do colesterol bom (HDL)
  • Alterações da função urinária
  • Dores de cabeça
  • Perda de apetite
  • Náuseas
  • Cólicas abdominais
  • Diarreia
  • Sonolência
  • Letargia
  • Vômitos frequentes.

Por isso, antes de tomar suplementos, é preciso saber se eles são realmente necessários e qual a dose indicada.

Quais as vantagens do zinco?

São inúmeras as vantagens do zinco. Esse mineral é importante para proteger o corpo contra vírus, bactérias e fungos.

O zinco também tem ação antioxidante, o que ajuda a diminuir a quantidade de radicais livres em nosso corpo.

O fato é que as funções do zinco não colaboram apenas para a boa saúde em geral, mas também para a saúde reprodutiva e a fertilidade de homens e mulheres. Além disso, níveis adequados do mineral favorecem o ganho de massa muscular.

Casal de idosos andando de bicicleta.

O zinco protege a saúde e combate o envelhecimento precoce. (Fonte: MabelAmber / Pixabay)

Outra vantagem é que esse mineral ajuda no processo de cicatrização e no combate ao envelhecimento precoce.

Sem contar que o zinco também é essencial para o crescimento das crianças e a saúde das gestantes e dos bebês. Como desvantagem, está o seu uso em excesso ou caso não haja real necessidade.

O resultado, como vimos, pode ir desde a efeitos colaterais incômodos até a deficiência de outros minerais essenciais para o funcionamento adequado do organismo.

A seguir, você confere as principais vantagens e desvantagens do Zinco:

Vantagens
  • Fortalece o sistema imunológico
  • Age como antioxidante
  • Protege contra doenças
  • Atua no crescimento das crianças
  • Auxilia no processo de cicatrização
  • Boa para fertilidade de homens e mulheres
  • Combate o envelhecimento
  • Auxilia no ganho de massa muscular
Desvantagens
  • Em excesso provoca efeitos colaterais e diminuição de cobre e ferro

Quanto custa o zinco?

O preço do suplemento de zinco varia bastante em função da marca fabricante, da quantidade e da dosagem. Em geral, você vai encontrar o zinco custando entre R$ 20 e R$ 300.

Mas você não precisa comprar o mais caro de todos. Em geral, os suplementos mais caros são combinados com outras vitaminas e também são para uso prolongado.

Onde comprar o zinco?

Você vai encontrar o zinco à venda em farmácias, lojas de suplementos, de departamento e hipermercados como Lojas Americanas e Carrefour.

Mas nossa recomendação é que você realize a sua compra em lojas online como a Amazon Brasil.

Isso porque, ao comprar online, você terá uma maior variedade de preço e marcas além, é claro, de adquirir o seu suplemento de forma simples e prática do conforto da sua casa.

Critérios de Compra: O que levar em conta ao escolher o zinco

Após se certificar da necessidade da suplementação, e com o acompanhamento do seu médico, você terá que escolher o melhor produto do mercado.

Para fazer isso, é preciso que você entenda o que de fato diferencia um suplemento de outro. Por isso, listamos para você os principais fatores que devem ser observados antes de comprar o zinco:

  • Tipo
  • Composição
  • Forma
  • Dose
  • Quantidade

A seguir, nós vamos explicar cada um desses fatores para que você invista no zinco ideal.

Tipo

O zinco não é facilmente absorvido no corpo a não ser que seja ligado a outra substância.

Por isso, muitos fabricantes de zinco agregam a sua composição alguns orgânicos e aminoácidos, formando então o zinco quelado. Mas o zinco suplementar também está disponível na forma inorgânica e não quelatada.

Confira a seguir os principais tipos de zinco que você encontrará no mercado:

  • Zinco quelato: esse tipo passou por um processo chamado quelação, que aumenta a concentração do mineral e, em tese, ajuda o corpo a absorver melhor o mineral.
  • Gluconato de Zinco: um dos tipos mais populares. Porém, suplementos de gluconato são apenas um substituto químico para o zinco real. Ou seja, o corpo absorve muito pouco dessa forma processada.
  • Óxido de zinco: este tipo é uma forma inorgânica, não quelatada de zinco.
  • Sulfato de Zinco: solúvel em água e não quelatado, esse é um tipo inorgânico do mineral.

Recomendamos que você converse com o seu médico para que juntos escolham a melhor opção de acordo com as suas necessidades.

Composição

Outro fator que você deve verificar antes de comprar o zinco é a composição do produto. Aqui você poderá optar por duas versões: o zinco puro, sem nenhum outro ingrediente em sua composição; ou o mineral combinado com outras vitaminas e nutrientes.

Não é raro encontrar mais opções de suplementos vitamínicos em que o zinco se combina com cálcio, vitamina D, magnésio, entre outros.

Para saber qual opção é a ideal para você, vale verificar as suas necessidades nutricionais de reposição das outras vitaminas.

Forma

Além disso, leve em consideração a forma como o suplemento deverá ser ingerido. Em geral, as formas mais comuns encontradas à venda são as em cápsulas ou na forma líquida.

Imagem de pessoa colocando cápsulas de suplemento do frasco para a mão.

pesar de o zinco ser mais comum em cápsulas é possível encontra-lo na forma líquida também.
(Fonte: dolgachov / 123rf)

Aqui você deve avaliar a praticidade do consumido e o poder e a facilidade de absorção em seu organismo.

Geralmente, crianças e idosos tiram mais vantagens da forma líquida, em gotas. Isso porque os comprimidos podem dificultar a deglutição e a digestão do mineral.

Dose

Um dos fatores mais importantes que você deve verificar é a dose do suplemento de zinco. Esse valor varia de produto para produto e deve ir de encontro à prescrição feita pelo seu médio.

Mas, para você ter uma ideia, no mercado você encontrará o zinco com dosagens que variam entre 7mg e 50mg, em cada comprimido.

Quantidade

Por fim, recomendamos que você observe a quantidade, seja de cápsulas, seja de mililitros.

Ao escolher a quantidade exata que você irá consumir, você não apenas investe melhor o seu dinheiro, mas também evita um possível desperdício, caso não precise utilizar tudo.

No mercado, você encontrará o zinco em embalagens que contém entre 30 e 180 cápsulas. No caso do mineral na sua forma líquida, a quantidade varia entre 20ml e 100ml.

(Fonte da imagem destacada: alexlmx / 123rf)

Avalie esse artigo

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
39 Voto(s), Média: 5,00 de 5
Loading...